Algo inexplicável ocorre onde sempre fomos referência

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, aquele setor que um dia foi referência mundial hoje nos deixa completamente intrigados pela atuação pífia: o Refis.

Não é de hoje que nossos jogadores tem lesões que, ou são mal curadas, ou levam uma eternidade para que isso ocorra. Mesmo assim, alguns que ficam longo tempo no Refis voltam sem a verdadeira condição física.

Temos tido exemplos constantes dentro do elenco. Se pararmos para analisar, alguns jogadores jogam três, quatro partidas e sentem lesão. Everton, Liziero, Hernanes, são alguns dos exemplos.

Outros ficam três meses para se recuperar de uma cirurgia – e nesse caso me refiro a Pablo -, voltam, por uma infelicidade cai em cima da perna, e fica parado mais um longo tempo. Já vamos para dois meses. Ele voltaria contra o Inter. Mas foi vetado pelo departamento médico.

Outro dia, após o jogo contra o Santos, Pato não treinou. Toró idem. O departamento médico do São Paulo disse que era algo à tôa, e que nenhum dos dois preocupava para o jogo contra o Ceará. Não jogaram contra o time do Nordeste, nem contra o Atlhetico-PR, nem contra o Vasco, nem contra o Grêmio e não jogarão contra o Internacional.

Hernanes ficou um tempão parado por conta de uma distensão. Voltou contra o Santos. Jogou 15 minutos e teve nova distensão. E já vamos para mais de um mês com ele parado. Pior: não se sabe quando ele volta.

Rojas, que sofreu uma contusão muito séria ano passado, exatamente em outubro, teve que passar por uma cirurgia e deveria retornar em março ou abril. Não voltou. Teve que fazer outra intervenção, por conta de um pino que estava em seu joelho e o incomodava. Então deveria voltar em setembro. Não voltou. Teve que fazer outra cirurgia e, quem sabe, volte a jogar entre fevereiro e abril do ano que vem. Ou seja: um ano e meio parado.

Depois de muitas críticas, o dr. Sanches, médico do São Paulo, deu entrevista ao Globo Esporte e explicou a lesão do Pato. Mas teve que “apanhar” muito da imprensa e da torcida para vir a público e explicar alguma coisa. E os demais jogadores? O que de fato tem acontecido? Por que não há transparência?

O São Paulo não é um órgão público que tenha obrigação de dar satisfação das coisas, mas por lidar com uma paixão profunda, que é o futebol, tem, sim, que dar explicação aos seus torcedores sobre o que ocorre no clube. Afinal, são esses torcedores que se viram, gastam o que não tem, arrumam um jeito de ir ao jogo, levar mais de 45 mil pessoas, em média, por jogo, no Morumbi, para apoiar o time. Esse torcedor merece, sim, explicação do que está acontecendo.

Houvesse um pouco de transparência, talvez todos nós entendêssemos o que de fato está acontecendo no Refis. E aqui englobo não só a Fisioterapia, mas também a preparação física e a equipe médica.

Não teremos Pablo, nem Pato, nem Hernanes, nem Toró, todos numa longa internação no Refis. Teremos Everton e Liziero. Se até sábado não sofrerem nenhuma contusão.

Alguma coisa está errada, e muito errada. E alguém tem que vir a público para dar uma explicação satisfatória a toda nação são-paulina.

21 comentários em “Algo inexplicável ocorre onde sempre fomos referência

  1. Viram o tamanho do Pablo em uma foto comparativa de antes e depois do tratamento?

    Parece uma pipa.

    Vivemos de receber jogadores badalados em aeroporto e festa de apresentação, ninguém liga pra parte esportiva se tiver uma mídia pra revelar contratação de impacto.

    Quando chegaram um bando de gaúchos e sulistas no SPFC, nunca imaginei que era pra abrir uma churrascaria. Somos o clube de encontro de jogadores pra comer churrasco.

  2. mais um editorial inútil que não mostra o real problema do sao paulo ,

    nosso maior problema é falta de identidade de clube grande é de diretoria que TEM MAIS amor próprio e que seja mais comprometida em resgatar o respeito do sao paulo .É DISSO QUE PRECISAMOS PARA VOLTA A SER GRANDE E GANHAR TITULO

    para turma do apocalipse o sao paulo vai ficar entre os 6 primeiro do brasileirao e não vai apara serie b

    cuca ou voce tem coragem de treinar o sao paulo ou vá ser medroso em time em outro time

    #EUQUEROMEUSOBERANODEVOLTA

  3. Alguma coisa está errada mesmo. O REFFIS, com dois efes mesmo, sempre foi referência em relação a seus similares. No entanto, nos últimos tempos estamos nitidamente defasados. Nossos atletas cansam facilmente e se machucam com frequência incomum.

    Não é possível o elenco passar um mês sem jogos, e depois não aguentar se quer os 90 minutos. Ou ter jogadores se machucando sozinhos, por estresse muscular. Fica a impressão de que os médicos não falam com os fisioterapeutas. Que estes não se comunicam com os fisiologistas, que, por sua vez, nem conhecem os preparadores físicos.

    Com tamanho desencontro, fica a questão: como são contratados os profissionais tão aclamado Núcleo de Reabilitação Esportiva Fisioterápica e Fisiológica? Será que lá também ocorrem indicações políticas? Como o Paulo Pontes, bem atestou: falta transparência no Tricolor.

  4. Paulo, tenho dúvida se é problema de Refis ou se é problema nas contratações.

    Desses casos que estamos falando, Everton sempre foi bixado, Pato também tem histórico gigantesco de contusões e Hernanes além da idade também não possui um histórico muito bom.

    Com relação ao Liziero, acredito que o ponto aqui foi erro na transição do jogador, pois foram raros os jogos que ele conseguiu concluir os 90 minutos, normalmente sai do jogo com caimbras. No caso dele qualquer no lugar do Tricolor, aceitaria qualquer proposta por ele, talvez em um campeonato europeu que eles fortalecem bastante o jogador pelo estilo de jogo diferente, ele pode se recuperar, mas no Brasil acho dificil.

    Os casos que me parecem culpa do Refis são Rojas, Pablo e Toró que já deveriam ter voltado a jogar, mas sempre surge um problema novo. Aqui sim, me parece que ou estão errando no procedimento ou no diagnóstico. Isso precisa ser cobrado e definir metas claras e objetivas.

    Por favor PP, no que for possível nos ajude com isso.

  5. Isso por que estamos jogando, quase o ano todo, só no final de semana.
    Imagina se tivéssemos jogando 3 competições como o Grêmio estava…
    Mesmo com menos compromisso, como disse o amigo abaixo, não temos o mesmo rendimento físico….
    Além de demora e dúvidas nas recuperações, muitas dúvidas no preparado físico

  6. Perfeito.

    Penso que alguém está ganhando com essa situação. Porque só assim todo o caos é mantido.

    Acrescentaria ainda o Carlinhos Neves, que foi uma saída que eu não entendi até hoje

  7. Também falei sobre o assunto em uma coluna que ainda o Paulo Pontes vai publicar.

    Estamos nos perdendo nos detalhes, vários pontos estão ficando pelo caminho por esses jogadores que nunca voltam!!!

  8. Ontem vi uma foto comparando o Pablo jogando antes da lesão e agora nos treinos, o rapaz está visivelmente mais gordo. Realmente é inadmissível o que está acontecendo no D.M. do São Paulo, é fato para criar uma interrogação na cabeça de todos.

    Poderíamos estar em uma situação bem mais confortável na competição se tivéssemos todos os jogadores a disposição.

  9. Estou e acordo com tudo e acrescento que nos últimos anos eu tenho impressão que o time sempre morre no segundo tempo antes dos adversários, se tiver que correr atrás do resultado então a situação piora. Nao tenho essa estatistica, mas tenho ctza que a quantidade de viradas de placar que o são Paulo consegue é menor que os outros grandes do Brasil, pra um time que tem tido atuação patética em todos os mata matas do últimos anos , ou seja, acaba sempre jogando menos partidas no ano que os adversários acho essa situação muito preocupante tbm.

  10. Como você PP disse na manchete, sempre fomos referência na prevenção e recuperação de atletas, inclusive já tivemos atletas de times de fora do país se tratando no TRICOLOR. Já foi provado o nível de excelência da equipe do no Departamento médico e de fisiologia. É claro que depois que o Dr. Turíbio saiu, não fomos mais os mesmos, mesmo com os profissionais que temos. Seria interessante o e Dr. Sanchez vir à público falar um pouco sobre o que está acontecendo. O que você, Paulo Pontes acha?

  11. Paulo resumiu bem o que todos sao paulinos sentem com relacao ao REFIS, quer dizer todos jogadores contundidos nao se recuperam como devia e quando voltam se machucam novamente ou por fatalidade ou por alguma coisa mal feita, e pior ja nao temos um elenco repleto de bons jogadores para todas posicoes entao se um machuca pronto ja desanda tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.