Derrota na Sul-Americana tem aspectos positivos

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o São Paulo perdeu um jogo que nem o mais descrente torcedor acreditaria que ele pudesse perder. Embalado no Brasileiro, vice-líder, time bem montado, entrosado, jogando contra um tipo “Santo André” da Argentina, dentro do Morumbi, seria de 3 para cima. E perdemos.

Foi um jogo de um time só. O São Paulo teve 70% de posse de bola. Faltaram finalizações. O Colón, por sua vez, foi o típico time argentino. O mais argentino de todos. Jogou com 11 jogadores atrás da linha da bola, formando duas linhas de cinco e catimbando tudo o que podia. O primeiro chute a gol do São Paulo, de Hudson, já fez com que o goleiro dele demorasse uma eternidade para bater o tiro de meta. Bem, se com três minutos já estava fazendo cera, era possível perceber o que seria o jogo.

O time não conseguia criar. As jogadas pelos cantos do campo até saíam, mas na área a zaga tirava a bola com facilidade. A catimba era insuportável, tudo com a absoluta complacência do árbitro uruguaio. Nem acho que ele roubou. Ele é horrível mesmo. Aceitou todo tipo de cera dos argentinos, inverteu faltas, foi horrível.

Aguirre armou o time com Bruno Peres jogando como volante. Em alguns momentos Militão formou como terceiro zagueiro e Bruno abriu pela lateral. Na maior parte do tempo, no entanto, era Bruno quem mais chegava na frente e Hudson ficava. Ele deu dois bons chutes a gol, mas a bola foi para fora.   Só que Bruno Peres estava completamente sem ritmo de jogo.

Aí, mais uma vez, tenho que elogiar Aguirre. Ele, como milhões de são-paulinos, cravou que definiríamos a classificação no Morumbi. Então era hora de dar ritmo de jogo para Bruno, pois domingo será o último jogo de Militão.

Aguirre ainda tentou mudar no segundo tempo. Colocou Shaylon no lugar de Bruno, mas o garoto mais uma vez não conseguiu mudar nada; colocou Gonzalo Carneiro, mas ele matou algumas bolas de canela. E tomamos o gol. Chute de fora da área, desvio em Hudson, bola no ângulo.

O São Paulo que já estava nervoso em campo, pilhou ainda mais. Mas esse excesso de nervosismo acabou fazendo com que entrássemos, literalmente, no jogo dos argentinos. Eles provocaram, nós batemos. Diego Souza só não foi expulso pela extrema ruindade do árbitro. Mas Brenner foi. Empurrou o cara na frente do juiz. E o jogo se encaminhou para o final com o São Paulo perdido nos nervos e os argentinos se atirando ao chão para ganhar cada vez mais tempo.

Dá para reverter? Claro que dá. E é aí que entra o título deste comentário: Derrota na Sul-Americana tem aspectos positivos. O time tem que voltar o foco para os jogos. A soberba estava começando a aparecer no elenco e na torcida. O campeão já tinha voltado e éramos imbatíveis. O time ganhou tudo o que ganhou até agora pela extrema concentração e entrega em todos os jogos. E isso não aconteceu nesta noite fria no Morumbi, com mais de 36 mil pagantes.

Aguirre mesmo falou: lá será outra  história. Também acho. Se jogarmos sério, e essa luz foi que nos acendeu, reverteremos o placar.

Outro dado positivo: Aguirre percebeu que tem que treinar mais jogadas quando temos a bola. No contra-ataque somos mortais. Quando temos a bola e precisamos propor o jogo, nos atrapalhamos um pouco.

Por tudo isso, que a derrota nos ajude a enxergar o que pode estar obscuro às nossas vistas.

10 comentários em “Derrota na Sul-Americana tem aspectos positivos

  1. Facil, o adversario foi menosprezado,
    com hermanos nao se brinca,
    ninguem que traz uma torcida fanatica como a deles,
    e’, mesmo um nada da vida. Tinhamos que respeitar e entrar mais pilhados.
    Um a zero ficou de bom tamanho poderia ter sido dois.
    Faltou Arboleta, so’ , e se a coisa ta ruim e nao da para entrar,
    e nao temos inspiracao,
    entao que chutemos de fora da area, da intermediaria,
    como chutou Perez,
    uma hora a bola desvia e entra,
    como entrou legal no nosso gol.

  2. A derrota pelo menos serviu para mostrar que nao temos um elenco para diretoria que se sai 2 , 3, 4 titulares o time nao joga bola, corre serio risco de cair no brasileirao e a sul americana dizer adeus, mesmo que o Aguirre coloque o time titular inteiro para jogo de volta na Argentina e apesar desse Colon ser um time fraquissimo nos ja vimos esse filme antes, e contra time argentino que vao jogar mais na retranca ainda sabendo que um empate resolve pra eles, para mim sul americana ja era e foi bom tb para diretoria ver que esse tipo de jogo e a cara da libertadores entao se quisermos na libertadores se conseguirmos para o ano que vem se o time nao melhorar e o elenco for mais forte seremos eliminados ja na primeira fase.
    Que sirva de alerta e essa de que tivemos 70% de posse de bola massacramos o adversario mas se nao chutar no gol e se nao for eficiente fazendo os gols pode ter 100% que nao ganhara, posse de bola nao da vitoria ao time.
    Diretoria e Aguirre abram os olhos pq a realidade é bem outra e expos a ferida que esse elenco tem.
    Contra o Vasco ja tem que ganhar e bem, pq se empatar ou perder a coisa vai ficar feia.

  3. P mim o time jogou muito ontem
    Foi fatalidade o resultado
    Seria até bom sermos eliminados deste campeonato e focar totalmente no brasileiro
    Paulo este é o meu e-mail verdadeiro
    Não participo mais das opiniões por falta de tempo mas gosto do seu trabalho

  4. Nenê pareve que se abalou com a frustrada negociação com clube da China, depois disso não jogou mais nada.
    Esse Carneiro está me parecendo outro Trelles, Brenner tem que ser emprestado pra pegar experiência e depois voltar, não se encontra em campo.
    Ficou provado que temos um timr limitado, com um esquema de contra ataques, quando precisa propor o jogo não consegue efetividade.
    Precisamos de um meia e um centroavante fazedor de gols, está nos faltando um goleador!

  5. Derrota importante pois mostrou que o sucesso desse time foi construído na entrega e agressividade que apresentou até agora. E não da técnica dos jogadores.

    Por isso quando estivermos com a bola temos que arriscar, pois se perdermos a bola voltamos a jogar na nossa zona de conforto que é o contra golpe. Nao adianta ficar trocando passe curto de lado, tem que forçar lançamentos, cruzar na área tabelas pelo meio com passes de Primeira e chutes de média e longa distância. E acreditar mais na nossa bola parada direta ou mesmo cruzada.

    Espero que tenham aprendido a lição.

  6. Não consigo estar satisfeito depois de perder Marcos Guilherme , Cueva , Valdivia , Militão , Petros e ter trazido apenas 2 reforços.

    Claramente estes jogadores da base não estão prontos ,e outros são fracos.

  7. Paulo Pontes ,a chance de chegar alguma contratação? hoje o que ficou claro pra mim que temos um elenco fraco e que se depender desses reservas vamos sofrer bastante no 2°turno do Brasileiro.

    Sera que a derrota de hoje tera o lado de bom em abrir os olhos da diretoria pra necessidade de reforços? abraço Paulo , aguardo sua resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*