Um ano depois e com mudanças, Tricolor reencontra Penapolense

Apesar da derrota para o Ituano, o empate entre Penapolense e Corinthians, no último domingo, fez com que o duelo das quartas de final fosse decidido com uma rodada de antecedência. Assim como no ano passado, São Paulo e o time de Penápolis vão se enfrentar no Morumbi. Adversário e local são os mesmos em relação ao ano passado. A maior diferença é o próprio Tricolor.

Desde àquele jogo vencido por 1 a 0, muita coisa mudou na equipe são-paulina. A começar pela direção do time, que hoje tem Muricy Ramalho, já teve Paulo Autuori e naquela época era dirigido por Ney Franco. Dentro de campo, apenas quatro titulares de 2013 devem jogar novamente no dia 26 de março, data das quartas de final: Rogério Ceni, Ganso, Osvaldo e Luis Fabiano. Além deles, Rodrigo Caio havia entrado na etapa complementar e deve ser titular na próxima semana.

As mudanças de nomes são reflexo da alteração na gestão do clube. O diretor de futebol Adalberto Baptista deixou o cargo meses depois, Gustavo de Oliveira virou o homem forte do departamento e o maior objetivo passou a ser resgatar o bom ambiente do CT da Barra Funda. O que não mudou foi o Morumbi. O jogo do ano passado marcou a conclusão da troca das cadeiras. A esperada cobertura até hoje não conseguiu sair do papel e nem sequer há previsão de quando isso irá ocorrer, até porque a construtora Andrade Gutierrez desistiu do projeto.

O Penapolense também trocou de treinador. Saiu Pintado e chegou Narciso. Do time base de 2013, a equipe titular deve manter cinco nomes. O clube se organizou melhor e hoje pode pagar até cerca de R$ 100 mil a mais na folha salarial. Ano passado era de R$ 250 mil, hoje de R$ 350 mil. Apesar das duas equipes não terem duelado nesta primeira fase, Muricy Ramalho tem assistido aos jogos e sabe das qualidades do adversário das quartas de final.

– A gente está acompanhando porque é obrigação nossa. A gente podia cruzar e, às vezes, quer ver algum jogador, temos que ver todo mundo. A gente começa a conhecer todos os times depois da segunda rodada. É um bom time, tanto é que ganhou bem do Santos. É um time que tem bons jogadores – declarou.

O confronto será realizado em partida única. Se empatar, a decisão será nos pênaltis. A única vantagem do Tricolor é de jogar em casa.

Confira bate-bola com Guaru, meia do Penapolense que também reviverá o duelo:

Qual o clima pela segunda classificação seguida no Paulista?
Essa vaga é especial. Nosso pensamento era não cair e depois buscar a classificação. Ficamos felizes por ser um campeonato difícil em que até o Corinthians ficou fora. Novamente encontraremos o São Paulo no Morumbi. Só espero que o desfecho seja diferente desta vez.

Como vê este reencontro?
O fato de jogar com uma equipe grande motiva bastante. O pessoal que continuou de 2013 pode passar para os mais novos, que nunca pisaram lá, que podemos ir no Morumbi, jogar bem e classificar.

Qual lição da derrota em 2013?
Naquele jogo fomos bem. Em uma infelicidade tomamos um gol contra. O São Paulo é muito forte no Morumbi, mas nosso time é firme na marcação e rápido no contra-ataque. Precisamos apostar em que marcar e jogar na velocidade.

Vão tirar inspiração no retrospecto com os grandes neste ano?
Os jogos contra o Santos (4 a 1) e contra o Corinthians (0 a 0) mostraram que a gente pode atuar de igual para igual mesmo com a diferença de elenco para os times considerados grandes. Podemos superá-los na base da vontade e da garra.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*