Tricolor busca o que sempre ocorreu contra Sport no Morumbi: vitória

Na busca por um lugar entre os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, o São Paulo terá pela frente um adversário com números capazes de animá-lo. Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, o Sport, próximo da zona de rebaixamento, visita o Morumbi, local onde nunca sequer empatou.

De acordo com o Tricolor paulista, em seu estádio, foram 13 vitórias em 13 jogos, com 36 gols a favor e 11 sofridos. Na teoria, o time pernambucano pode ser um atalho para a equipe que vem de duas vitórias seguidas – contra o Flamengo, pela liga nacional, e diante do Bahia, pela Copa Sul-americana – para terminar a 14ª rodada do Brasileiro além do seu atual oitavo lugar.

A soma dos três pontos é considerada fundamental para os comandados de Ney Franco, que estão a quatro pontos do Internacional, atual dono da quarta posição, a última que garante vaga na Libertadores do ano que vem – o Grêmio, porém, ainda pode ultrapassar o Colorado, caso vença o Bahia, no Olímpico. Do outro lado, estará um rival que começou o fim de semana em 13º lugar, a dois pontos da faixa da degola.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Sem Luis Fabiano, mais uma vez machucado, Willian José recebe nova chance como titular ao lado de Ademilson

Mas, além da vitória, o técnico do São Paulo exige respeito. Apesar de estar distante da primeira colocação, o treinador ensina que o título nacional – o primeiro no clube desde 2008 – só virá se o time for bem como mandante. Para isso, é necessário não menosprezar nenhum adversário que aparecer no Morumbi.

 

“A equipe que quer ser campeã tem que fazer prevalecer o básico: ganhar em casa. Por isso, vamos iniciar indo para cima do adversário, mas eles merecem muito cuidado”, indicou Ney. “Em alguns momentos, times não ganham campeonatos porque, por jogar em casa estando na ponta da tabela contra um adversário que está lá em baixo, não se mobilizam para o jogo nem trabalham direito. Por isso, deixam de somar pontos em casa.”

Divulgação

Gilberto deve ser o único centroavante do Sport na busca pelo fim do tabu no Morumbi

À frente da equipe na única derrota como anfitrião, diante do Vasco, Ney Franco valoriza o Rubro-negro recifense. “Encaro o jogo contra o Sport como se estivesse junto conosco na tabela. Não posso encarar o Sport sem olhar que tem jogadorescapazes de definir o jogo em um contra-ataque ou bola parada. Se queremos ser campeões brasileiros, precisamos encará-los como encaramos o Vasco ou qualquer outra equipe”, falou.

 

Para ter sucesso, ele manterá a base do time. Em relação à escalação que venceu na Bahia na quarta-feira, só recolocará Denílson, recuperado de incômodo muscular, na vaga de Rodrigo Caio e opta por Willian José na vaga de Luis Fabiano, vetado por estiramento na coxa esquerda.

Do outro lado, Vágner Mancini mostra arrependimento por ter alterado. Após insucessos na formação com três atacantes, o técnico retoma o esquema com dois volantes e três meias, com dois mais abertos, para municiar Gilberto, o centroavante.

As novidades na escalação devem ser a entrada de Rithely na vaga do ex-jogador do Palmeiras Rivaldo, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo, e a escolha de Moacir, ex-Corinthians, na lateral direita, com o veterano Cicinho, campeão mundial e da Libertadores com o São Paulo em 2005, no banco.

Qualquer que seja o time rival, a ambição tricolor é pela terceira vitória seguida desde a volta de Rogério Ceni, recém-recuperado de cirurgia no ombro direito. “A cada dia, vivemos uma história diferente. Contra o Bahia, foi bacana e espero que no domingo, contra o Sport, consigamos manter os resultados positivos e a forma de a equipe jogar, que acredito ter melhorado relativamente bem”, discursou o capitão.

Arte GE.Net

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X SPORT

 

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 5 de agosto de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Marcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG) e Janette Mara Arcanjo (Fifa-MG)
Assistentes adicionais: Jailson Macedo Freitas (BA) e Eduardo Cordeiro Guimarães (RJ)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; João Filipe, Rafael Toloi e Rhodolfo; Douglas, Denilson, Maicon, Jadson e Cortez; Ademilson e Willian José
Técnico: Ney Franco

SPORT: Magrão; Moacir, Aílson, Bruno Aguiar e Reinaldo; Tobi, Rithelly, Willians, Marquinhos Gabriel e Felipe Azevedo; Gilberto
Técnico: Vágner Mancini

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*