São Paulo vê acerto com Adidas como resgate de credibilidade após era Aidar

Ao fechar acordo com a Adidas, o São Paulo crê ter dado mostras de que recuperou sua credibilidade no mercado. O clube estava marcado no mercado pelos pedidos de comissão na última negociação de contrato de material, com a Under Armour, na gestão de Carlos Miguel Aidar. Na ocasião, o contrato original com a empresa americana previa 18% de comissão para uma empresa suspeita na Ásia, cuja relação com o negócio nunca foi esclarecida.

À sombra do escândalo, marcas custaram a aceitar conversar e mostraram desconfiança com o São Paulo, que entrou em acordo com a Adidas de forma direta, sem participação de qualquer intermediário. Para o clube, é um sinal de que a profissionalização das diretorias está sendo colocada em prática.

 

Fonte: Uol

7 comentários em “São Paulo vê acerto com Adidas como resgate de credibilidade após era Aidar

  1. Números, cadê? Vejo muitos elogiando o não pagamento de comissão, que é uma obrigação da diretoria.

    Quero os números do contrato, se é condizente com o tamanho do São Paulo, ou se é de time pequeno.

  2. O que eu fico irritado é o tanto de gente agradecendo nas redes sociais ao conselheiro ‘fulano’ ou ao conselheiro ‘sicrano’, pois a influência dele ou deles na adidas foi ou foram fundamentais para esse acerto (!?)
    Se eles ajudaram ótimo, se por causa deles não vai ter comissão, melhor ainda, mas onde eles estavam quando tivemos que amargar dois anos e meio com a Penalty, num dos contratos mais fracos de material de esportivo de time grande???
    E por que eles não ajudaram em 2012 quando a Reebok, que havia sido recém adquirida pela adidas, rompeu o contrato unilateralmente de fornecimento de material esportivo com o São Paulo???
    Engraçado que quando o filho é bonito, todo mundo quer ser o pai.

  3. Apesar de todas as críticas, e muitas delas merecidas, reconheço que nesse aspecto a diretoria tem mostrado que o clube aos poucos tem resgatado sua credibilidade junto as empresas e demias patrocinadores.

  4. Mr. Comissão e sua namorada jamais fariam negócio com a Adidas… por motivos óbvios, porque se trata de uma empresa séria, que não faz negócios por fora.

    • Waldir, o São Paulo não pode aceitar um contrato onde o valor fixo anual é baixo.

      se apegar em percentual por venda de produtos é coisa de time pequeno.

      O Contrato do Santos com a Umbro prevê o pagamento de 7 milhões anuais, mais um percentual em venda de produtos. É ridículo para um clube grande.

      a Under Armour pagava 14 milhões ano, duvido que a Adidas pagará ao São Paulo valor semelhante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*