São Paulo tentará fazer jogo de despedida para Lucas no próximo sábado

A diretoria do São Paulo e o estafe de Lucas tentam organizar um jogo de despedida para o jogador no próximo sábado, dia 15, em amistoso no Morumbi entre amigos do jogador. O jogo marcaria o adeus do meia-atacante de 20 anos, que será jogador do Paris Saint-Germain (FRA) a partir de janeiro. Para que a iniciativa ocorra, o Tricolor se apressa nesta semana para fechar contrato com patrocinadores para o evento.

O São Paulo também tem a ideia que, para o amistoso, os ingressos sejam vendidos a R$ 7, em alusão ao número utilizado por Lucas na camisa, desde 2011. Os patrocinadores para bancarem o evento, no entanto, ainda não estão confirmados. Em meio à final da Sul-Americana, o clube se desdobra para colocar a despedida em prática no sábado, mas alerta que existe a possibilidade de não ser viabilizada.

A possibilidade da homenagem para Lucas é estudada pela diretoria desde outubro. Inicialmente, o problema era encontrar uma data viável para realizar uma partida no Morumbi. Na época, o calendário estava indefinido. Lucas, também, está confirmado desde outubro para participar do amistoso entre amigos de Ronaldo e do francês Zinédine Zidane, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, no próximo dia 19.

A solução, então, foi esperar. Até a semana passada, o clube não cogitava fazer o amistoso no Morumbi. A ideia seria realizar apenas uma homenagem ao meia-atacante após a final contra o Tigre, na quarta-feira. Agora, a diretoria decidiu arriscar e tenta organizar o evento.

Aos cofres são-paulinos, Lucas renderá R$ 86 milhões – 75% dos R$ 115 milhões totais – por conta da transferência ao PSG. No sábado, se a iniciativa da diretoria der certo, ele terá a chance de se apresentar pela última vez no Morumbi, vestindo a camisa do São Paulo, e se despedir com festa dentro e fora do campo.

Ídolos já deixaram o clube sem despedida

Se o meia-atacante Lucas tiver um jogo de despedida pelo Tricolor, poderá gozar de um privilégio que outros ídolos são-paulinos não tiveram antes de deixarem o clube.

Entre eles, o ex-camisa 10 Raí, que também foi vendido ao Paris Saint Germain (FRA), sagrou-se ainda campeão da Libertadores de 93 antes de ir para a França, mas se despediu da torcida em um clássico contra o Santos no Campeonato Paulista daquele ano. Apesar da goleada por 6 a 1 e de Raí ter marcado um gol, o clube não fez do jogo de despedida um evento, como pretendem fazer com o camisa 7 atualmente.

Assim como Raí, outros ídolos recentes como França, Denilson, Lugano e Cicinho, por exemplo, também não tiveram jogos de despedida. Contudo, Denilson e Cicinho fizeram seus últimos jogos em finais e, ainda por cima, saíram com os títulos do Paulistão de 98 e do Mundial de 2005, respectivamente. Feito que Lucas espera repetir na quarta.

– Quero deixar muito esse título (da Sul-Americana) para o São Paulo, para retribuir todo o carinho que recebi, um clube que amo muito. Quero ficar marcado na história do clube. Só os campeões são lembrados e quero colocar um quadro aqui no CT – disse o atleta, em entrevista ao site oficial do clube.

Fonte: Lance – Foto: Vipcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*