Sâo Paulo aguarda liberação judicial para ter Breno de volta

O São Paulo não esconde de ninguém que procura um zagueiro para ao menos compor elenco na próxima temporada. E o reforço pode ser Breno, cria das categorias de base do clube, que está preso desde julho deste ano, acusado de incendiar propositalmente a sua casa em Munique, na Alemanha.

A diretoria do São Paulo possui imensa admiração pelo atleta, de apenas 23 anos e mantém contatos frequentes com pessoas ligadas ao zagueiro para saber da situação dele. E, por essas conversas, a cúpula tem mantido otimismo e confiança de contar com o jogador na próxima temporada. Entre clube e atleta a negociação é considerada tranquila e rápida de ser acertada.

“Temos muita simpatia por ele. Mantemos contato sempre, mas isso depende de evoluções do Ministério, do Judiciário Alemão, que não é simples. Mas temos uma expectativa boa nesse sentido. Se ele conseguir a liberação, creio na possível vinda. Não posso dar certeza, não podemos fazer promessa pois depende da justiça, e é complicado. Vamos aguardar”, afirmou o presidente Juvenal Juvêncio.

Por bom comportamento, existe a expectativa de que o jogador possa ser liberado já em janeiro da prisão. A aposta da diretoria tricolor é a de que, com um contrato fixo de trabalho no Brasil, a justiça do país europeu seja menos rigorosa e aceite liberar Breno para voltar ao país.

Em julho desse ano, Breno foi condenado a três anos e nove meses de prisão por atear fogo à sua própria casa. O tribunal alemão que julgou o caso considerou que, em setembro do ano passado, o jogador iniciou o incêndio propositalmente e foi detido imediatamente. Nem mesmo o fato de ele estar alcoolizado na noite do crime serviu para atenuar a pena.

A defesa do São Paulo foi o setor mais questionado da equipe ao longo da temporada. Rhodolfo, especialmente, alternou bons e maus momentos ao longo do ano e foi visto com desconfiança por parte da torcida. Com a chegada de Rafael Toloi, os dois conseguiram aos poucos se entrosar e terminaram a temporada em alta e com o título da Sul-Americana sem tomar nenhum gol dentro do Morumbi.

“A nossa zaga se comportou bem nesse último trimestre, é inegável. Mas preciso mesmo encontrar um substituto, para termos ainda mais força no banco de reservas. Estou olhando alguns nomes por aí, quebrando minha cabeça”, completou Juvenal.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*