Rogério Ceni anuncia se para ou não até a véspera da última rodada

O goleiro Rogério Ceni definiu prazo para anunciar se vai se aposentar no fim deste ano ou se permanecerá como atleta profissional do São Paulo em 2014. O pronunciamento será até 7 de dezembro, véspera da abertura da última rodada do Brasileirão, e tem boas chances de acontecer no próprio dia, em entrevista coletiva no CT da Barra Funda.

“Em nove dias, no máximo nove dias”, disse Rogério Ceni, nesta quinta-feira, no CT da Barra Funda, ao ser questionado sobre o prazo para o anúncio. O capitão são-paulino declara que não pode demorar mais do que isso para anunciar, pois sabe que o São Paulo precisa apressar o planejamento para 2014: “Precisa, porque a temporada está acabando”, falou.

A resposta sobre os “nove dias” foi imediata à pergunta, sem pausas para fazer contas. O prazo acaba no dia 7 de setembro, sábado, véspera da partida contra o Coritiba, última rodada do Brasileirão e da temporada são-paulina. Por isso, existe a chance de o goleiro informar o futuro em entrevista coletiva nesta data.

Os treinos aos sábados no CT da Barra Funda nunca são abertos à imprensa. No entanto, nos últimos anos, Rogério Ceni só concedeu entrevistas coletivas no local aos sábados, quando os treinos eram abertos nas vésperas de partidas aos domingos.

Apesar de ter respondido com o prazo, Ceni, aos 40 anos, afirma que segue indeciso.  “Não tomei uma decisão”, falou o goleiro. Rogério se programava no início de 2013 para se aposentar ao fim da temporada, manteve a decisão até o meio do ano, mas repensou a parada por conta de diversos fatores.

Segundo quem convive no dia a dia do clube com Ceni, ele não gosta da ideia de encerrar a carreira no ano em que o São Paulo sofreu a pior crise da história e brigou contra o rebaixamento. Nesta temporada, teve atritos com o técnico Ney Franco e com o ex-diretor de futebol Adalberto Baptista. Depois da briga contra a degola, viu o São Paulo se salvar após a chegada de Muricy Ramalho.

Foi durante a ascensão do time no Brasileirão que o goleiro repensou a aposentadoria, recuando para a alegada indefinição. Muricy foi o primeiro a lançar publicamente a campanha para que o capitão permanecesse por mais um ano. Dentro e fora das entrevistas o treinador afirma que Rogério ainda está entre os melhores do Brasil e que tem nível para jogar em 2014, aos 41 anos, se assim quiser.

Com contrato apenas até o fim deste ano, Ceni teria de renovar com o São Paulo para ficar em 2014, o que não será um problema. A diretoria comprou a ideia de Muricy rapidamente, e logo disse que gostaria de ver o capitão no clube em 2014. Apesar do acolhimento, Muricy Ramalho já deixou nas entrelinhas que a renovação não é aceita de forma unânime. O técnico falou que “tem gente que não gosta de uma pessoa com a personalidade” de Rogério Ceni. Depois, despistou e disse que não se referia à diretoria.

Como o goleiro não dá indicativos à diretoria sobre qual será a decisão sobre o futuro, os projetos de ações para uma possível despedida, no fim deste ano, foram interrompidos. O departamento de marketing não recebe muitas informações do goleiro sobre o que tem pensado. O jogo contra um gigante do futebol europeu, como o Liverpool (ING), que era cogitado, está descartado porque não houve tempo para viabilizar uma data para a partida festiva. Outras ações também não estão sendo desenvolvidas com intensidade.

No clube, cresce o otimismo para que Rogério Ceni renove. Alguns dirigentes dão “100% de certeza” que terão o capitão no time em 2014, aos 41 anos. Outros, no entanto, se dizem indecisos. São poucos, neste momento, entre dirigentes, funcionários e membros da comissão técnica, que acreditam na aposentadoria.

A ideia de Rogério para quando se aposentar é estudar e virar treinador. O goleiro ainda pretende ter tempo para descansar e viajar em família. Depois, pretende se preparar para a nova função. O goleiro amadureceu o pensamento no primeiro semestre de 2012, quando sofreu grave lesão no ombro direito e teve de passar por cirurgia que o fez parar de jogar durante seis meses. Neste período, viajou à Espanha para visitar clubes como Real Madrid e Barcelona, nos quais observou métodos de treino.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*