Rodrigo Caio vira ‘patrão’ do São Paulo com jogos, gol e até assistência

Aos sete minutos do segundo tempo da partida contra o Mirassol no último sábado, Rodrigo Caio apareceu sozinho na área para fazer gol de cabeça. Correu mostrando o símbolo do São Paulo para os mais de 43 mil torcedores no Morumbi, vibrou, agradeceu a assistência e foi ovacionado. E só não teve mais louros porque o time cedeu o empate em 2 a 2 nos acréscimos.

Nesta terça-feira, às 20h30, o zagueiro voltará ao Morumbi para fazer o Tricolor reagir na quinta rodada do Campeonato Paulista. O adversário será o São Bento e marcará o 23º jogo consecutivo do camisa 3 como titular. Desde o dia 15 de setembro de 2016, quando o São Paulo fez 1 a 0 sobre o Cruzeiro na 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, Rodrigo disputou todos os minutos de todas as partidas do clube paulista: 1890.

Essa sequência é a maior da carreira do defensor de 23 anos, que fez todos os jogos tricolores neste ano e ainda atuou os 90 minutos do amistoso do Brasil com a Colômbia em janeiro. Antes, a mais longa era a série de 19 jogos completos em 2013, entre a a derrota por 3 a 2 na Copa Suruga para o Kashima Antlers (JAP), em 7 de agosto de 2013, e 13 de novembro do mesmo ano, em vitória por 2 a 0 para o Flamengo.

No período de 2013, foram três gols marcados por Rodrigo, marca igualada na série atual graças ao tento contra o Mirassol. A sequência vigente também deu ao zagueiro o posto de atleta do elenco com mais partidas pelo São Paulo: 207, desde 2011, contra 203 de Diego Lugano, o segundo no quesito. E essa longevidade no clube faz com que o técnico Rogério Ceni o visualize como capitão da equipe nas próximas temporadas.

Os números de Rodrigo ainda passaram a ser reforçados por uma nova função. Com o esquema ofensivo imposto por Ceni, o beque tem liberdade para aparecer como surpresa no ataque ou ainda se reveza entre a zaga e o meio de campo. Assim, pôde assinar assistência para Chavez na primeira rodada do Paulistão, contra o Osasco Audax.

A técnica apurada ainda ajuda o Mito a evitar chutões e iniciar as jogadas com calma desde o goleiro Sidão, mas há um sinal de alerta para Rodrigo e os outros são-paulinos. O time tem a segunda pior defesa do Estadual, com nove gols sofridos e a ordem é corrigir os problemas já contra o São Bento. A esperança é que o rival de Sorocaba marcou apenas um tento até aqui e só pontuou na última rodada, ao empatar em 0 a 0 com o Botafogo-SP.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*