Por reabilitação na Libertadores, Ceni pede Danubio “encurralado”

A opinião do capitão do São Paulo a respeito da situação da equipe na Copa Libertadores é realista e tem a concordância de Muricy Ramalho: depois de perder para o Corinthians na estreia, é imprescindível somar pontos nos dois próximos jogos como mandante. Para isso, no primeiro deles, na quarta-feira, Rogério Ceni pede que seus companheiros não deixem o Danubio (Uruguai) jogar no Morumbi.

“Eu imagino um jogo em que temos que agredir o adversário, e ele tem que ficar acuando, se defendendo. É o que eu imagino, né? Uma obrigação que a gente tem é tentar encurralar o máximo possível o adversário, até bater, bater, bater e conseguir fazer o gol”, falou o goleiro, depois da fácil vitória por 4 a 0 sobre o Audax, que recuperou o ânimo da equipe, mas não serve como parâmetro, já que se tratou de uma partida do Campeonato Paulista, contra um adversário de menor nível técnico.

“Entre ganhar e perder, sempre tem um lado comportamental de todos. Ele muda bastante com uma vitória. Agora, o jogo importante, a competição importante que nós temos – não importante, mas talvez a mais importante – no momento é a Copa Libertadores. O próximo jogo é de Libertadores. Então, para ter tranquilidade e bom ambiente, a gente precisa da vitória na Libertadores, na quarta-feira”, advertiu.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Goleiro e capitão da equipe espera que os uruguaios enfrentem muita dificuldade no Morumbi, na quarta-feira

Um dia depois do duro revés para o Corinthians, os jogadores ouviram de Muricy Ramalho o pedido para assistirem ao duelo entre Danubio e San Lorenzo, argentino que venceu a edição passada da Libertadores e também faz parte do grupo do São Paulo. Ceni, que já costuma acompanhar os rivais por conta própria, viu os uruguaios serem derrotados em casa apenas com dois gols sofridos no final do segundo tempo.

“Pelo que eu pude assistir, uma equipe que estava vencendo até cinco minutos antes do final da partida o San Lorenzo, atual campeão da Libertadores. Então, a gente sabe da dificuldade que vai enfrentar, mas tem confiança que vai conseguir fazer os três primeiros pontos dessa fase”, comentou, antes de citar tropeços de outros clubes tradicionais (como os brasileiros Internacional e Atlético-MG e o argentino River Plate) e se alongar.

“A gente conhece o jogador uruguaio, a força, a raça. A gente espera um jogo complicado, difícil. Não tem adversário fácil nesta competição. Temos que nos reabilitar o mais rápido possível. Temos que fazer três pontos na quarta-feira para daí ter um tempinho até o jogo contra o San Lorenzo, que vai ser uma final para a gente. Vai ser como se fosse eliminatório, uma fase de mata-mata antes da hora. Quem fizer mais pontos entre São Paulo e San Lorenzo, em vencendo esse jogo contra o Danubio, consegue dar uma respirada na competição”, falou.

O primeiro treino para a partida ocorre na manhã desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. O meia-atacante argentino Centurión será de novo desfalque no duelo por ainda ter um jogo de suspensão a cumprir na competição sul-americana.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Por reabilitação na Libertadores, Ceni pede Danubio “encurralado”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*