No Morumbi, resultados ruins em jogos de ida têm sido problema do Tricolor

Há quem diga que é bom decidir uma classificação em mata-matas jogando a segunda partida em casa. Por outro lado, há quem prefira ver seu time disputar o jogo de ida sob seus domínios, tendo a possibilidade de, logo de cara, “colocar um pé” na fase seguinte.

Porém, para o Tricolor nas últimas eliminações, jogar bem e conquistar uma boa vantagem no primeiro confronto de uma série, no Morumbi, tem sido o grande entrave. Isso porque o clube não tem conseguido atingir placares elásticos ou suficientes para levar vantagens favoráveis aos duelos fora de casa, assim como ocorreu na última quarta-feira, diante do Coritiba, no Couto Pereira, pela Copa do Brasil.

 

No torneio, o grande marco desta sina de eliminações aconteceu em 2000, quando o São Paulo chegou à decisão da competição contra o Cruzeiro. Na ocasião, a equipe são-paulina não conseguiu tirar o zero do placar, empatando em 0 a 0, no Morumbi. Em Minas Gerais, vitória cruzeirense por 2 a 1, garantindo o título aos mineiros.

Desde então, o Tricolor já acumula 13 desclassificações após disputar o primeiro jogo de uma série de mata-matas no Cícero Pompeu de Toledo. Das 14 no total, em somente seis saiu vencedor, e por apenas um gol de diferença (cinco triunfos por 1 a 0 e um por 2 a 1).

Nas últimas duas edições da Copa do Brasil, o Sampa venceu o primeiro jogo disputado no Morumbi. Contudo, dois placares por 1 a 0, contra Avaí, no ano passado e Coritiba, neste ano, não conseguiram dar ao Sampa uma boa “gordura” para o jogo de volta, resultando em eliminação.

As duas campanhas pela competição nacional, inclusive, lembram as também seguidas eliminações são-paulinas nas Libertadores de 2007 e 2008, quando a equipe saiu vencedora nos confrontos de ida pela vantagem mínima e foram desclassificadas por Grêmio e Fluminense, no Olímpico e no Maracanã, respectivamente.

Confira as eliminações do São Paulo, desde 2000, após jogar a primeira partida da série no Morumbi:

2000 – (0-0) e (1-2) diante do Cruzeiro na final da Copa do Brasil
2002 – (0-2) e (2-1) diante do Corinthians na semifinal da Copa do Brasil
2002 – (2-3) e (1-1) diante do Corinthians na final do Rio-São Paulo
2003 – (2-3) e (2-3) diante do Corinthians na decisão do Paulistão
2004 – (0-0) e (1-2) diante do Once Caldas (COL) na semifinal da Libertadores
2006 – (1-2) e (2-2) diante do Internacional na final da Libertadores
2007 – (1-0) e (0-2) diante do Grêmio na Libertadores
2007 – (0-1) e (0-2) diante do Milionários (COL) pelas quartas da Sul-Americana
2008 – (2-1) e (0-2) diante do Palmeiras no Paulistão
2008 – (1-0) e (1-3) diante do Fluminense pela Libertadores
2010 – (2-3) e (0-3) diante do Santos pela semifinal do Campeonato Paulista
2011 – (1-0) e (1-3) diante do Avaí pelas quartas de final da Copa do Brasil
2011 – (1-0) e (0-2) diante do Libertad (PAR) pelas oitavas da Sul-Americana
2012 – (1-0) e (0-2) diante do Coritiba pela semifinal da Copa do Brasil

Fonte: Lance

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*