Ney acredita em testemunhas e inocenta Luis Fabiano por expulsão

Quando o árbitro colombiano Wilmar Roldán expulsou Luis Fabiano, depois do apito final do empate por 1 a 1 entre São Paulo e Arsenal, no Pacaembu, nesta quinta, pela Libertadores, o técnico tricolor Ney Franco já estava no vestiário. Sem condições de julgar o lance, o jeito foi acreditar nas testemunhas. O volante Fabrício e o lateral-esquerdo Carleto, que estavam ao lado do atacante na reclamação, no centro do campo, afirmaram que o Fabuloso não passou dos limites. Foi respeitoso e não merecia ter sido expulso.

Ney Franco acreditou nos atletas. Segundo ele, a forma como o árbitro comandou todo o jogo, conivente com a catimba dos argentinos, inclusive sem ter distribuído cartões aos adversários quando eles reclamaram no intervalo, e pelo pênalti de Cortez, ajuda a inocentar seu atacante.

Além disso, o técnico citou a forma como Luis Fabiano tem se esforçado para acabar com os cartões. Ney disse que o atleta está controlado, e que conversaram bastante sobre o assunto, principalmente após o cartão vermelho recebido na final da Sul-Americana do ano passado, diante do Tigre.

– Os jogadores disseram que ele não fez nada além de pedir uma explicação, mas muito tranquilamente. Foi uma extensão da arbitragem do jogo inteiro. Ele está trabalhando muito essa questão dos cartões, torço para que tenha sido uma injustiça, e acho que foi, porque ele está se esforçando. A reclamação era com os minutos de acréscimo. Poderia ter sido mais – afirmou o treinador, que nem citou qualquer tipo de punição ao camisa 9.

Questionado se Luis Fabiano tem de ser orientado a não falar mais com quem apita os jogos, Ney Franco afirmou que o futebol brasileiro está com uma imagem ruim perante à arbitragem, principalmente em razão de jogadores que se atiram muito, na tentativa de cavarem faltas.

– O futebol brasileiro está marcado e em alguns momentos provocamos isso. Às vezes, há faltas claras sobre jogadores nossos, mas o juiz acha que é encenação. Acredito que ele não tenha passado do ponto. Reclamou como outros reclamaram.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*