Michel Bastos lembra período no Tricolor, se emociona e desabafa

A vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o São Paulo foi especial para um personagem: Michel Bastos, que ano passou jogou no Tricolor, onde passou por um momento conturbado na equipe. Emocionado, o atleta comentou após a partida sobre o período complicado que viveu em sua carreira.

“Eu me emociono um pouco, porque tenho 15 anos nessa profissão e passei um momento bastante difícil na minha carreira. Até hoje, não falei nada, não dei minha opinião sobre o assunto por que eu acho que não vale mais a pena. Eu me emociono por ter passado pelo que eu passei e hoje estar vestindo a camisa de um grande clube que é o Palmeiras. Estar mostrando o meu futebol e fazer uma coisa que eu gosto, uma coisa que me privaram um pouco no ano passado”, afirmou.

O atleta defendeu o São Paulo entre as temporadas de 2014 e 2016. Questionado por parte da torcida tricolor, o meia chegou a ser agredido durante uma invasão de torcedores organizados ao CCT da Barra Funda, coincidentemente vizinho da Academia de Futebol. Após a vitória deste sábado, Michel comentou sobre o momento em que ficou sem atuar no São Paulo.

“Tenho um pouco de responsabilidade nisso pois fiz uma coisa que eu me desculpei. Acabei pagando muito por um gesto (mandar a torcida do São Paulo calar a boca) que às vezes acontece, mas a gente se emociona pelo fato de estar conseguindo dar a volta por cima depois de tudo o que aconteceu”, comentou Michel.

 

Sobre a fama de ser um jogador ruim de grupo, o meia questionou a afirmação. “Questionam (minha contratação pelo Palmeiras) pelo fato de terem falado muitas coisas sobre a minha pessoa, sobre eu ser um jogador que não é bom de grupo. Graças a Deus, por todos os clubes por onde passei fui uma referencia, não sei de onde tiraram isso, mas não consegui achar a resposta”, disse.

“Não adianta vir aqui ficar falando e talvez revidar certas coisas que falaram sobre mim. Eu vou mudar essa situação dentro de campo, dentro do grupo do Palmeiras, mostrando que eu sou um cara que sempre fui de grupo, nunca fiz rixa, nunca tive problema com nenhuma pessoa nos clubes onde passei”, completou Michel Bastos.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

 

Nota do PP: esse tipo de mimimi quem deveria fazer é quem está desempregado, quem não tem comida para por na mesa para os filhos, quem está na fila do posto de saúde esperando vaga para ser atendido, não um canalha que ganhava R$ 400 mil por mês e fez o que fez no São Paulo. Vá para o inferno, chinelinho mascarado. Desculpem o desabafo de um são-paulino que sofreu ao ver esse cidadão humilhar nosso manto soberano e sagrado.

5 comentários em “Michel Bastos lembra período no Tricolor, se emociona e desabafa

  1. Esse cara não ganhou nada, ainda mandou a torcida calar a boa, vamos dar o troco bem dado, vamos tocar de calcanhar e colocar um aparelho de Fax no final do Jogo.
    Achei uma atitude medíocre do PPW ontem no intervalo, colocar os gols de cobertura que fizeram, quando o São Paulo ganhar vamos pedir para colorem o video do Mundial deles! Globosta fdp!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*