Exclusivo: Tricolornaweb tem acesso aos detalhes finais do caso Cimerman

O Tricolornaweb acaba de ter acesso, com exclusividade, do relato minucioso feito pelo diretor de Comunicação e Marketing do São Paulo, Márcio Aith, sobre o que se apurou do caso envolvendo o ex-gerente de Marketing, Alan Cimerman, demitido por justa causa por conta de fraudes no show do U2, em outubro próximo, no Morumbi.

Aith fez o relatório em termos de carta e encaminhou ao presidente Leco e se colocou à disposição do Conselho Deliberativo para prestar as devidas explicações sobre o fato, na reunião marcada para a próxima semana. Abaixo o teor da carta que divulgamos com exclusividade:

“Ao Ilustríssimo Senhor Carlos Augusto de Barros e Silva, Presidente da Diretoria Executiva do São Paulo Futebol Clube

Transmito a V.S.ª os fatos abaixo descritos, apurados pela Diretoria Executiva de Comunicação e Marketing do SPFC, que levaram a direção de nosso clube a demitir, por justa causa, o Sr. Cimerman, Gerente de Marketing, bem como a solicitar a abertura de um inquérito policial no Departamento Estadual de Investigações Criminais – DEIC.

Registro, desde já, estarmos à disposição de todos os Conselheiros para prestar os esclarecimentos adicionais desejados, assim como já nos dispusemos a fazê-lo na reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do dia 21 de Agosto de 2017.

Importante iniciar o relato salientando que, apesar da gravidade e da publicidade dadas ao caso, o SPFC não sofreu qualquer prejuízo direto, visto que as práticas infracionais, embora tenham prejudicado terceiros, em benefício direto do Sr. Cimerman, puderam ser amplamente comprovadas antes de consumadas contra o clube.

Em breve resumo, o Sr. Cimerman obteve ilegalmente, na conta pessoal de uma familiar de primeiro grau, depósitos de pelo menos cerca de R$ 1,5 milhão. Esses depósitos foram feitos por terceiros, aos quais o Sr. Cimerman prometera a “venda” de ingressos e o “aluguel” de camarotes para os shows da banda irlandesa U2 (nos dias 19, 21, 22 e 25 de outubro) e do músico norte-americano Bruno Mars (22 e 23 de novembro).

Os crimes restaram provados por meio de cópias de recibos de depósitos e de conversas em áudio e texto (do aplicativo WhatsApp) exibidos espontaneamente por terceiros prejudicados à Diretoria do SPFC, e, posteriormente, entregues ao DEIC. Nas conversas, o funcionário demitido admite ter enganado o clube, falsificado documentos e assinaturas e se beneficiado financeiramente dos atos delituosos que praticou.

Os ingressos prometidos pelo Sr. Cimerman seriam desviados de lotes de ingressos de cortesia habitualmente entregues ao SPFC pela produção de shows; já os espaços de camarotes oferecidos pelo ex-gerente, localizados no Estádio do Morumbi, são de propriedade do clube. Registre-se que os ingressos de cortesia, ainda não emitidos, serão entregues ao SPFC somente em meados de setembro.

Para atingir o seu objetivo, o Sr. Cimerman, a quem competia funcionalmente a comercialização de espaços durante eventos, planejava forçar o clube a firmar um contrato de cessão de nove camarotes, no valor de R$ 189.000,00 (cento e oitenta e nove mil reais), contrato esse entre o São Paulo Futebol Clube e uma empresa intermediária.

Os mesmos camarotes seriam mais tarde sublocados (com direito aos ingressos) a terceiros a valores exorbitantes. Depósitos antecipados chegaram a ser feitos em uma conta pertencente a uma integrante da família do Sr. Cimerman.

Como bem sabe V.S.ª, a diretoria comunicou a Presidência tão logo surgiram os primeiros indícios, e dela recebeu a orientação de apura-los até o fim, sem qualquer constrangimento nem limites pessoais. Dos demais diretores recebeu a discrição e o apoio técnico necessários para a apuração do caso – apuração esta que, agora, está a cargo do DEIC.

Embora reconheçam a gravidade do episódio, colaboradores, parceiros e patrocinadores do SPFC demonstraram satisfação com a pronta reação da direção do SPFC.

Marketing não se faz apenas por meio da promoção de bons ativos – dos quais, diga-se, o SPFC está repleto – mas, também, do combate intransigente a desvios éticos.

Cordialmente,

Marcio Aith”

Até onde apurei, nas investigações feitas dentro do São Paulo, outros fatos surgiram envolvendo outros nomes de peso no clube, que cometeram ilícitos quase idênticos em shows passados. Ainda não posso revelar esses nomes, haja visto que o trabalho de investigação dentro do clube continua. Mas tenham certeza que, quando as últimas provas chegarem e eu puder bancar a informação, não exitarei em fazê-lo. Afinal, o Tricolornaweb é o site que está com o São Paulo. E já sabem: lesou o clube, me lesou duas vezes, pois sou sócio e torcedor.

 

Paulo Pontes

6 comentários em “Exclusivo: Tricolornaweb tem acesso aos detalhes finais do caso Cimerman

  1. Muito boa publicação, agora pergunto: e o Aidar, e o Ataíde, e o Jack, ninguém diz nada? Caiu no esquecimento? Mesmo agora quem responde pelo Maicossuel? Onde eu trabalho sou responsável por tudo que faço e sou penalizado pela empresa se cometer algum erro. Neste caso ninguém é responsabilizado?

  2. Boa, PP!!!
    Tem que ir até o fundo dessas investigações e, assim que mais provas forem produzidas, dar nomes aos FDP LADRÕES.
    Isso é que dá entregar o clube nas mãos de pessoas que não tem uma história de serviços prestados à instituição.

  3. Parabéns ao Tricolornaweb. O negócio é continuar investigando. Provavelmente, a separação que querem fazer das partes, social e futebol, deve ser para evitar que os associados inquiram sobre a contabilidade maquiavélica do último.

    Enquanto o São Paulo não é transparente, dificilmente teremos um patrocínio master à altura da sua história e torcida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*