Em situação idêntica, São Paulo pode se espelhar no Corinthians de 2006

O São Paulo pode se espelhar em um rival para conseguir fugir do rebaixamento para a Série B do Brasileirão em 2013. Em 2006, o Corinthians viveu situação idêntica à atual do clube do Morumbi: 19º lugar, com nove pontos conquistados em 12 jogos, e conseguiu se recuperar até o fim do torneio.

A recuperação do Corinthians, no entanto, foi lenta. O clube disputava a Libertadores, deu prioridade ao torneio, e foi eliminado nas oitavas de final, pelo River Plate (ARG). Coincidência ou não, o São Paulo também disputou a competição em 2013 e, da mesma forma, caiu nas oitavas para o Atlético-MG.

Como depositou todas as forças na Libertadores, o início do Corinthians no Brasileirão de 2006 foi abaixo do esperado. Depois da penúltima posição em 12 jogos, o rival são-paulino ocupou a lanterna da tabela de classificação até a 16ª rodada. A reação que salvaria o clube só aconteceu, de fato, a partir da 30ª rodada. Em oito partidas, pulou da 17ª para a 9ª posição, e assim terminou o campeonato.

O rival mostra que o São Paulo tem totais condições de repetir o feito em 2013, mas precisa reagir para isso. Para terminar acima dos quatro rebaixados, o São Paulo precisa aproveitar 45% dos pontos a partir de agora – até então, conseguiu apenas 25%. Em 2006, porém, o Corinthians trocou duas vezes de técnico durante a campanha. Começou com Ademar Braga, teve Geninho, e se salvou com Emerson Leão. O São Paulo trocou de Ney Franco para Paulo Autuori.

Desde 2006, quando o Brasileirão assumiu o atual formato, com 20 equipes, três outros times além do Corinthians viveram a mesma situação, de nove pontos nos 12 primeiros jogos. O Fluminense, em 2008, se salvou: reação a partir da 30ª rodada e conclusão de torneio em 14º.

O Santa Cruz, em 2006, e o Náutico, em 2009, no entanto, não tiveram mesma sorte e competência. O primeiro tentou reagir até a metade do torneio, mas não largou mais a lanterna a partir do início do segundo turno, posição na qual terminou o torneio. O Náutico brigou até o fim, chegou a deixar a zona de rebaixamento, mas a partir da 25ª rodada não conseguiu mais sair da degola.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.