Dorival exalta liderança de Lugano, mas não acena com oportunidade

Os últimos meses de contrato do zagueiro Diego Lugano com o São Paulo caminham para um fim melancólico. Aos 36 anos, o uruguaio exerce importante liderança em momento complicado do time tricolor, segundo o técnico Dorival Júnior. No entanto, o sucessor de Rogério Ceni ainda não o utilizou nem uma vez sequer.

Desde a chegada do treinador, em 10 de julho, o São Paulo disputou 13 partidas. Para cinco delas, Lugano, cujo vínculo com o clube se encerra em dezembro, não chegou nem a concentrar com o grupo. Ora pelo limite de jogadores estrangeiros, ora por suspensão. Nesse período, no banco de reservas, ainda foi advertido três vezes com cartão amarelo por atos de indisciplina.

“O Lugano tem sido fundamental em todo esse processo, uma pessoa que me surpreendeu pela postura. Um jogador que defendeu uma seleção sul-americana por três Copas do Mundo…Não é para qualquer um”, ressaltou Dorival, em entrevista ao canal Sportv.

A última aparição do veterano defensor ocorreu naquela que foi a despedida de Ceni, em 2 de julho, na derrota por 2 a 0 para o Flamengo, no Rio de Janeiro. Questionado sobre como poderia utilizá-lo dentro de campo, o novo comandante despistou. No momento, Lugano está entre a quarta e quinta opções para a zaga, tendo à sua frente os titulares Robert Arboleda e Rodrigo Caio, além de Bruno Alves. Outro que tem sido preterido por Dorival é Aderllan, que, após quase três meses de sua contratação, não conseguiu estrear com a camisa tricolor.

“É um profissional acima da média em relação à postura, liderança, potencial técnico. É natural que, um pouco mais jovem, tenha sido ainda melhor. Mas é um jogador que tem sido fundamental no dia a dia, pela maneira como tem se comportado e exemplo que tem dado”, avaliou Dorival, que conta com Lugano na luta contra o rebaixamento do São Paulo, que, a 13 rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, ocupa o 17º lugar, com 28 pontos.

“Ele está entendendo o momento da equipe, a própria situação. De repente fiz, sim, a opção por um ou outro nome em detrimento do Lugano, mas ele sabe que ainda assim tem sido fundamental em todo esse processo. Por isso, tenho grande respeito pelo profissional que ele é”, elogiou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Dorival exalta liderança de Lugano, mas não acena com oportunidade

  1. Na realidade o Lugano exerce um cargo inexistente no S.Paulo: o de líder de equipe; e ganha uma nota preta para isto. Isto é reflexo da administração dúbia; do treinador amigo, RCeni, e de pressão exercida por torcedores idólatras que não medem consequências para terem seu ídolo com a camisa. O Lugano está “na dele”; ele não é louco para rasgar dinheiro e fez seu charme para a renovação. Agora este fim melancólico como jogador – não conseguir ser titular de um time que luta para não cair pra segundona.
    Como jogador fui contra sua contratação e renovação. Gostaria de vê-lo exercendo um cargo de auxiliar de treinador ou algo que possa aproveitar sua experiência como jogador ganhador, sua liderança entre os boleiros e, principalmente, seu amor pelo clube. Lógico que com salário devido!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.