De volta, Luis Fabiano e Emerson tentam provar que são indispensáveis

Luis Fabiano e Emerson serão as novidades ofensivas de São Paulo e Corinthians, respectivamente, no clássico desta quarta-feira, no Morumbi. Em uma partida decisiva para o grupo 2 da Copa Libertadores da América – e para resgatar a confiança de suas equipes –, os dois veteranos atacantes terão a oportunidade de provar que ainda são indispensáveis.

No domingo, dia em que São Paulo e Corinthians acabaram eliminados do Campeonato Paulista, Luis Fabiano já havia se mostrado importante ao marcar o gol do seu time na derrota por 2 a 1 para o Santos. Ele começou o jogo na reserva, como tem ocorrido sob o comando de Milton Cruz, porém conseguiu arrancar elogios do treinador interino: “É um jogador de que a gente precisa, uma referência”.

Mais cedo, Emerson nem sequer pisou no gramado de Itaquera diante do Palmeiras. O Sheik recebeu um cartão amarelo por “certa displicência”, como definiu, diante da Ponte Preta e precisou cumprir suspensão automática justamente no Derby. Acabou bem substituído pelo colombiano Stiven Mendoza, autor de um belo gol no primeiro tempo.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Novamente titular, Luis Fabiano pretende se reerguer junto com o São Paulo na ausência de Alexandre Pato

Nesse novo clássico, no entanto, Luis Fabiano e Emerson têm presença assegurada. E o adversário não poderia ser melhor para o são-paulino, que ocupará a vaga de Alexandre Pato, impedido de disputar o Majestoso por um acordo contratual. Terceiro maior artilheiro da história do seu clube, com 202 gols em 324 jogos, ele já anotou oito vezes sobre o Corinthians – só marcou mais contra Santos (nove) e Vasco (dez).

Emerson também não fica parado na esquina, conforme gosta de comemorar o centroavante do São Paulo. Revelado no clube do Morumbi, o Sheik avisou já após o empate sem gols com o San Lorenzo: “Gosto de jogo decisivo”. Na ocasião, ainda teria ouvido do antigo desafeto Matías Caruzzo (que mordeu na final da Libertadores de 2012) um pedido para colaborar com uma eliminação precoce do rival paulista. “Ele disse que tem uma grande admiração pelo meu futebol”, gargalhou.

Os admiradores de Luis Fabiano já foram maiores. Antes da vitória por 2 a 1 sobre o Danubio, o presidente Carlos Miguel Aidar avisou que não colocaria qualquer empecilho para a saída do atacante no final do ano, quando vencerá o seu contrato. Com chances de rumar para o norte-americano Orlando City, clube de Kaká, o atleta de 34 anos não gostou da declaração e rebateu que poderia deixar o Morumbi imediatamente, se essa fosse a vontade da diretoria. O mandatário recuou.

Já Emerson chegou a ser dispensado pelo técnico Mano Menezes, a quem não poupou de críticas, no ano passado. Acabou emprestado ao Botafogo, clube em que fez novas inimizades, e retornou ao Corinthians a pedido de Tite. Iniciou bem a temporada – com direito à jogada (com reclamação de falta no lateral direito Bruno) que resultou no gol de Jadson na vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo pela Libertadores. E voltou a enfrentar cobranças por seus recorrentes atrasos, ficando fora do triunfo por 1 a 0 em cima do San Lorenzo, em Buenos Aires.

Com contrato válido até 31 de julho, Emerson também deixou de ser prioridade para a direção do Corinthians. O presidente Roberto de Andrade quer pagar as duas dívidas com o elenco e depois chegar a um acordo para a manutenção do centroavante peruano Paolo Guerrero, ainda com dengue, antes de negociar com o Sheik.

O futuro dos dois veteranos, contudo, poderá ganhar outros rumos neste meio de semana. Para isso, uma boa atuação no Majestoso do Morumbi, que definirá a classificação de São Paulo ou San Lorenzo às oitavas de final da Libertadores, é indispensável.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “De volta, Luis Fabiano e Emerson tentam provar que são indispensáveis

  1. Duvido que o LF faça a diferença hoje, é um morto que fica esperando a bola no pé e fica assistindo o jogo de dentro do campo, minha paciência com esse cara já acabou, pode ir embora, não deixará saudades.

  2. Emerson no Curintias é uma peça fundamental, pode até as vezes nao jogar nada, mas tem na provocacao sua maior arma e fazer-se de morto e dar o bote nos jogadores palermas como temos no nosso time, joga sempre no erro do adversario e assim se dá bem, ao contrario do LFP que fica na maioria das vezes esperando a bola no pé, e ai fica sempre impedido, ou faz falta, pq joga de pivô.
    LFP pode ir embora nao fara falta nenhuma temos jogadores melhores que ele, LFP artilheiro dos gols inuteis, nunca foi campeao de nada, seus gols nunca ajudaram o tricolor a ganhar nada, e nao sei se sera diferente hj.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*