Após demitir Leão, São Paulo pena para achar substituto

O São Paulo tomou a decisão nesta terça-feira de demitir o técnico Emerson Leão sem ter um substituto na manga. E, pelo visto, não deve definir nesta quinta-feira. O UOL Esporte apurou que a cúpula do Tricolor pena para achar um novo treinador por temer um novo erro na escolha. A falta de um foco é outro entrave que atrapalha uma definição rápida.

A cúpula do futebol está dividida sobre a definição de um nome. O vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, apoia a escolha de um técnico estrangeiro. O diretor de futebol, Adalberto Baptista, era um entusiasta do nome do técnico André Villas-Boas, ex-Chelsea e que recusou vir para o São Paulo agora (só aceitaria em 2013). Uma vertente no clube defende o nome de Marcelo Oliveira, atualmente no Coritiba. Atualmente no Guarani, Vadão foi citado por alguns conselheiros.

Enquanto um nome de consenso é definido, o interino Milton Cruz seguirá no cargo. Ao menos no discurso, ele terá a tranquilidade para continuar independente dos resultados ruins, que segundo os diretores não irão apressar a escolha do novo técnico.

Ao mesmo tempo que corre contra o tempo para a fechar com um novo nome, a diretoria do São Paulo luta contra a ansiedade para poder escolher alguém de impacto e que chegue para resolver. Após o fracasso com Leão, um novo erro não é permitido.

“Vou tentar errar menos. Preciso mudar porque não está bem. Mídia, torcida e pesquisas de opinião nos dizem que as coisas não estão boas. Então precisa mudar, porque agora tem plantel competitivo”, admitiu o presidente Juvenal Juvêncio nesta terça-feira.

Desde que demitiu o técnico Muricy Ramalho em 2009, Juvenal já tentou diferentes perfis de treinador para comandar o São Paulo, e em todos foi mal sucedido: disciplinador (Emerson Leão), nova geração (Ricardo Gomes), veterano (Paulo Cesar Carpegiani), aposta das categorias de base (Sergio Baresi) e em má fase na carreira (Adilson Batista).

“O [próximo] técnico precisa conhecer muito, ter comportamento. Aqui não deixamos falar para contratar. Tenho em casa melhor do que isso”, avisou Juvenal em coletiva.

O presidente do São Paulo deu outras pistas do que irá tentar, apesar de ainda não ter a estratégia definida. “Tem que ser em prazo curto e um técnico um pouco melhor que o razoável. Do estrangeiro agora não vem, mas admito no futuro que venha. É um risco enorme. Agora não, vem um brasileiro que não sei nome, vou procurar”.

Fonte: Uol

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*