Após conversa com Ceni, fã lamenta: “Não tem jeito. Ele disse que vai parar”

Emerson Souza é mais um são-paulino que tem como ídolo o goleiro Rogério Ceni. Mas sua paixão foi além e o fez até tatuar no braço uma das imagens mais emblemáticas do camisa um, levantando o troféu de campeão da Libertadores, de 2005. E mais: ele batizou o filho como Rogério Ceni Souza e, com isso, mais uma tatuagem nas costas, com o nome dos dois.

Ribeirão-pretano, Emerson foi à porta do hotel nesta quarta-feira, dia em que o Tricolor enfrenta o Bragantino, no estádio Santa Cruz, pela Copa do Brasil, em busca de mais uma foto. O sexto encontro entre fã e ídolo rendeu fotos, uma rápida conversa e uma constatação que ele preferia não ter: Rogério Ceni vai mesmo parar no fim deste ano.

– Pedi para ele jogar por mais seis meses, mas não vai ter jeito. Ele disse “não tem jeito, preciso parar”. Pra mim é muito triste. Até chorei quando vi matérias e entrevistas dele, confirmando a aposentadoria. Ele está bem decidido, lúcido. Não tem jeito. Ele disse que vai parar – lamentou o torcedor, que tirou uma foto ao lado do “Mito”, com o filho Rogério Ceni no colo.

Antes do contato com o ídolo, Emerson teve de esperar aproximadamente quatro horas e, enquanto aguardava, notou que o goleiro não saia do telefone. Pelas contas do torcedor, foram exatas duas horas de uma conversa que não parecia boa.

– Ele ficou no saguão o tempo todo, falando com a cabeça baixa. Conheço o Rogério, acompanho ele desde o começo da carreira e sei que ele não está bem. Não perguntei, não deu tempo, mas ele está triste, chateado. Não era por causa dos torcedores. É algo pessoal, particular – disse Emerson, que estará no estádio Santa Cruz, acompanhando o primeiro duelo entre os paulistas pela terceira fase da Copa do Brasil.

Fonte: Globo Esporte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*