Aidar se diz indeciso sobre chance de Ceni continuar jogando em 2015

Carlos Miguel Aidar, torcedor do São Paulo, quer que Rogério Ceni continue jogando. Carlos Miguel Aidar, presidente do Tricolor, não sabe. Em entrevista ao Esporte Espetacular neste domingo, o mandatário são-paulino deixou uma dúvida no ar sobre o interesse do clube em querer que o goleiro jogue por mais uma temporada e voltou a falar em uma possível rescisão de contrato com a Penalty, fornecedora de material esportivo.

– Eu, como torcedor, ficarei muito feliz – afirmou Aidar ao responder se gostaria de ver Ceni usando a camisa 01 em 2015.

Mas e como presidente?

– Não parei para pensar… Como presidente do clube ainda não parei para pensar. Estou esperando a decisão dele – disse Aidar.

Essa é a primeira vez que o dirigente fala publicamente algo que sempre foi explícito para seus pares na administração do clube. O presidente não é totalmente favorável à permanência do goleiro, mas sabe que compraria uma enorme briga com a torcida se optasse por não renovar o contrato de um dos jogadores mais importantes da história do São Paulo.

– Primeiro precisa ver se vai haver o acerto. Isso vai depender de consultar a comissão técnica, departamento de futebol… A decisão não é minha. Eu não tomo nenhuma decisão isolada. Se depender de alguns diretores meus, todos querem que o Rogério fique, com certeza. Mas não podemos tomar decisão sob emoção. Nem sempre a decisão sob emoção é a decisão correta. É preciso refletir com calma e ver o que é melhor para as duas partes, para o atleta e para o clube – disse.

Ceni, que chegou a anunciar o adeus para dezembro, ao que tudo indica agora tem dúvidas sobre o futuro. O goleiro deixou de dizer em suas entrevistas que aposentará as luvas após a atual temporada.

Na entrevista ao EE, Aidar também criticou a Penalty por ter divulgado na semana passada um convite chamando a imprensa para a entrevista coletiva em que Rogério Ceni anunciaria a aposentaria e apresentaria uma camisa de despedida. O fato só serviu para piorar a relação entre clube e fornecedora. Os advogados do Tricolor tentam encontrar uma brecha para romper o contrato, firmado até dezembro de 2015.

– O Rogério está muito magoado com a empresa, porque ela anunciou a paralisação da carreira dele sem consultá-lo e o fez sem falar com o São Paulo, como se o assunto Rogério Ceni/São Paulo já estivesse decidido, e não está. Sei que o Rogério não tem mais nenhuma intenção de participar de entrevista coletiva, isso para mim ficou bastante claro. Mas ele já gravou um comercial, eu sei que a empresa já vendeu aproximadamente 20 mil camisas da despedida dele, são camisas especiais. O São Paulo tem contrato com a empresa, vai cumprir o contrato, a não ser que possa rescindi-lo antes. Para isso, o departamento jurídico está estudando o caminho. Mas de qualquer maneira, ainda que haja a rescisão antes, só acontecerá no final deste ano e não no final do ano que vem, como está previsto – disse Aidar.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*