Tu és forte, tu és grande!

Nosso Tricolor é grande, mas precisa voltar a se comportar como grande. Atuar como grande no futebol é estar no centro das atenções, disputar títulos, mas para tanto, deve ser protagonista no mercado da bola. No mínimo brigar palmo a palmo pelos melhores atletas. Coisa que já fez muito no passado, quando foi buscar Careca, a peso de ouro no Guarani. Quando foi aos EUA repatriar Oscar. Assim como fez com o jovem talento Raí, a revelação mais preciosa da época. Para os mais novos, relembremos a contratação de Junior, lateral esquerdo, ex-Palmeiras, então na Europa. A compra de Cicinho, também novo jogador que chamava a atenção dos grandes clubes.

Os tempos mudaram, gestões pífias esvaziaram o cofre tricolor, a estratégia e visão da representatividade da equipe no cenário nacional ficaram estáticas, transformando a instituição num coadjuvante.
Verdade, temos um bom trabalho na base, times sub-isso, sub aquilo, ganhando campeonatos, mas suas jovens promessas não rendem o esperado, porque são lançadas ao time de cima sempre em cenário desfavorável, com a obrigação de serem o destaque técnico de combalidos elencos quase sempre formados por jogadores medíocres, mesclados a veteranos que não suportam mais do que um tempo de jogo. E se não salvam a performance do time profissional, acabam sendo vendidos na primeira janela, a fim de servirem como caixa para pagamentos de juros e… os jogadores medíocres e veteranos, contratados muitas vezes aos montes, e a preço de ouro. Entra ano, sai ano, e o ciclo se repete numa angustiante situação para o torcedor.
O São Paulo, em seu Conselho, precisa de alguma maneira oferecer ao mercado um projeto para captação de dinheiro, uma injeção de valores que o possibilite zerar as dividas e contratar ao menos três ou quatro jogadores de grande referencia técnica e de liderança. Nada contra Leo Pelé que nunca vi jogar ou outros desconhecidos. Apostar no novo faz parte, desde que amparados por boas informações. O problema é que não se ouve há muito tempo o São Paulo na briga por grandes atletas, a não ser aqueles que aqui já jogaram e vem fazer a caridade de retornar ao clube de origem desde que o seu clube proprietário arque com a maior parte dos salários.
A volta do São Paulo ao patamar dos grandes “players” atrairá o torcedor, que irá mais ao Morumbi (agora, com metrô), venderá mais camisas, puxará patrocínios mais valiosos, possibilitará a modernização do Morumbi, entrando num ciclo de positividade que, se bem administrado, naturalmente levará ao clube a conquistas.
Se eu temo que isso nunca venha a acontecer? Baseando-se em tudo que vimos na gestão são paulina na ultima década, como não temer?
***Radialista desde 1987, Sombra passou por várias emissoras de São Paulo nas mais diferentes funções. Em sua primeira emissora, Jovem Pan 2 (89 a 90), iniciou como assistente de promoção e produtor do programa Radio Flight, então capitaneado por Julinho Mazzei, ícone do FM. Na sequência, ocupou o cargo de programador e coordenador de promoção das rádios Manchete (90 a 91) e Nova FM (92 a 94), transferindo-se para a então 97FM, nas mesmas funções. Em 1999, idealizou o programa Estádio 97 e no mesmo ano se tornou coordenador artístico da emissora, onde está até os dias atuais.

12 comentários em “Tu és forte, tu és grande!

  1. Sombra, vc foi muito feliz nos exemplos…
    Raí era uma revelação com potencial. Tanto que demorou para engrenar.
    Careca já era uma realidade…
    Junior, um veterano consagrado, de seleção brasileira. Chegou ao SP com mais de 30 anos.
    Cicinho, jovem pouco conhecido, a 3 anos oscilando no Atlético (incluindo um empréstimo para o Botafogo).

    Qual a conclusão? O SP precisa contratar diferentes perfis de jogadores. Não da pra trazer 5 Carecas. Mas também não podemos nos contentar com 5 Cicinhos e nem com 5 Juniors. Precisa existir um equilíbrio e a torcida precisa ajudar, com um pouco mais de paciência com os jogadores jovens.

    Hoje me incomoda a torcida concluir com 5, 6 jogos que um jogador de 21 anos com potencial como o Éverton Felipe não presta pro SP, e vaiar o garoto quando ele entra em campo… Ou receber o Léo Pele e o Igor que são jovens com mensagens negativas, de que não servem pro clube, etc etc… se existissem redes sociais no passado, o Palhinha, França e Lugano não teriam sido o que foram pro clube.

  2. Infelizmente enquanto estivermos sob a “batuta” desse “paraquedista do ludopédio”, não tenho nenhuma esperança de melhora…somente a partir de 2020, ou se a providência nos sorrir, poderemos voltar a termos um time de futebol competitivo…

  3. Sombra… penso igual… e só acrescento que na América do sul somos compradores ra certo… se temos 5 vagas ora estrangeiros, vamos ocupar com bons jogadores… arboleda e rojas hj são bons nomes dentro do time. Trazer alguns bons nomes do exterior tbm, mas sem ser fim de carreira… e deixa a base compor o restante… pq montar um time bom hj só com brasileiros… na minha opinião… só a seleção brasileira e naquelas ainda… o futebol morre um pouco a cada dia por conta de gestões horrorosas e arcaicas e pelos empresários que levam nosso futuro pra outro país. Ah e vale ressaltar que a torcida tbm colabora… jogador tem que entrar e decidir senão nao serve… e isso é feito com os jovens… absurdo!… cobrem os medalhões que correm 1 tempo… que correm só na boa como o Sr jucilei… que deve perder posição pro Luan… e o que se espera pelo menos… o são paulo campeão do mundo em 2005 não era o melhor time do mundo… o de 92 e 93 foi sim o melhor time do mundo… e tínhamos material humano pra bater de frente la fora… hj em dia… com muita sorte se ganha de 1 x 0 tomando um sufoco. Isso quando não perde na semifinal pra times de outros continentes, o que não é surpresa ao meu ver, pq nosso futebol está pobre física, técnica e mentalmente falando… pq hj se prefere cair e tentar cavar um oenalru do que prosseguir e tentar o gol. E nem acho que os técnicos daqui são menos que os de la não… matéria humano daqui não se compara aos de lá e aí tá a diferença. Abraços aos tricolores. Abraço sombra, sou um grande admirador do seu trabalho. Vc e sério.

  4. É Sombra… Tenho que como que recorro a mídias de vídeos antigo pra relembrar o que era jogar como grande… Vamos torcer pra que nesse próximo ano tenhamos um time digno

  5. Realmente tudo isso que o Sombra colocou é fruto de uma péssima gestão (Leco) realizada desde a época do Sr. Juvenal, que ganhou três Brasileiros seguidos, mas que por outro lado acabou com a saúde do clube. O Leco fez a pior gestão de todos os tempos, vou citar alguns casos:

    Piores contratações e custos altos
    Perdemos a maioria dos clássicos
    Todos os tabus que tínhamos foram quebrados

    Precisamos de uma gestão que tenha capacidade de inovar, que seja unida e que ame o São Paulo, assim voltaremos a lutar por títulos.

    • Eu sou o único torcedor que acha que 2018 é um ano para se comemorar e que faz elogios ao trabalho do Rai e do Lugano. Raí pela conquista da vaga da libertadores, e Lugano por trazer de volta ídolos do passado pra perto do SP… vi uma foto do Palhinha que estava brigado com o SP a muito tempo, sendo homenageado no memorial… Lugano é o cara…

      Foram dez anos de destruição total com esses canalhas no poder, incluindo claro o Leco (gêmeo do Temer) que abafou os casos de corrupção, e trouxe ídolos pra acalmar a torcida…

      E fim, tenho esperanças que 2019 seja mais um ano de evolução e aí sim com disputa de título…

  6. Sombra, tenho 40 anos e vi bons jovens se formarem no Morumbi e os que obtiveram sucesso jogando futebol, foi os que chegaram sem responsabilidade no clube, pois já existiam jogadores para segurar a bomba, foi o caso dos menudos, onde tinha uma estrutura pronta para os jovens jogarem: Gilmar (experiência em time grande), Zé Teodoro e Nelsinho (titulares por alguns anos no clube) Dario Pereira (jogador incontestável, mas que no inicio de carreira sofreu até se transformar em zagueiro) Oscar (jogador consagrado na época), Falcão (rei de roma) Pita (craque de bola) Careca (craque de bola), em uma estrutura desta foi “fácil” para o Cilinho colocar os jovens Bernardo, Sidney, Silas e Müller. Se tivesse uma maquina do tempo e colocassem estes jogadores 32 anos depois o que seriam destes jogadores?
    Chegariam com pressão para resolver e seria jogados aos leões pela falta de títulos.
    Em minha opinião a base serve para suprir o time principal e compor elenco até amadurecer profissionalmente e quando aparecer “fora de série” jogar de titular. Mas hoje é impossível fazer isto, pois antes do jogador amadurecer será orientado pelo empresário para pedir cifras astronômicas ou não renovar para sair de graça ou se fosse um fora de série seria vendido com três meses de profissional.

  7. Essa é uma ótima análise panorâmica do nosso SÃO PAULO FC. Caro Sombra, estou lhe aplaudindo de pé! Escreveu e sintetizou tudo o que penso sobre o nosso atual estágio. É isso… nada a acrescentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*