Tu és forte, tu és grande

Tenho que confessar que está sendo difícil escrever sobre o São Paulo e não lembrar de domingo. Imaginei chegar aqui, escrever sobre o início do Brasileirão e esquecer o que passou, mas a derrota ainda incomoda. Derrotas assim são mais difíceis de digerir.

Na história recente, algumas vieram com uma dose de capricho para torturar eternamente. Como por exemplo, a final da Copa do Brasil de 2000, contra o Cruzeiro no Mineirão. O que foi aquilo? Jogo na mão, vencíamos a partida até os 35 minutos do segundo tempo e o empate era nosso. Sim, levamos a virada e ficamos com o vice.

Outra derrota que dá angústia de lembrar é da Libertadores 2008, apesar de não ter sido numa final, deixou um gosto bem amargo.  No Maraca lotado, mesmo perdendo para o Fluminense por 2×1, o São Paulo ia se garantindo na semifinal da competição, até que apareceu o grandalhão Washington para meter a cabeça na bola e fazer o terceiro gol aos 46 minutos da etapa final. Nessa noite eu não dormi.

Once Caldas, Liberta de 2004, 45 minutos do segundo tempo, essa também doeu bastante. Derrotas como essas, fazem a gente voltar no tempo e lembrar exatamente onde assistia, com quem estava, o que fazia…

Porém, nos últimos anos, os Deuses do Futebol têm escrito um destino cruel em finais de jogos do Tricolor. São dois anos seguidos sofrendo gols decisivos do Corinthians na Arena, e naquela mesma trave. Em 2018, Rodriguinho subiu sozinho aos 47 e meio para empatar o jogo, levar a semi do Paulista para os pênaltis e nos eliminar na marca da cal. Agora, Vagner Love faz aos 44. Escrevo e custo a acreditar, não é possível! Prefiro perder de 3×0 a ser derrotado dessa forma.

Que venha o Brasileirão, a Copa do Brasil e um pouco desse capricho a nosso favor. Hora de tentar analisar com a razão e passar uma borracha no que aconteceu, sei que é difícil, pois sempre tem o corintiano da portaria do prédio, da padaria ou do trabalho que vem dar aquela cornetada. Mas também saímos com um saldo positivo disso tudo, enfim, voltamos a uma final, descobrimos jovens talentos, temos contratados para estrear e lesionados para voltar.

Vamos lá, Tricolor!! Diferentemente de alguns meses atrás, agora consigo enxergar um caminho. Tu és forte, tu és grande!!

 

***Idealizador e apresentador do programa esportivo Garotinhos F.C. da Rádio Metropolitana de Mogi das Cruzes(SP), Fred Rezende iniciou na emissora mogiana em fevereiro de 2015, quando criou o projeto em homenagem ao locutor Osmar Santos, “Pai da Matéria” e padrinho do programa. Também faz parte do quadro “Resenha” do Esporte D na TV Diário, afiliada da Rede Globo no Alto Tietê, onde faz aparições falando sobre o São Paulo Futebol Clube, usando sempre uma abordagem divertida e bem humorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.