São Paulo: clube para os melhores

Quem lê aqui minha coluna sabe que defendi a permanência de Aguirre para o ano de 2019, baseado nos resultados do 1º turno, também porque entendia que a ausência de Everton e o pouco qualificado elenco tricolor não oferecia tantas opções, principalmente na meia e pontas.

Passaram-se rodadas e Nenê, que não se machucou, passou a ser opção de banco. Como opção tática Aguirre passou a armar seu time com três zagueiros, três volantes e dois centroavantes, impossibilitando qualquer chance de criação, fazendo com que a equipe fosse dominada pelos adversários dentro de seu próprio estádio.

Àquela altura passei a rever minha boa vontade para com o uruguaio. Que o elenco é mediano, com pouca ou nenhuma reposição de bom nível em várias posições é fato. Mas, daí, a elaborar o time sem um único jogador na função de meio campo, de articulador de jogadas, foi demais. E não foram um ou dois jogos, foram vários. Há de se ter convicção em suas crenças, mas se você observa que o profissional acredita que pode tirar água de um Titanic com um balde, então, o barco vai afundar.

Sim, a tomada de atitudes no meio do segundo turno me desapontaram, culminando na vexatória atuação contra o Corinthians em Itaquera. Como pode um time com um a mais em campo não ter posse de bola, e pior, tomar um gol de um adversário sem marcação, e bem longe do gol? Sem contar a falta de ideia do que fazer com a bola no campo ofensivo. Das duas uma: ou o cara treina e o elenco não entende, ou ensina errado. Ah, “mas mandaram de novo um treinador embora”, “é preciso tempo para mostrar trabalho”, “o São Paulo não é mais o mesmo”. Perdão, mas é balela. No São Paulo, como em qualquer outro time, permanece quem vence, ou quase isso. Muricy, quatro anos à frente do Tricolor. Óbvio, venceu três Brasileiros. Em 2005 retomamos o caminho das conquistas, mas ninguém vai lembrar que em pouco espaço de tempo tivemos uma sequência com Rojas/Milton Cruz, Cuca, Leão e Autuori.

Você vê algum palmeirense reclamando que não deram tempo ao Roger Machado? Não sei se a diretoria do São Paulo é ótima, mas acredito que nessa Raí e Leco acertaram. Manter Aguirre para quê? Para ele continuar com seu esquema Criciuma de três zagueiros e três volantes, sendo que o Tricolor precisa somar vitorias? Ademais, se constataram que o gringo perdeu a mão do elenco, assim como também não viam mais evolução no seu trabalho, por que acreditar que em 2019 agiria diferente?

Jardine é o fato novo que pode dar um gás nessa sobra de campeonato, e tentar colocar o time no G4 da Libertadores, porque abaixo disso o clube do Morumbi terá seu planejamento bem atrapalhado. Para quem nem esperava o time na pré-Libertadores, não pode reclamar do Brasileirão 2018.

Que venha 2019, e que Leco/Raí consigam montar um time competitivo de fato, sob a liderança, se possível, de um técnico que chegue maior que os atletas. Porque mesmo que Jardine seja efetivado, bastarão alguns tropeços no início do ano para que seja dispensado. Até porque há muito tempo muitos torcedores se ressentem da falta de um técnico de primeiro patamar. Estamos sempre fora do timing da “dança dos melhores técnicos”. Não pode se perder a chance de ter os melhores no banco. E no gol também…

 

****Radialista desde 1987, Sombra passou por várias emissoras de São Paulo nas mais diferentes funções. Em sua primeira emissora, Jovem Pan 2 (89 a 90), iniciou como assistente de promoção e produtor do programa Radio Flight, então capitaneado por Julinho Mazzei, ícone do FM. Na sequência, ocupou o cargo de programador e coordenador de promoção das rádios Manchete (90 a 91) e Nova FM (92 a 94), transferindo-se para a então 97FM, nas mesmas funções. Em 1999, idealizou o programa Estádio 97 e no mesmo ano se tornou coordenador artístico da emissora, onde está até os dias atuais.

13 comentários em “São Paulo: clube para os melhores

  1. Tenho o mesmo pensamento que você sombra. E ainda acho que demoramos demais para tomar essa decisão. Eu já teria o feito a partir do jogo do Palmeiras.

  2. infelizmente Aguirre perdeu o vestiário…isso ficou patente…e não há diretor, presidente que segure treinador que não passa mais confiança e deixa jogadores descontentes…

  3. O trabalho do Aguirre era muito bom, pra dizer a verdade excelente… porém ele se perdeu ao tentar achar uma solução para a saída do Éverton. Esse conceito exagerado de jogo a jogo fez ele tomar decisões erradas e que fizeram ele perder o elenco. Tentou Reinaldo, Rojas, Nene, Bruno Peres, Liziero, tirando eles de suas posições, onde estavam muito bem para improvisa-los. Imagina a decepção desses jogadores quando deixaram de receber avaliações nota 8 para improvisador receber nota 3…
    Se pensasse a médio prazo, investiria no Helinho e deixaria ele jogar 4, 5 jogos ruins, e quem sabe teria um reposicao na posição, sem sacrificar todo um time.
    Assim ele perdeu o grupo, perdeu o entrosamento e perdeu o emprego.

  4. Penso q, Raí deveria apoiar Aguirre e conversar com Nenê e quem mais q não estivesse contente, salários estão em dia o mínimo é os caras correr, sempre vai ser assim, jogadores faz bico troca treinador

    • Sinceramente, não sei pq pintam o Nene de vilao.

      Seria vilao se ao invés de reclamar pq quer jogar, ele se internasse no Refis com alguma dor que médico nenhum consiga resolver….

  5. Discordo de absolutamente tudo oque foi escrito!
    Aguirre cometeu alguns erros e isso é um fato, más não se avalia todo um trabalho porque em alguns jogos ele colocou 3 zagueiros (como o sr mesmo disse por total falta de opções no elenco) ou porque adiantou Reinaldo e Bruno Peres ao ataque (também por falta de opções)
    Aguirre chegou a um São Paulo destruído, moral baixa, sem resultados, sem esquema tático e sem jogadores.
    Recuperou Nenê e Diego Souza que eram banco, recuperou Reinaldo que a torcida já queria malhar novamente, “descobriu Bruno Alves perdido no elenco” alçou LUan e Liziero ao time principal (Com ajuda do Jardine) e acertou em cheio a única indicação de contratação que fez (ROJAS).
    Tem 5 derrotas em 33 jogos (Palmeiras duas vezes, time muito melhor, Inter, Gremio e Galo fora de casa (contra Gremo e Galo jogando bem).
    Merecia no mínimo a chance de iniciar o planejamento de 2019 indicando jogadores e dispensando as laranjas podres do elenco.
    Esse seria o papel de uma diretoria diferente, inovadora e com novas ideias, coisa que essa nossa passou longe de ser, infelizmente.
    Eu acreditei que seriam diferentes mas não são.
    Vamos ao próximo que será demitido em Abril, Maio

    • Muito lúcido esse seu comentário, baseado na razão e não coração. Parabéns !!! Compactuo com ele. É sempre mais fácil dispensar o treinador, como se ele fosse o culpado pela falta de planejamento e por todas as mazelas gerenciais.

  6. Sombra, também concordo em absolutamente tudo com você. A demissão do Aguirre foi acertada e precisamos de um técnico de ponta pra comandar o time. O SP não é lugar pra treinador começar a carreira. O Jardine que vá treinar o Fortaleza antes de vir treinar o SP.

  7. A assepsia não deveria ficar restrita somente à Comissão Técnica. Ficou patente nesse episódio, que existe no plantel uma “panelinha” que, se tiver seus interesses contrariados, boicotará o novo treinador e também os futuros. É a turma do “biquinho”, dos macacos velhos e experientes, que dentre suas influências, se alinhava, inclusive, a escalação do pseudo goleiro Sidão.

  8. Há uma questão que ninguém em nenhum canal de comunicação comentou ainda…

    Quando o time estava ganhando os diretores foram falar com o Aguirre sobre renovação, repito QUANDO O TIME ESTAVA GANHANDO…

    Em uma entrevista que vi no Sportv o próprio Aguirre disse que era cedo pra falar em renovação e que tinha que algumas coisas que a diretoria precisava resolver!!!

    Será que ele estava falando da panela dos Jogadores???

    Tem algo muito errado lá, a falta de um jogador prejudica sim o trabalho… Mas o time já havia jogado antes sem esse jogador e ganhou… Porque houve uma queda tão brusca??? Será que foi só o treinador???

    Nunca fui fã do Aguirre mas gostava de algumas atitudes que ele tomava… Mas essa demissão tem alguma coisa errada por trás!

    Nós torcedores vemos apenas resultado para apoiar a decisão tomada pela diretoria, mas tem muito mais coisa por trás disso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*