Promessas à venda

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, coloquei a matéria da venda do Tuta, zagueiro da base para o time alemão que derrotou o São Paulo na Florida Cup, e bombou de comentários. Então optei por abrir o Fórum.

Outros jogadores da base já estão gritando.: Diego diz que quer seu espaço; Antony vai reivindicar o time profissional; Fabinho estourou a idade e também tem que ser aproveitado em algum lugar; Gabriel Novaes, teve seu contrato renovado, mas deve ser emprestado para o Barcelona B por um ano e meio, com preço do passe fixado.

É uma liquidação antes da hora? São promessas que não vão vingar e a diretoria está tendo clarividência? É hora do Conselho Deliberativo mostrar para o que serve e cobrar explicações dessa liquidação?

Debatam, por favor.

23 comentários em “Promessas à venda

  1. Não vejo a saída do Tuta e Novaes como desastrosas. A concorrência no profissional é muito alta pra eles, e no caso do Tuta, tem outros dois garotos na posição(Walce e Morota) que se destacam mais. É ruim ver os garotos saindo sem nem ao menos jogar no profissional? É, mas tem todo um contexto a ser analisado. Não tem espaço para todos, e pode ser que também não deem conta do recado.

  2. Alguns tratam a base como “nosso celeiro de craques”, ou jóias, como queiram.
    Todo e qualquer garoto com o mínimo domínio da bola é um gênio a ser lapidado.
    Sendo campeões em suas fases de aprendizado então, “não tem erro é só colocar o moleque para jogar que vai detonar”.
    Fico pensando o quão difícil é formar um atleta com a matéria prima disponível.
    Garotos que vem com problemas de saúde, intelectual, disciplinar, social e tantos outros.
    Colocar estes garotos em condições de convivência já deve ser difícil, fazê-los entender conceitos muito mais, que dirá fazerem parte de equipes de trabalho disciplinado.
    Não estou considerando a pressão exercida por empresários que ficam fomentando a necessidade que sobressaiam para os grandes passos no futuro, quando alguns se deslumbram e ficam pelo caminho, mesmo que tenha qualidade, outros se acham melhores do que realmente são e também não conseguem prosseguir.
    Este quadro, para mim, por si só já coloca o grau de dificuldade porque passam todos aqueles que se propõe formar atletas, principalmente do esporte mais cobiçado o futebol.
    Todo sacrifício vale a pena quando são campeões de suas fases, até que chega o momento de transição, deverão deixar a base para alçar vôos mais altos, serem profissionais.
    Neste momento muita coisa que foi relevada durante seu crescimento, de uma hora para outra, será cobrado e a grande maioria não corresponde ao investimento feito.
    Socialmente falando, nem sempre isto é perdido, mas falta a meu ver a alternativa, pois se um garoto não consegue jogar futebol, terá que iniciar uma vida profissional em outra área para o qual não está preparado, quanto ao investimento financeiro, com certeza foi jogado a fundo perdido, pois não tem retorno.
    Mas, vamos considerar aqueles que demonstram perfil para continuarem, assinam contratos com seus clubes e ficam num limbo, pois os conceitos daquele que dirigem o profissional não são os mesmos daqueles que os formaram e aí encontro uma explicação, os formadores ficam por anos trabalhando a base, já o profissional, em média, mantém suas comissões técnicas por uma temporada, quando não menos, trocando de técnicos uma ou duas vezes por ano e cada um que chega traz sua forma de trabalhar.
    Quando o garoto cai no agrado técnica e socialmente tem alguma chance, não significando que permanecerá assim em eventual mudança.
    Técnicos, em sua maioria, preferem contar com jogadores que não demandem tempo em aperfeiçoamento, pois também não têm esse tempo para apresentar resultados.
    Então os clubes têm que tomar decisões quanto às suas “jóias”, dentro da realidade do país vende-los por valores irrecusáveis sempre é o caminho mais interessante.
    Tentar segurar para o profissional apresenta duas facetas, se o garoto é promissor não pode chamar atenção senão cai na situação anterior e aí é tentar o maior valor, tentar segurar aquele não tão promissor corre o risco de não se firmar e aí é melhor tentar alguém de fora já mais experiente e a venda é feita por qualquer valor.
    Enfim é uma situação que provoca muita especulação, sempre visando o maior rendimento financeiro para muita gente, tanto, que quando um garoto promissor é vendido por um alto valor até a torcida aprova a transação, assim como quando o clube se livra de um que não corresponde às expectativas.
    Por isso respeito sempre os onze em campo, independente de quem seja, pois meu respeito é às cores, estas imutáveis eles efêmeros.

    • Excelente comentário, Fernandes!
      Você acertou na ferida: a falta de uma boa política para aproveitamento dos jovens que, à partir do momento que sobem, têm necessidade premente de serem ainda melhores do que foram, sem considerar o tempo e as pessoas com quem vão trabalhar. Temos visto, e são muito criticados por isso, jovens valores serem emprestados e não jogarem em times de segunda divisão. Preferimos criticá-los fora do contexto. Saem de um time organizado que jogam de uma determinada maneira por anos e são colocados numa “arena” com parceiros que só rebatem; não se apresentam para receber bolas; chutões pra todo lado; sem nenhuma organização esquemática, e por aí a fora. E queremos que esses garotos “arrebente” sem considerar onde foram inseridos. Assim não dá!
      Muito bom, mesmo, seu comentário. Nossos diretores também deveriam le-lo!!!

  3. João, lá vem um “Poliana” como você chama aqueles que valorizam nossa base.
    Então pra você, O Neres e o Luiz Araujo são “café com leite”, porque jogaram pouco no time principal?
    O Piazon, vendido a peso de ouro, não foi sucesso porque não jogou no time principal?
    O Lucas Fernandes não foi sucesso porque não ganhou nada no time principal?
    O Tuta, agora vendido por merreca (deveria sim, como você propôs, ser experimentado na lateral direita já que não temos ninguém melhorzinho lá), não é um sucesso da base?
    E o Novaes (vai estourar ou não, não se sabe) que despertou interesse do maior time do mundo, não é um sucesso formado na base?
    E outros mais que poderiam ser citados como grande sucesso de formação da base do S.Paulo.
    A questão é que, torcedores como você – e, infelizmente não só você, são muitos – ansiosos, com razão, para verem nosso time campeão de alguma coisa, não têm paciência de esperar o tempo preciso para que vários deles pudessem mostrar seus reais valores no time profissional.
    Os próprios dirigentes, treinadores inclusos, se sentem em risco por manterem um garoto que desde logo não “arrebente” logo de início, porque sabem que o “pau vai comer” nas redes sociais, caso os mantenha e continue sem ganhar campeonatos.
    E assim, como o cachorro correndo atrás do rabo, entra técnico e sai técnico, entra diretor de futebol e sai diretor de futebol, e o tricolor continua na mesma fila do desespero. Meu medo é que vamos ter que chegar ao fundo do poço para, quem sabe, alguém dar um grito de arrumação e ser obrigado a recomeçar usando essa mesma base tão desprezada por alguns mas que, entra ano e sai ano, revela para o futebol vários bons jogadores e muitos bons cidadãos para nosso país!!!

    • Acho que não me fiz entender.

      Resumindo o que eu penso, pois nada vai mudar, teremos de aguentar o Leco até 2020, com grande possibilidade de outro desastre igual a ele virar Presidente, aí estamos fudidos mesmo. Vamos lá:

      Em relação a base, os pesos e as medidas são diferentes. Alguns jovens são promovidos ao profissional, sem a menor condição de estar ali. Como é o caso do Helinho, como foi com Lucão, Lucas Fernandes, entre outros, e ocupam a vaga de quem realmente tem potencial.

      Quanto ao seu medo de ter que chegar ao fundo do poço, já está. Os valores estão invertidos no São Paulo, o foco principal não é montar elenco pra ser campeão, o sucesso é vender jogador todo ano. Infelizmente torcedores como você, e outros, não perceberam isto.

  4. De um elenco Sub-20 com 22 atletas apenas uns 3 são promovidos ao time principal por ano. Isso é coerente pois renovamos 10% do elenco profissional todo ano usando atletas formados no SPFC.

    Todo ano temos 20 atletas estourando a idade da base e sem vaga no principal, portanto o Clube be faz bem ao vender e emprestar esses jovens com potencial. O X da questão está nos critérios, na análise e na decisão sobre quem sai e quem pode ser aproveitado. Fico triste vendo Gabriel Novaes saindo sem uma oportunidade sequer no principal enquanto contratamos recentemente Trellez, Carneiro e Maicossuel.

    • Nesse ponto eu concordo com você, para contratar jogadores do nível de Trellez, Maicossuel…..é melhor tentar arriscar com a base que sai muito mais barato, se queimar o jogador ele vai ter a chance de tentar ao longo da carreira se reerguer em outro clube.

  5. 23 jogadores da copinha vão jogar aonde?
    Cheguei a conclusão que dentro do SPFC não existe uma alma viva que entende de futebol e muito menos de jogadores.
    Afinal qualquer um aqui vendo 15 jogos do moleque percebeu que ele é melhor dos que estão no profissional e está sendo vendido por uma merreca.
    Quem é Tuta e Gabriel Novaes na fila do pão?

  6. Depende do valor e das condições. Pelo valor que foi o Tuta é uma piada, por este valor talvez justificasse se fosse para manter 50% do jogador.

    Se for como fizeram com o Lucas Piazzon, que venderam por 8,5 milhões de dólares, aí sim vale a pena, nunca jogou um único jogo no profissional e rendeu um ótimo dinheiro, mas vender um menino por 1,8 milhões de euros é ridículo.

    Queria muito saber o valor do passe fixado do Gabriel Novaes, esse menino tem porte de centroavante, pode até não dar certo, mas acho que tem tudo para vingar na Europa.

  7. No meu entender acho que o SPFC está agindo dentro de uma lógica normal, dando oportunidades aos garotos de poderem ter mais espaço e ainda receber pelo investimento feito na base.
    Existe toda uma gritaria como se todos da base fossem estrelas de primeira grandeza. Se fosse assim não precisaríamos gastar uma fortuna contratando Pablo…. Atualmente nesse time campeão da Copinha os que realmente podem ter condições de vingar de fato são Rodrigo Nestor e Morato. Tanto que já vi especialista que acompanham a base dizendo que Lucas Kal é muito melhor lateral do Tuta, e este é muito mais zagueiro que Lucas Kal.
    Acho que o clube tem que apostar em quem realmente ele vê potencial para conseguir fazer a transição da base para o profissional sem desaparecer na mediocridade.
    Sem contar que um sem número que hoje enaltecem os garotos são os mesmo sem paciência que no primeiro erro os chama de lixos. Menos…..

  8. Ficar muito tempo sem ganhar títulos dá nisso. A ansiedade não permite dar tempo para amadurecê-los. O nosso lat. direito da copinha foi um dos melhores. Deve ser aproveitado, pois não temos um melhor como titular. Também gostaria que fossem emprestados para ganhar rodagem, porém sem preços fixados para possíveis vendas. É necessário dar oportunidades para subirem, pois o mercado tem sido escaço e caro. Se não mostrarem competências transfiram-os.

  9. O que estão fazendo com o SPFC é um assassinato da instituição!!!

    O Tuta é sem dúvida um garoto que poderia ser colocado imediatamente na lateral direita do time (porque falhar mais que o Bruno Peres é impossível), ele não apoia bem, mas daria uma segurança naquele setor igual o Militão fazia e olha que eu não gosto nem um pouco da pessoa do Militão.

    O Tuta, o Gabriel Sara, o Diego e o Antony pode subir direto, jogam muito mais que alguns que estão no time de cima.Para alguns campeonatos podem até jogar pelo sub 20 se for o caso, como a Libertadores sub 20 ou a copinha, mas jamais podem ficar de fora do elenco principal e treinar com os profissionais na barra funda. O Nestor precisa só de um trabalho para ganhar uns 10kg de massa muscular. São jogadores que acertariam nosso time nos próximos 2 anos, podendo um ou outro não vingar… e depois venderia na casa de 20 a 30 milhões de Euros.

    A base não é para o SPFC ganhar títulos, ficou já bem claro que é para fazer dinheiro e para benesse$. É um balcão de negócios e era para ser a salvação da nossa falta de títulos!!!

    Gostaria de saber a posiçao do diretor de Futebol… que tal indagar o mesmo Paulo Pontes??? Acho que está na hora de fazer uma entrevista com ele para o site, há muitos assuntos pendentes…

    Falta-me até raciocínio para escrever tamanho o nervosismo que estou. Talvez não vá ao estádio mais esse ano…

  10. Não morro de amores pela base, como muitas polianas fazem aqui no site, no entanto, o São Paulo está invertendo valores, a atividade meio é o futebol, e vender é a finalidade, nesta gestão o futebol é secundário.

    Marcelo M, se o Tuta tem potencial, como você diz, porque não renovar o contrato subi-lo ao profissional, com uma boa multa rescisória?

    O São Paulo é clube de futebol ou instituição financeira? Nos últimos anos tem entrado muito dinheiro com vendas de jogadores, e os elencos montados são ridículos e desequilibrados.

    • Não se trata de “morrer de amores”. Aprecio seus comentários, mas creio que você utilizou mal a expressão. Torcedor como eu ou você, torce pela camisa, até em campeonato de braço de ferro ou de bocha. No meu entender, o que deve ser levado em consideração, é que um BALCÃO de NEGÓCIOS foi implantado no Departamento de Futebol. Como explicar trazer o Igor Vinicius por empréstimo e com preço para compra fixado em valor mais alto que o recebido pelo Tuta? Como explicar a manutenção do tal de Carneiro no plantel, insatisfeito e com demonstrada má vontade e ceder o Gabriel Novaes por “merrecas”. Se essa caixa preta pudesse ser aberta… o cheiro que emanaria da mesma seria pior que o do Rio Pinheiros em dias de calor.

      • O que eu quis dizer, é que, não sou daqueles torcedores que quando aparece um jogador da base, já começa: Joia de Cotia, garoto de ouro, vale 200 milhões de euros…

        O que adianta ganhar 80% dos títulos da base e ninguém subir e ganhar no profissional? quais jogadores da base se firmaram no São Paulo, depois do Lucas Moura? David Neres não fez 10 jogos no profissional, Luis Araújo não ficou 6 meses.

        Não sou a favor de subir da base por subir, mas não tem cabimento contratar tranqueira do Sport, Ponte Preta e Bahia para compor elenco. O que gastam com essas três contratações, pagariam um jogador de 500 mil por mês.

        E outro ponto, se tem gente da base já no profissional e não rendeu, vende ou empresta, e cede a vaga do profissional para outro que seja promissor.

  11. Achei as negociações acertadas.
    Uma vez que eles precisam jogar senão não evoluem.
    Ficamos com 30% do Tuta que tem potencial.
    Gabriel Novaes vai por empréstimo, e pode voltar melhor ou ser vendido por um bom valor.

    O SP já perdeu muito dinheiro nessa frescura de não vender jogador de base. Rodrigo Caio, Lucao, Auro, Ademilson, e varios outros. Algumas vezes acertamos em outras erramos.

    O principal é ter sempre pelo menos dois times competitivos jogando… quando possível aproveitando a base.

  12. Boa noite tricolores,
    Não vejo motivos para tamanha lamentação pela venda de um zagueiro que ainda nem se sabe se vingará ou não, até porque o melhor a meu ver é o Walce, é de criticar mesmo o empréstimo do Gabriel Novaes, esse sim poderia ser aproveitado no time de cima como reserva do Pablo porque o DS, ao que me parece, nem deveria continuar no SP, e o Gabriel Sara também deveria ser alçado ao profissional, esse é um meia como precisamos.

  13. Antony tem total condições de estar no elenco principal, disputando vaga de igual para igual.
    Tem outro garoto tb q poderia estar no elenco de cima
    Não haveria necessidade de contratar jogadores medianos como Léo Pele.
    Mas estranhamente nem testados são dando a impressão que Cotia tem q fabricar e vender p fechar o caixa,

  14. É interesse do São Paulo achar lugar para essa galera toda jogar. Talvez firmar parcerias com outros clubes menores que possam receber e aproveitar essa molecada em seus torneios regionais e série b / c seja uma forma de dar vazão.

    Não acho que seja inteligente emprestar com preço fixado, acho que não dói nada pensar pelo menos um pouquinho no futuro do clube.

    • Concordo, Raphael. É uma boa alternativa emprestar. Se pagarem os salários, tá ótimo.

      No entanto, gostaria mesmo é de ver a molecada jogando em um segundo time do São Paulo, como fazem barcelona e real madrid. Faria mais sentido, dado o que é investido na base.

  15. Conselho consultivo serve pra que?
    Conselho deliberativo a maioria apoiadores do Leco aplaudem
    E os de oposição estão mais preocupados com vaga no estacionamento

    Segue o jogo, não tem de discutir só assistir até se tornar mais irrelevante pro futebol nacional do que já é nesses últimos 10 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.