Adicional e Horas extras

Qual sua posição sobre o questionamento de jogadores na Justiça, cobrado horas extras e adicional noturno por conta de jogos aos domingos, feriados e após 22h?

8 comentários em “Adicional e Horas extras

  1. Jogador de futebol e como artista, nao depende de horario para se apresentar. O idiota que nao seguir essa regra, deve ser porteiro de putero.

  2. É lamentável o que acontece no Brasil, pessoas sem escrúpulos que querem “se dar bem” não importa os meios, é vergonhoso, que processem, lutem pelos seus direitos ninguém vai criticar, mas quando extrapola o bom senso é indefensável.

  3. Isso é uma aberração a mais nais tais leis brasileiras!!!!

    Tem que deixar bem anotado o nome de cada abutre que processar o clube, daqui 30 anos eles estarão na miséria e vão querer ajuda do clube. Será a hora de jogar na cara e deixar morrer no relento!!!!

    E tem que investigar se não tem gente do próprio clube por trás disso…

  4. Que diferença faz? Isso ocorre a anos.
    Jogadores saem de um clube e já processam.
    Ele é só mais 1.
    Se os clubes não valorizassem tanto esses mercenários com altos salários e luxo, o futebol não seria o que é hoje.
    Os clubes estão sofrendo pra pagar as contas sem ter uma renda e a culpa é deles mesmo.
    Os administradores já acabaram com São Paulo e não vai ser esse processo hoje que vai mudar.
    Esse Maicon e outros já provaram que o problema é nosso, saindo e sendo campeão em outros clubes.
    Minha filha vai fazer 8 anos e eu não tenho prazer de levar ela no Estádio, porque sei que o time pode ser da várzea, as chances do São Paulo perder o jogo é maior que 50%.

  5. Seria cômico, se não fosse triste!
    São as jaboticabas brasileiras ou interesses escusos de partes mancomunadas para explorar uma pessoa jurídica sem proprietário definido: a tal casa da mãe Joana (aliás, nos últimos anos, parece que o clube só existe para pagar jaboticabas – acôrdos, participações, começões, etc, etc, etc)
    SPFC: a que chegaste!!!

  6. Olá Paulo e leitores do Tricolornaweb.

    O TST (Tribunal Superior do Trabalho) publicou matéria em que define que as relações trabalhistas no esporte são regidas pela Lei 9.615/98 (Lei Pelé) e não pela CLT.

    A Lei Pelé estabelece 44 horas de jornada de trabalho semanal, sem controle diário do horário, folgas devem ser nos dias após jogos e que a concentração por até 3 dias em uma semana não dá direito a horas extras.

    O texto admite que artigos da CLT podem ser aplicados DESDE QUE NÃO CONTRARIEM OS PRINCÍPIOS DO DESPORTO.

    Todos sabemos que um dos princípios do desporto é ser uma atividade de lazer, que ocorre à noite ou finais de semana.

    Esse advogado Laporta (representante de Maicon e pelo menos outros 18 atletas que estão processando o SPFC) está sendo um oportunista e ficando rico às nossas custas.

    Me surpreende que o jurídico do SPFC tenha perdido esta disputa em 2a instância, pois existem argumentos favoráveis ao Clube.

    • Meu amigo, com essa diretoria o são Paulo consegue perder até sem jogar. Se todos os clubes forem condenados a pagar esse direitos a todos os jogadores que já saíram vai ser o fim dos clubes , simples assim.

      • Será que perdeu mesmo? Ou fez força para perder… depois de tudo acertado com o advogado da outra parte?
        Lembrem-se que além de incompetentes, podemos estar lidando com mal intencionados, que não perdem uma oportunidade de meter a mão no bem alheiro, em uma entidade que não tem dono nem fiscalização.
        Quem é o diretor jurídico do SPFC, e o advogado patrono nesta causa? quem relação eles tem com a outra parte..
        Já vi de tudo nessa vida, meu amigo…nem chega a ser surpresa se minha suposição for verdade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.