Dois contra um

Chegou a hora da tão esperada transição no comando técnico do São Paulo. Depois de um início de 2019 extremamente turbulento, o torcedor São-Paulino contava os dias no calendário para o novo treinador assumir a equipe. Vem aí Alexi Stival, o Cuca.

Enquanto Cuca cuidava de sua saúde, Mancini, então coordenador técnico, assumia o time interinamente. Os torcedores ficaram divididos com a decisão da diretoria, afinal, apostaram em um treinador que ainda levaria tempo para chegar ao clube, sendo que o cenário era preocupante e necessitava de uma recuperação imediata.

Ironia, que só o futebol proporciona em tão curto espaço de tempo, agora a torcida pergunta se é a hora certa para um novo comandante assumir. Ah, esse futebol!!

Vagner Mancini não tem um aproveitamento que desperte esse sentimento, tem menos de 50%, mas fez coisas importantes e trouxe um pouco de otimismo de volta ao clube. Ousou e lançou jovens no momento de crise, levou a equipe à semifinal do Paulistão, jogou de igual para igual contra um time milionário e “quebrou o galho” da diretoria, chegando até negar uma proposta para ser treinador da Chapecoense.

Diante de todos esses aspectos, o mínimo a se fazer, é mantê-lo como membro da comissão para essa reta final de Paulista. E o São Paulo, acertadamente, o fez! Mancini permanecerá no campo de treinamento e no banco de reservas ao lado de Cuca. Se o torcedor queria uma vantagem para essa partida decisiva, agora temos. Serão dois treinadores contra um. Mancini que conhece bem esse São Paulo e Cuca que conhece bem esse Palmeiras.

Se acertamos ou não, na decisão de contratar um treinador que não se apresentaria de imediato, não sei. Mas uma coisa talvez seja consenso entre a nação São-Paulina, esse dia chegou e o cenário está melhor do que imaginávamos. Temos um time jogando um futebol promissor e estamos a uma vitória ou penalidades de uma final de Paulistão.

Portanto, chega Cuca e fica Mancini!

 

***Idealizador e apresentador do programa esportivo Garotinhos F.C. da Rádio Metropolitana de Mogi das Cruzes(SP), Fred Rezende iniciou na emissora mogiana em fevereiro de 2015, quando criou o projeto em homenagem ao locutor Osmar Santos, “Pai da Matéria” e padrinho do programa. Também faz parte do quadro “Resenha” do Esporte D na TV Diário, afiliada da Rede Globo no Alto Tietê, onde faz aparições falando sobre o São Paulo Futebol Clube, usando sempre uma abordagem divertida e bem humorada.

Um comentário em “Dois contra um

  1. Boa Fred!
    Temos já dois “diretores de futebol”, um que aparece (Raí) e um que negocia e administra (Pássaro), por que não ampliar a ideia e trazer um segundo Presidente? O atual pode curtir o EC Pinheiros e ir receber taças como fez na Copinha enquanto outro cuida de proteger a nossa base e criar as condições para o SPFC montar times vencedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*