Versatilidade é arma de Michel Bastos para conquistar espaço no São Paulo

Dia 14 de agosto Michel Bastos foi apresentado no São Paulo pela diretoria tricolor com status de craque. Adaptado, nesta quinta-feira ele fará seu primeiro jogo como titular no Morumbi, contra o Criciúma, pelo jogo de volta da segunda fase da Copa Sul-Americana, às 20h. Elogiado por Muricy Ramalho mesmo após sua expulsão no último domingo, no Campeonato Brasileiro, ele já é visto pelo treinador como uma grande contratação.

– O Muricy além de ser meu treinador é um treinador respeitado. Ouvir um elogio desses, vindo dele, é sempre bom. Apesar de ter sido um jogo em que segundos acabou sendo um que eu quero esquecer. Nunca fui um jogador desleal. Fico muito feliz de ouvir elogios dele mesmo depois do acontecido – disse o jogador, em entrevista ao LANCE!Net.

Respaldado pelo técnico, o camisa 7 achou injusta sua expulsão contra o Figueirense. Ele revelou que conversou com o grupo sobre o ocorrido, mas que agora é passado.

Polivalente, o lateral-esquerdo de origem em pouquíssimo tempo já supriu a necessidade tanto na lateral quanto no meio de campo, local em que atuou a maior parte de sua passagem pela Europa. Para ele, a polivalência é um diferencial e tem o ajudado a conquistar espaço na equipe com tantas estrelas.

Até agora foram quatro jogos com a camisa tricolor, sendo três deles no meio e um na lateral esquerda. Hoje, ele ocupará a vaga deixada por Alvaro Pereira, que está com a seleção uruguaia para a disputa de amistosos.

– A polivalência ajuda. Nos últimos jogos tenho jogado. Isso me dá oportunidade de quando tiver um espaço eu conseguir me encaixar. Pelo fato de eu estar há muito tempo sem eu acho que foi bastante positivo eu ter jogado em duas posições diferentes, foi legal, foi bom, mas tenho plena consciência que eu posso dar mais. Melhorar fisicamente, com mais ritmo de jogo, acho que tenho muito mais a dar para ajudar – ressaltou o jogador, que assumiu a preferência por jogar no meio de campo.

– Prefiro jogar no meio. É um lugar que joguei muito nos últimos anos, tenho cacoete, conheço bem. Mas não vejo problema nenhum em jogar na lateral esquerda.

CONFIRA A ENTREVISTA EXCLUSIVA COM MICHEL BASTOS:

LANCE!Net: Você chegou a menos de um mês no São Paulo. Já está adaptado?
MICHEL BASTOS: Eu estou bastante adaptado. É difícil encontrar seu espaço em um clube que estava entrando em um ritmo bom, com jogadores que estão bem e e embalados, ainda mais pelos jogadores que o São Paulo tem hoje. Mas, aos poucos, estou trabalhando forte para mostrar o porquê vim para cá. Estou bastante confiante por já estar bem integrado ao grupo. Isso ajuda também para fazer bem meu trabalho.

L!Net: Qual jogador que tem mais contato? Foi bem recebido pelo grupo?
MB: Eu tento conversar sempre com todos. Um ou outro você acaba falando mais. Eu tenho amizade com o Toloi pelo fato de jogarmos juntos na Roma, mas sinceramente se você reparar no treinamento, estou conversando sempre com todos. Isso me ajuda bastante. O grupo me acolheu bem. É bom para um jogador que chega no decorrer do campeonato ser bem recebido como eu fui, tem uma grande porcentagem para que eu possa fazer um bom trabalho.

L!Net: Você achou injusta sua expulsão contra o Figueirense?
MB:
 Eu, sinceramente, achei injusto pelo fato de eu não querer agredir o jogador. No vídeo aparenta que eu queira chutar. Acabo não o pegando, não vejo que o rosto dele está perto do meu pé. A gente se enroscou e pareceu que eu queria agredir o jogador. Não era o caso. Fiquei irritado por ter sido expulso dessa maneira. No momento estava nervoso, o que é normal, por ter saído de um jogo que poderia prejudicar minha equipe. Nunca fui um jogador desleal, que foi expulso na carreira. Não tive intenção de querer prejudicar minha equipe e nem agredir meu adversário

L!Net: Quando você chegou, falou que não estava preparado fisicamente. Hoje você está?
MB: Estou bem melhor do que quando eu cheguei. Isso é fato. Tive períodos de treinamento e também a oportunidade de jogar, entrar, isso também ajuda a manter minha forma e ganhar ritmo de jogo, que também era o que estava me faltando. Fazia mais de três meses que eu não jogava. Então, apesar de você estar preparado fisicamente, você precisa de ritmo de jogo para estar 100%. Hoje, já estou chegando ao meu ideal.

L!Net: Ainda sonha com a Seleção?
MB: A Seleção Brasileira é um negócio que nunca vou descartar. Hoje eu quero me firmar dentro do São Paulo, fazer um bom trabalho para que muitas coisas boas possam acontecer, inclusive a Seleção.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.