Sem Montillo, clássico perde duelo de ‘maestros milionários’ em evolução

A lesão de Walter Montillo impedirá o duelo entre o argentino e o meia Paulo Henrique Ganso no clássico entre Santos e São Paulo nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois “maestros” estão em evolução em seus clubes e começam a justificar o alto investimento realizado pelas duas diretorias, já que foram contratados a “peso de ouro”.

Enquanto Ganso deixou o Santos em setembro do ano passado em negociação polêmica e custou R$ 23,9 milhões ao São Paulo, Montillo foi contratado no início deste ano pelo alvinegro praiano, que pagou ao Cruzeiro 6 milhões de euros (aproximadamente R$ 16,2 milhões) e mais 4 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões) aos investidores – o BMG e a EMS, empresa do mercado farmacêutico, que embolsaram R$ 5 milhões cada um. Além disso, a diretoria santista cedeu parte dos direitos econômicos do volante Henrique ao Cruzeiro, que custou aos cofres do clube em 2011 cerca de 3 milhões de euros (aproximadamente R$ 8 milhões).

Dentro de campo, o camisa 8 são-paulino voltou a apresentar um bom futebol após a chegada de Muricy Ramalho, virou titular absoluto e vive o melhor momento desde a contratação. Montillo, por sua vez, só não pode ser comparado a Ganso atualmente devido à sequência de lesões musculares que vem sofrendo. No entanto, o argentino também estava em extrema evolução dentro de campo e vivendo a melhor fase com a camisa santista.

Após a fatídica goleada sofrida pelo Santos diante do Barcelona, da Espanha, por 8 a 0, no dia 2 de agosto, Montillo cresceu de produção e começou a comandar a reação da equipe santista na temporada. O argentino fez quatro assistências em cinco jogos e voltou a desempenhar o futebol que o consagrou no Brasil com a camisa do Cruzeiro.

No entanto, Montillo voltou a desfalcar o time por seis rodadas devido a uma lesão de grau 1 no bíceps da coxa esquerda. Em seu retorno, o argentino foi o responsável por cobrar o escanteio que originou o gol de Willian José na vitória contra o Criciúma por 2 a 1, na Vila Belmiro.

Porém, quando completava o terceiro jogo após o retorno da lesão, o meia sofreu um novo problema muscular na partida contra o Náutico. O exame de ressonância magnética confirmou, desta vez, um estiramento no músculo sóleo da perna direita (localizado na camada superficial da panturrilha), e o argentino só deve voltar aos gramados na próxima semana.

Claudinei Oliveira exalta a evolução de Montillo. O treinador acredita que, no momento, Ganso só leva vantagem em relação ao argentino pelo fato do camisa 10 do Santos estar no departamento médico. O técnico, inclusive, faz questão de dizer que o alto investimento realizado pelos dois clubes será recompensado caso os dois tenham tempo para se adaptar.

“Acho que todos eles têm o seu tempo para render. O Montillo estava tendo um papel fundamental até se lesionar pela primeira vez. Voltou contra o Grêmio, o jogo contra o Criciúma ajudou no gol do Willian José e é um jogador fundamental para nós. Assim como o Ganso, ninguém desaprende, é um cara muito respeitado pelos atletas, ninguém elogia por acaso. O que ele já fez é um cara de referência. Ele vive um melhor momento agora, pois o Montillo está no departamento médico. Acho que os dois foram apostas certas e se derem tempo poderão mostrar o seus reais valores”, afirmou Claudinei Oliveira.

Sem Montillo, o clássico desta quarta-feira perde na questão técnica, mas não em polêmica. Isso porque Ganso retorna a Vila Belmiro pela segunda vez desde que deixou o alvinegro praiano. Na “primeira visita” o meia foi alvejado com moedas e gritos ofensivos.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.