Nos números, Nenê leva pequena vantagem em disputa direta com Cueva

A chegada de Nenê ao São Paulo, somada à chance dada pela diretoria para Cueva mostrar comprometimento, pode resultar numa disputa entre os dois atletas por uma posição no time do técnico Dorival Júnior. No embate entre os dois jogadores, considerando gols, assistências e presença em campo nas últimas duas temporadas, Nenê leva a melhor sobre Cueva, ainda que seja por uma pequena vantagem.

Líder técnico do Vasco, Nenê teve seus melhores momentos em 2017 atuando centralizado no meio-campo sob o comando de Zé Ricardo. O meia peruano também mostrou um desempenho melhor atuando pela posição – se destacou assim contra o Vitória, em setembro passado, no triunfo são-paulino importante para a fuga do rebaixamento.

Na temporada 2017, a frequência em campo dos dois jogadores foi bastante similar. Mesmo aos 36 anos, Nenê entrou em campo 49 vezes, contra 45 de Cueva, que desfalcou o São Paulo em algumas partidas para servir a seleção do Peru.

A média de gols é praticamente a mesma, uma vez que o ex-vascaíno marcou 11 gols contra dez do meia peruano de 26 anos. Nas assistências, o equilíbrio persiste: Nenê somou dez, enquanto Cueva chegou a 11 passes certeiros para os companheiros marcarem.

Números de 2016 favorecem Nenê

Cueva chegou ao São Paulo em junho de 2016 e somou 26 jogos em um semestre. Nenê, por sua vez, defendeu o Vasco o ano inteiro e acumulou 55 partidas. A média de gols e assistências do veterano, porém, foram superiores.

Nenê foi às redes em 21 oportunidades (média de 0,38) e deu 18 assistências (ou 0,33 por jogo). Cueva, por sua vez, marcou sete gols pelo São Paulo na temporada de estreia, com média de 0,27 gol por duelo. Em relação às assistências, nova derrota: foram cinco (0,19 por partida).

O desempenho do jogador vascaíno foi fundamental para o Vasco conquistar o título estadual de 2016. Em uma temporada e meia no São Paulo, Cueva ainda não conseguiu colocar fim ao jejum de conquistas do clube tricolor.

As escolhas de Dorival

No clássico contra o Corinthians no último sábado, Dorival Júnior escalou o São Paulo com Jucilei à frente da zaga. Na linha mais adiante, optou por Petros e Shaylon centralizados, além de Marcos Guilherme e Brenner abertos pelos lados. Na referência, o treinador escalou Diego Souza.

A chegada do colombiano Tréllez ainda pode aumentar a concorrência no meio-campo, uma vez que o ex-jogador do Vitória pode ser escalado na área. Diego Souza, por sua vez, poderia ser recuado, assim como ocorria no Sport diante da presença do centroavante André.

Na partida contra o Madureira, sem poder contar com Petros, suspenso, Dorival Júnior deve optar pela entrada de Araruna, jogador que possui características mais defensivas.

 

Fonte: Uol

2 comentários em “Nos números, Nenê leva pequena vantagem em disputa direta com Cueva

  1. COMPARAR NENÊ COM CUEVA É LEVAR UM PÉ NO SACO,PRIMEIRO VELHICE,SEGUNDO NÚMEROS DE PARTIDA,UM DEFENDE A SELEÇÃO DO SEU PAÍS,O OUTRO NEM NA SELEÇÃO DE MASTER CONSTA SEU NOME…..CEM COMENTÁRIOS,PERDA DE TEMPO !!!!

  2. Como eu torço pro Nenê e o Trellez calarem minha boca.

    Me lembro quando saiu a notícia que o São Paulo contratou o artilheiro da segunda divisão japonesa, eu critiquei demais, e lá veio um tal de Borges que foi importantíssimo, o mesmo quando contrataram o grosso Fabão que só dava bordoada no Flamengo e estava escondido no Goiás, e foi fundamental para nós, zagueiraço e artilheiro, critiquei muito o Danilo, que se mostrou lento, mas preciso e uma peça única no time, tomara que Nenê e Trellez sigam o mesmo caminho, estamos precisando muito daquelas gratas surpresas que chegam sem a menor expectativa e acabam jogando demais com nossa camisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.