Muricy vê São Paulo no mesmo nível do River e elogia Diniz

O São Paulo entra em campo nesta quarta-feira para uma partida que pode definir os rumos da sua campanha na Copa Libertadores. Tendo pela frente a LDU após estrear com derrota na competição, o time do técnico Fernando Diniz tem o desafio de dar uma resposta à torcida, e Muricy Ramalho, um dos maiores ídolos do clube, vem mostrando bastante otimismo em relação ao futuro tricolor.

Tricampeão brasileiro pelo São Paulo, o ex-treinador foi só elogios a Fernando Diniz em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva. Reconhecendo o bom futebol apresentado pelo Tricolor neste início de temporada, Muricy Ramalho acredita que o clube está em boas mãos, mas demonstrou certa preocupação com a falta de pontaria dos jogadores de ataque.

“Ele [Fernando Diniz] faz o mais difícil, que é fazer esse time chegar no gol adversário. Chega muitas vezes, tem muitas finalizações, os números mostram. Isso é o trabalho do treinador. Agora, a última parte do campo, o cara que vai definir, isso depende só do jogador, não tem jeito. O que ele pode fazer e acho que ele faz muito é treinar fundamento, repetição de chutes, cabeceio, cruzamentos”, afirmou Muricy, sugerindo uma solução para as diversas chances de gol desperdiçadas em 2020.

A falta de eficiência do ataque vem sendo uma marca dos trabalhos de Fernando Diniz. No Athletico-PR e Fluminense, seus últimos clubes, o treinador também se destacou por apresentar um futebol envolvente, que convenceu a torcida, mas faltou resultados. A única diferença para agora é que o São Paulo conta com um elenco muito mais qualificado que os times pelos quais Diniz passou. Justamente por isso, a taxa de acerto no momento de concluir a gol deveria ser maior.

“Só que o São Paulo também vem de muitos anos sem títulos, e isso é uma pressão muito grande em cima dos jogadores. Quando você chega na frente do goleiro, com confiança, você põe a bola para dentro. Sem confiança, não faz o gol. Falta um pouco isso no São Paulo, um pouquinho de confiança nos jogadores”, completou.

Nesta quarta-feira, contra a LDU, no Morumbi, o São Paulo terá de acabar com essa sina dos gols perdidos. Tendo um confronto direto pela classificação à próxima fase da Libertadores, Daniel Alves, Pato e companhia precisarão arrancar o resultado positivo na bola ou na marra, e Muricy Ramalho acredita em um final feliz para o Tricolor, como você pode conferir abaixo, na entrevista completa com ex-comandante são-paulino.

São Paulo chega para duelo decisivo abalado após duas derrotas consecutivas?

É a camisa do São Paulo que está em campo, abala sim, não é bom. Claro que as pessoas que estão lá vão dizer que não abala, mas nunca é bom uma derrota. Eles sabem a dificuldade que vão ter no meio da semana. Claro que o São Paulo dentro de casa é favorito, eles tiveram uma grande oportunidade de ganhar fora, tiveram muitas oportunidades no primeiro tempo, foi falha individual. No segundo tempo a altitude prejudicou. O São Paulo continua na briga, acho que vai igualar tudo nessa semana, porque com certeza o River ganha do Binacional na Argentina, e o São Paulo deve fazer o resultado aqui.

São Paulo é a 3ª força do Grupo D da Libertadores?

A LDU quando joga em casa é difícil de analisar porque lá a altitude também é forte. O River nesse momento iguala o São Paulo, não vejo o River melhor, não. Ainda mais agora, com a perda do título argentino para o Boca Juniors. Vai sentir também, jogará de portões fechados, já perdeu um gol fora. Vi o jogo, não vejo o River tão distante do São Paulo. Os dois favoritos ainda são São Paulo e River.

Então você acha que o São Paulo pode vencer o River Plate em pleno Monumental de Núñez?

Eu acho que tem chances de vencer o River lá, sim. O São Paulo tem um bom time, um time seguro, O que está faltando é o gol, detalhe que o Diniz vai treinar e melhorar bastante.

Atuação apática do “time B” do São Paulo contra o Botafogo-SP

Os jogadores sabem que são poucas oportunidades. Quando elas vêm, você tem que aproveitar. Não foi bom, faltou futebol. A verdade é essa. Eles não criaram nem uma dúvida para o Diniz mudar o time. Então, não dá para eles reclamarem no futebol que não têm oportunidade. Agora, tudo pesa. São muito meninos ainda, estão sendo preparados. Mas, com certeza, tem que ser um pouco mais, tem que querer um pouco mais.

São Paulo é o único time brasileiro que não conta com campeões da Libertadores em seu elenco

Tem alguns jogadores, Volpi é experiente, Daniel Alves é experiente, Pato, Pablo… tem jogadores experientes. Isso não é de estar estudando se vai fazer falta. O São Paulo dentro de casa é um time muito forte. Claro que vai enfrentar um adversário que vem com moral, porque conquistou uma grande vitória [contra o River Plate], mas esse time quando sai da altitude sente muito também. Acho que o São Paulo, para esse jogo, é favorito.

Palpite para o jogo contra a LDU

Se ganhar de 1 a 0, 2 a 0 está bom.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

6 comentários em “Muricy vê São Paulo no mesmo nível do River e elogia Diniz

  1. Muricy, depois do Telê, é você! (olha que rima).

    Mas pelo amor de Deus, não fale uma sandice dessas, não dê munição a alienados e puxa sacos do Leco.

    Das ultimas cinco edições da libertadores, o River Plate chegou a uma semifinal, TRÊS finais, e foi campeão em 2015 e 2018.

    Já o São Paulo, nas cinco últimas edições da libertadores, em 2015 foi eliminado nas oitavas pelo Cruzeiro, 2016 chegou a semifinal, 2017 não disputou, 2018 não disputou, e 2019 conseguiu a proeza de cair na pré, e quase caiu para a série B do Brasileiro por 2 anos consecutivos.

    Se levarmos em consideração esse tempo de fila do São Paulo, o River Plate ganhou TREZE repito TREZE títulos!

    Comparar hoje River Plate e São Paulo, é a mesma de Barcelona e Real Betis.
    Muricy, alguma coisa deve estar afetando seu discernimento.

  2. Eis o resumo:

    “Chega muitas vezes, tem muitas finalizações, os números mostram. Isso é o trabalho do treinador. Agora, a última parte do campo, o cara que vai definir, isso depende só do jogador, não tem jeito. ”

    Estou com o Muricy. Só acho que faltou analisar a defesa. No ataque, de fato, os méritos do Diniz são evidentes, mas, da mesma forma que a chegada em conjunto na frente é obra dele, também são dele os lances em que os zagueiros ficam vendidos ou têm que resolver na individualidade. Dá para melhorar

  3. Fico imaginando o Muricy no lugar dos mortos Raí e Lugano assistindo aquela molecada lixo de mimimi em campo no jogo de domingo?

    O Muricy está dando apoio incondicional ao Diniz (que eu acho fraco) porque sabe que o ataque tem de ser em cima de Leco, Raí e Pássaro, três bostas que só contratam lixos no ataque, e ele está certo, ou mudam o foco e derrubam de vez essa diretoria (Lugano incluiria nesse grupo, só grita pra fazer média com a torcida) e dar poder ao técnico em escolher atletas que quer trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.