Em ‘último aniversário’, Ceni só pensa em título para o São Paulo

São Paulo e Rogério Ceni se conheceram em 1990. O clube ainda buscava sonhos fora do Brasil, o garoto de Pato Branco (PR) apenas sonhava com o que poderia construir na carreira. A relação amadureceu, trouxe frutos de valor inestimável e neste domingo completa mais um ano. Contra o Sport, às 16h no Morumbi, o Mito irá comemorar seu 24 aniversário no Tricolor.

São 24 anos de um relacionamento de dependência. Não há São Paulo sem Rogério Ceni, e a recíproca é genuína. O dia 7 de setembro, então, se acostumou a abrigar um paradoxo. Comemora-se a Independência do Brasil e a dependência de uma torcida com seu maior ídolo.

Hoje, os são-paulinos terão de iniciar processo de desapego. Daqui a 90 dias, Ceni dirá adeus à vitoriosa carreira. Como se estivessem às margens do Ipiranga, os tricolores terão de bradar pela independência do Mito. E na mente obcecada por títulos do goleiro, qual será o filme?

– O que vai passar na minha cabeça? Que temos que ganhar (risos). Não podemos mais perder pontos em jogos como este em casa. Se perdermos, perde-se a esperança de título – disse Ceni ao LANCE!Net, honrando a fama de viciado em trabalho.

É preciso insistir para arrancar do goleiro-artilheiro alguma declaração emotiva. Ele não nega a paixão pelo São Paulo, mas a faceta profissional sempre se sobrepõe. Mesmo perto do adeus, se mantém firme. O sorriso de canto de boca desperta a nostalgia nos olhos, até que Rogério cede e fala sobre a própria marca.

– Não sei se será diferente dos outros aniversários que vivi… Todos os jogos são muito especiais na minha vida. Mas é claro que pesa por este ser o último aniversário, o último ano redondo como atleta – admitiu.

Se havia uma fresta para o lado sentimental do camisa 01, o profissional empenhado logo tomou as rédeas da fala. O maior campeão da história tricolor não relaxa, que dar adeus com mais uma taça na mão.

– O que eu espero mesmo de hoje é que a gente vença. Se vencermos, vai ser especial como todos os outros jogos que ganhei aqui – concluiu.

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM CENI

O que fazer para ser campeão antes de se aposentar?
A gente tem que ganhar e torcer. O Cruzeiro tem um jogo, em tese, muito difícil contra o Fluminense no Rio de Janeiro. Mas nós também teremos dificuldades com o Sport. Temos que tentar encurtar a distância nessas rodadas, ganhar o confronto direto (dia 14) e conquistar pontos improváveis fora de casa.

A única forma de sonhar, então, é ‘secando’ o Cruzeiro?
Tem que torcer mesmo por tropeços deles. Com o nível de aproveitamento que eles têm, não dá. Mais de 70% (77,7%). Quando fomos campeões, foi com 68% no máximo. Nós estamos acima de 60%, mas não adianta.

Qual a importância do confronto direto no Morumbi?
Teremos jogos importantes contra Sport e Botafogo para diminuir a diferença e ter esperanças de medir forças no confronto direto. Ali mediremos forças e veremos se temos time, se poderemos pensar em ser campeões. Temos que tirar pontos.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.