Diniz: ‘Não estou preocupado em ter paz, tem que trabalhar’

Fernando Diniz disse logo após a derrota por 3 a 2 para o Mirassol, que eliminou o São Paulo do Campeonato Paulista nesta quarta-feira, que sua equipe não voltou da pausa da mesma maneira que estava antes.

– A gente não devia ter perdido em casa. A gente não conseguiu fazer o que tinha que fazer. Fomos penalizados. Em três chutes no gol, eles tiveram a felicidade. Tem que corrigir. Não vou atirar pedra no time, a gente estava vindo bem, não voltamos como terminamos e infelizmente não conseguimos a classificação – disse o treinador, ao Premiere.

Questionado sobre a dificuldade de ter paz no cargo após mais uma dolorosa derrota do Tricolor, o técnico disse que o foco tem que ser outro.

– Não estou preocupado agora em ter paz, tem que trabalhar. Saber sofrer com a derrota e absorver o que vier pela frente. Não tem que ficar lamentando, já aconteceu.

O São Paulo foi derrotado por 3 a 2 para o Red Bull Bragantino na primeira partida após o retorno do Paulistão e, com todos os titulares poupados, venceu o Guarani por 3 a 1. A próxima partida da equipe é pela primeira rodada do Brasileirão, dia 9 de agosto, contra o Goiás, em Goiânia.

8 comentários em “Diniz: ‘Não estou preocupado em ter paz, tem que trabalhar’

  1. Na coletiva simplesmente iria falar para o diniz que nao sabia se dava gargalhada ou chorava em ver um time tao ruim e fraco, contra um catado de um time que perdeu 18 principais jogadores, quer coisa pior.
    Se seu diniz fosse algo que prestasse so pediria desculpas pelo vexame e ponto, nao tem o que falar, justificar tal vexame, sair com rabo entre as pernas, pegar o chapeu e tchau, com certeza nao dara certo, 1 ano dirigindo o time e continua do mesmo jeito que ele chegou.
    E alguem tem esperança nesse time no Brasileiro? Proximo jogo Goias, sera que consegue ganhar? eu nao acredito.

  2. É muita cara de pal deste cara. 1 ano no cargo, nem com a ETERNIDADE este infeliz será campeão. Vai ter chance assim longe, o senhor derrota em vida.

  3. Se eu sou jogador ou treinador, ao fim do jogo ou na coletiva, só peço desculpas aos torcedores e admito que o time foi uma porcaria, essas entrevistas de conformismo, falando que tem que trabalhar, tem que saber absorver, que o adversário teve sorte nos 3 chutes, esse tipo de entrevista mata o torcedor de raiva. Se eu estivesse na coletiva, mesmo na posição de repórter, não sei se conseguiria me segurar, acho que eu iria mandar um VAI TOMAR NO C… bem alto para esses caras. Não tem o que dizer agora, é calar a boca, pedir desculpas e dizer que foi uma merda mesmo. Torcedor não quer ouvir esse tipo de conformismo agora.

  4. Se eu fosse o Diniz, simplesmente pegaria e chapeu… ia embora e NUNCA MAIS VOLTARIA AO SÃO PAULO…
    Deixaria um bilhete; adeus, obrigado pela força … ‘O MEU PASSADO ME CONDENA…”Em nenhum dos ultimos 3 times(cluvbes ) eu tive sucesso!!!
    Sou psicologo mas, estou precisando de um otimo mdico psicologo/
    Como o estilo Muricy dá saudade….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.