Daniel Alves completa um ano como jogador do São Paulo

Há exatamente um ano, o São Paulo anunciava Daniel Alves, um dos maiores reforços da história do clube. A contratação do jogador mais vencedor do futebol mundial – são 40 títulos – se tornou um marco e motivo de comemoração dos torcedores e diretoria.

A surpresa da transferência de Daniel Alves a uma equipe do futebol brasileiro se deu por alguns fatores. Embora estivesse com seus 36 anos, o jogador estava atuando em alto nível no PSG, da França, e tinha mercado aberto na Europa. Além disso, ele havia acabado de levantar o troféu da Copa América com a seleção brasileira como um dos melhores do torneio.

Mas o projeto a longo prazo do São Paulo e o fato de ser torcedor são-paulino declarado pesaram na decisão. No dia 1º de agosto de 2019, o Tricolor anunciava Daniel Alves com um vídeo em que ele dizia:

– Agora é 2019, e eu poderia ter escolhido qualquer lugar para jogar, mas escolhi voltar para o Brasil, pelo meu país, pelo meu povo, pelo meu clube de coração. É irreal, mas estou aqui.

A apresentação, no dia 6 de agosto, foi de um superastro: recado de Messi, 44 mil pessoas no Morumbi e uma enorme festa com fogos de artifício e homenagens.

O São Paulo não pagou pela transferência de Daniel Alves, já que ele estava livre no mercado naquele momento. Mas entre salários, luvas, bônus e acordo pelos direitos de imagem, o clube terá um gasto de cerca de R$ 1,5 milhão por mês. O pagamento é feito semestralmente.

O valor que corresponde somente aos salários pagos pelo São Paulo é de aproximadamente R$ 500 mil. As parcelas da imagem poderão ser pagas com a ajuda de parceiro. O clube, após um ano, não conseguiu nenhum.

Por enquanto, o investimento não deu resultado esportivo. Nesse período, o Tricolor conseguiu a quinta colocação do Brasileirão do ano passado, conquistando assim a vaga para a fase de grupos da Libertadores, e amargou uma eliminação vista como vexatória para o Mirassol, na última quarta-feira, pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

A estreia

Mesmo após retornar de férias, Daniel Alves não demorou para fazer sua estreia pelo São Paulo. No dia 18 de agosto, o jogador entrava no Morumbi com a camisa 10 e a responsabilidade de ser a referência da equipe.

Foram necessários, então, 39 minutos para Daniel Alves fazer seu primeiro gol pelo Tricolor e garantir a vitória sobre o Ceará, por 1 a 0, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Naquela ocasião, o jogador atuou como meio-campista armador e saiu do Morumbi ovacionado pela torcida presente.

Lateral ou meia?

Depois da boa estreia diante do Ceará, Daniel Alves não conseguiu manter o seu faro goleador, e um debate ganhou força: o camisa 10 deveria atuar como meia ou como lateral-direito, posição que o consagrou na Europa?

O então técnico Cuca fez diversos testes. Em determinados momentos começava com Daniel Alves no meio de campo e o colocava na lateral durante a partida. Em outros, iniciava com ele na lateral e terminava como meia. Diante do Athletico-PR, inclusive, Daniel Alves foi até atacante.

Daniel Alves em partida com a camisa do São Paulo — Foto: Fernando Roberto Teixeira

Daniel Alves em partida com a camisa do São Paulo — Foto: Fernando Roberto Teixeira

Em meio a essa indefinição do melhor posicionamento do jogador, o São Paulo não vivia o seu melhor momento na temporada e as vitórias não apareciam. A queda na tabela do Brasileirão foi iminente, e as críticas dos torcedores recaíram sobre todos, inclusive em Daniel Alves.

Sem chances de título do Brasileirão, a pressão sobre o elenco era grande e os primeiros quatro meses de Daniel Alves no São Paulo não foram os melhores possíveis. Ele, inclusive, não poupou críticas aos bastidores políticos do clube.

Bom início de temporada e primeira decepção

A temporada de 2020 começou com grande expectativa. O técnico Fernando Diniz arrumou um nova função para Daniel Alves, a de segundo volante. E rapidamente a tentativa mostrou efetividade.

Logo no primeiro jogo do ano, contra o Água Santa, o jogador fez um gol seguindo a “cartilha” de Diniz: jogada iniciando no campo defensivo, com movimentações a todo instante, participação de diversos jogadores e encerrando em Daniel Alves, um dos principais articuladores da jogada.

A nova função deu mais liberdade para Daniel Alves, e os gols começaram a sair com maior naturalidade. Após o gol contra o Água Santa, o jogador fez mais quatro e se tornou o artilheiro da equipe no ano.

Os números são os melhores do jogador em um início de temporada por clubes desde o início da carreira. Após os primeiros 11 jogos, Daniel Alves jamais havia marcado cinco gols.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.