Brenner tem melhor média de gols entre artilheiros desde Luis Fabiano

Brenner vive sua melhor fase no São Paulo. Os dois gols marcados na derrota por 3 a 2 para o Lanús, quarta-feira à noite, pela Sul-Americana, lhe deixaram mais isolado na artilharia do elenco no ano, com 13 gols. Ele marcou nove vezes nas últimas sete partidas como titular.

O atacante, inclusive, tem a melhor média de gols entre os artilheiros do São Paulo por temporada desde 2012, quando Luis Fabiano fez 31 gols em 44 partidas: 0,70 por jogo. Hoje, o número de Brenner é de 0,59 gol por partida (veja abaixo).

Assim, Brenner supera na média das artilharias de Pablo (2019), Diego Souza (2018), Lucas Pratto (2017), Calleri (2016), Pato (2015), Aloísio (2013) e o próprio Luis Fabiano nos anos de 2014 e 2013.

Média de gols dos artilheiros por ano do São Paulo

Ano Jogador Gols Partidas Média
2020 Brenner 13 22 0,59
2019 Pablo 7 28 0,25
2018 Diego Souza 16 51 0,31
2017 Lucas Pratto 14 48 0,29
2016 Calleri 16 31 0,51
2015 Pato 26 61 0,42
2014 Luis Fabiano 20 44 0,45
2013* Aloísio 22 71 0,30
2013* Luis Fabiano 22 51 0,43
2012 Luis Fabiano 31 44 0,70

Vale lembrar que esses números são de temporadas completas dos outros atacantes. Brenner, por sua vez, tem jogos a fazer até fevereiro de 2021, quando termina o atual calendário do futebol modificado por causa da pandemia de Covid-19.

Os gols diante do Lanús também deram uma outra estatística a Brenner: ele é o único jogador do São Paulo que fez gols em todas as competições do ano – Paulistão, Brasileirão, Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores.

Brenner comemora gol do São Paulo sobre o Lanús — Foto: Staff Images / CONMEBOL

Brenner comemora gol do São Paulo sobre o Lanús — Foto: Staff Images / CONMEBOL

Joia precoce e artilheiro no sub-17 do São Paulo, o atacante foi promovido ao profissional em 2017, com o então técnico Rogério Ceni.

No entanto, ele nunca rendeu como agora, sob o comando de Fernando Diniz, com os técnicos anteriores. Questionado sobre a mudança de desempenho do passado para agora, o atacante deu sua versão:

– Meu pensamento naquela época não estava totalmente focado no futebol. Tive algumas adversidades extra que me atrapalharam. Tive algumas oportunidades no Fluminense com o professor (Diniz). Comecei, mas não tive continuidade. Este ano pude reencontrar ele (Diniz) aqui. Após a pandemia ele está me ajudando bastante – disse Brenner.

– Acho que é um dos principais pilares para estar vivendo esse momento. Devo muito ao professor Diniz, me ajudando no dia a dia a melhorar como pessoa e dentro de campo. Só tenho a evoluir ouvindo e continuar fazendo. Vou ser recompensado – completou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.