Boicote ao São Paulo na Copinha de 2014 ganha mais três adeptos

Além dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco) e dos dois de Minas Gerais (Atlético-MG e Cruzeiro), mais três equipes de ponta do Brasil enviaram carta à Federação Paulista de Futebol condicionando a inscrição na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2014 à exclusão do São Paulo: Coritiba, Sport e Vitória.

O grupo acusa o clube paulista de aliciar jovens jogadores durante as competições envolvendo as divisões de base. A reportagem do LANCE!Net apurou que Marco Polo Del Nero, presidente da FPF, já enviou uma resposta para todos os times envolvidos no boicote. Nela, o dirigente pede que eles repensem na decisão.

O Corinthians, dono de oito títulos da Copinha, e o Santos, atual vencedor, ainda não se pronunciaram oficialmente. A decisão da dupla paulista deve ser conhecida nos próximos dias. O rival Palmeiras, por outro lado, deu de ombros para a polêmica e já garantiu presença na competição do próximo ano.

Além de Palmeiras, Grêmio e Internacional avisaram que vão participar do torneio. O Grêmio, aliás, é o clube que tem dado suporte e apoio ao São Paulo neste caso. Fábio Koff, presidente do time gaúcho, ligou recentemente para Juvenal Juvêncio, presidente são-paulino, oferecendo ajuda na discussão.

Em rápido contato por telefone com o LANCE!Net, Marcos Tadeu Novais dos Santos, diretor de futebol de base do São Paulo, afirmou desconhecer o movimento de boicote. Logo, ele não teme que a equipe seja excluída da competição.

– O São Paulo foi convidado para participar da Copa São Paulo. Aceitamos o convite e vamos participar. Agora, a gente teme o que a gente sabe. Não posso temer algo que desconheço (boicote) – declarou.

O boicote ao São Paulo em competições das divisões da base não é novidade. No primeiro semestre deste ano, o clube desistiu de participar da Taça BH (Sub-20) por causa da pressão dos adversários. Na ocasião, o clube da capital paulista alegou coincidência de datas com o Paulistão para jogadores dessa mesma faixa etária.

SÃO PAULO NA PAREDE

Em março deste ano, Coritiba, Cruzeiro, Atlético-MG, Atlético-PR, Flamengo, Fluminense, Botafogo, Vasco, Vitória, Ponte Preta, Internacional, Grêmio e Grêmio Prudente, apoiados pela Abex (Associação Brasileira dos Executivos de Futebol), realizaram uma reunião e se uniram contra o São Paulo. Na ocasião, os clubes afirmaram que a estratégia do Tricolor era seduzir jovens jogadores com salários maiores.

Fonte: Lance

5 comentários em “Boicote ao São Paulo na Copinha de 2014 ganha mais três adeptos

  1. Paulo, faça o favor: não repasse como se fosse uma verdade o que você não tem certeza, ou que você leu na imprensa gambá.
    Cuidado, um mentira contada várias vezes costuma virar uma verdade.
    O São Paulo não roubou ninguém do Guarani. Esses jogadores vieram por intermédio de negociação. Um deles em definitivo e outro por empréstimo.
    Consulte o próprio site Tricolor na Web, a matéria de 2012:
    tricolornaweb.com.br/noticia/promessas-da-base-do-guarani-acertam-contrato-com-o-sao-paulo/
    Quanto aos demais citados, não vou explicar a história porque ela é um pouco longa, mas vou colocar uma pergunta: se o São Paulo é aliciador da forma que falam, por que até hoje ninguém foi na justiça contra o São Paulo? Por que será?
    Até hoje o único clube que se sentiu prejudicado com aliciamento e foi na justiça foi o próprio São Paulo, no caso Oscar, e ganhou.
    E por que os clubes nunca acusam os empresários que tiram jogadores de suas bases de aliciamento?
    Pense bem, será que não são os jogadores que querem vir para o São Paulo, ficar bem hospedados em Cotia, com escola de graça, acompanhamento médico e fisioterápico diário, salário/ajuda de custo em dia, entre outros?

      • Regis, é bom saber que, de-repente, somos o mocinho desta história…
        Como estou longe dos acontecimentos do clube e sou um pouco ignorante na matéria, gosto de discutir com pessoas melhor informadas, para que minhas idéias se esclareçam.
        Sendo assim, vou formular algumas dúvidas minhas para que você ou outro parceiro de comentários, possa me ajudar a entender melhor como´funcionam as coisas nesse universo.
        O processo do Oscar.
        Não me garanto, mas o que ocorreu no processo foi um acordo entre as partes.
        Se realmente houve um acordo, entendo que não houve vencedor ou vencido. Houve um grande interesse do Inter em resolver logo a situação, uma vez que tinha como certa a venda do jogador para a Europa, o que lhe daria um enorme lucro naquele momento. Penso que era lógico o seu interesse em encerrar rapidamente a pendência jurídica, mesmo que confiantes em ter uma sentença final favorável, visto à enormidade das cifras/lucro que seria obtida pelo time naquele momento.
        Estrutura da base.
        Com tamanha estrutura cantada aos quatro ventos por todos que a conhecem – jogadores, diretores e imprensa, por que não surgem naturalmente bons atletas em nossa base, uma vez que, em assim sendo, pais de meninos bons de bola deveriam ser convidados a levarem lá seus filhos para tentar a sorte inicial? Me parece que o que vemos hoje na base, são garotos com passagem por outras agremiações que são colocados lá por empresários gerando essa discussão sobre aliciamento.
        São muitos os times denunciantes. ,
        O que o SP faz é ilegal? Não acredito. Por isso a falta de ação na justiça. O que o time faz, é moral? Daí depende do olhar de quem analisa. . . Eu tenho uma empresa com poucos recursos mas com profissionais que entendem do negócio. Através desses profissionais garimpo talentos em formação no mercado; coloco-os na empresa e invisto em suas formações por anos. Pois bem, no momento em que esses novos valores estão para iniciar seu trabalho comigo, eis que surge uma multi poderosa e oferece alguma coisa a mais do que eu posso oferecer e, pimba! os levam.
        Foi bom para o trabalhador? Deve ter sido ótimo (pelo menos a princípio).
        Foi bom para a “multi”? Com certeza: não precisou gastar nenhum com a formação do profissional e por isso pode lhe oferecer mais e vai te-lo já na linha de produção aumentando seus lucros.
        E para minha empresa: foi justo? Me incentiva a continuar a garimpagem por futuros profissionáis e investir meu tempo e conhecimento em suas formações?
        São perguntas que precisam de respostas. O negócio pra ser bom precisa ser bom pra todos. Nem tudo legal é moralmente defensável.. .
        Com toda a estrutura que o SP tem, talvez fosse hora de montar parcerias em muitas “escolinhas” de futebol pelo país afora e procurar os talentos lá em seus inicios. O que me parece é que o tricolor, como uma grande “multi”, prefere repassar isso para “empresários” que deveriam fazer as pesquisas, e que o fazem, por muito mais prático, nos times de suas regiões, se oferecendo aos pais dos meninos como representantes do SPFC. Isto gera polêmica, prejuizo e muito desconforto para os times que se sentem traídos por todos que participam do interesse do jovem, mas, em última análise, pelo SP, que conhece o quanto é dificil formar um jogador e não paga nada no caso.
        Acredito que os grandes culpados por tudo isso, são os empresários/representantes dos atletas, mas entendo que para os clubes que vivenciam esta situação, o tricolor funciona como um receptador nos crimes de roubo e furto: se não existissem não haveria o crime.
        Sem querer polêmica, sou aberto a argumentos.
        um abraço em tres cores . . .

  2. Não uso criticar a diretoria do SPFC, mas sinto vergonha, como sãopaulino que sou, por ver a grande maioria dos clubes brasileiros se unindo em boicote ao tricolor paulista. Fosse um caso ou outro, poder-se-ia admitir empenho dos meninos em procurar o São Paulo; mas parece que não é o caso. Todos esses times não teriam o onus e o desgaste de se reunirem para tratar deste assunto se isto não estivesse mesmo atingindo a administração e as finanças deles. Pior que, por incapacidade de seus olheiros, o time arruma essa encrenca toda para trazer só porcaria para sua base. O Paulo Pontes, que acompanha de perto o dia a dia do time está melhor preparado para nos informar, mas recordo aqui alguns dos garotos trazidos de outros clubes, cujas vindas foram severamente criticadas pelos times de origem. O tal do Foguete, trazido do Vasco da Gama contra a vontade dos cariocas, ficou na reserva da lateral direita do sub 17 e quando entrou não jogou nada. Lembro-me também de um centro-avante “roubado” do Guarani, às vésperas da Copinha do ano passado, também com acusação de aliciamento, e que foi a maior decepção daquela copa (sem contar que pra disputar a Copa SPaulo de Futebol Jr, o time contratou vários jogadores numa demonstração de que a base do time tem problemas).
    Toda essa vergonha tem que ser creditada sim à diretoria atual que investiu pesado para a preparação de jovens valores e que, cada vez menos, os tem formado, necessitando usar recursos diversos para conseguir jovens para seu plantel, causando toda essa “estranhice” com as agremiações que deveriam ser parceiras.
    Em todos esses anos que torço e admiro o SPFC (e são muitos) jamais vi situação como esta pela qual o time passa: derrota política; derrota em campo, com risco de vermos nosso time disputando a segundona no ano que vem, e, agora, derrota moral, principalmente se todos os times realmente não vierem para a Copa SPaulo de Juniores ou que a Secretaria “desconvide” o São Paulo.
    LAMENTAVEL . . . .

    • Não seja ingênuo cara, daqui a pouco você vai falar que o Corinthians não é ajudado por Globo, CBF, arbitragem e governo.

      O São Paulo alicia jogadores, claro que sim! Assim como Santos, Internacional, Grêmio e por aí vai. Infelizmente isso é comum no futebol brasileiro.

      Mas porque não vão reclamar de empresários que fazem a mesma coisa pra levar as promessas para fora do país? Simples, porque esses times aproveitam que os empresários fazem isso pra levar uma grana por fora.

      E sabe porque se juntaram pra detonar o São Paulo? Porque somos o único clube que, veja bem, se quisesse não precisaria de empresários em Cotia, o que sabemos que não acontece na prática. A estrutura daquele lugar já chama a atenção de qualquer garoto.

      Agora, esses clubes que querem o São Paulo fora dos campeonatos não falam como eles tratam os seus jogadores de base. O Vasco, por exemplo, está devendo salários pra garotada. Me desculpa, mas é assim que um time quer cuidar de suas promessas e criticar quem realmente cuida?!

      Enfiem, essa é a forma que eu penso. Sei que o São Paulo não é e está longe de ser a vítima na história, mas acho que as outras equipes precisam olhar pro próprio rabo antes de falar e criticar o Tricolor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.