Após pior público em Brasileiro desde 2016, São Paulo pede Morumbi cheio

Na última segunda-feira, o São Paulo estreou no Campeonato Brasileiro usando um time misto para vencer o Paraná por 1 a 0 e registrou o seu pior público como mandante no torneio desde 2016. E o pedido do elenco é de que, nesta quinta-feira, em partida decisiva pela quarta fase da Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, o torcedor transforme o Morumbi em um caldeirão.

O Tricolor perdeu o jogo de ida, em Curitiba, por 2 a 1. Nesta quinta-feira, às 19h15, precisa ganhar por, ao menos, dois gols de diferença para avançar às oitavas de final. Triunfo com um gol de vantagem leva a decisão para os pênaltis. O Furacão necessita, somente, empatar.

– Vamos buscar a classificação, e contamos com a nossa torcida. Será um jogo difícil, então precisamos do nosso torcedor com a equipe. Com a raça demonstrada nos últimos jogos, temos condições de brigar pela vaga. Estamos prontos para disputar a classificação – disse o lateral Régis.

A convocação da torcida tornou-se maior depois de apenas 11.327 pessoas terem pagado ingresso para ver a vitória por 1 a 0 sobre o Paraná, na segunda-feira. Foi o pior público pagante no Morumbi em Campeonatos Brasileiro desde o 0 a 0 diante do Coritiba, em 28 de agosto de 2016, quando 7.836 pessoas foram ao estádio.

Ainda assim, o duelo diante do Paraná não registrou o pior público do estádio na temporada, já que 8.514 pagantes foram ver São Paulo 2 x 0 CRB, em 28 de fevereiro, pela terceira fase da Copa do Brasil. E o São Paulo tem usado suas redes sociais para motivar a torcida a ajudar o time no torneio, nesta quinta.

– Fala, torcedor tricolor! Quinta-feira precisamos de vocês empurrando, levantando e dando confiança para a gente, motivando a gente. Jogo difícil, mas tenho certeza que com a ajuda de vocês vamos buscar a classificação – disse Hudson, em vídeo publicado no Instagram do Tricolor.

– Fala, nação tricolor! Vim aqui só reforçar o convite do Hudson para que na quinta-feira a gente possa lotar o Morumbi, botar uma pressão para cima dos caras, e acima de tudo gritar o nome do São Paulo, empurrando nosso time para cima para conseguir a classificação – completou Sidão.

 

Fonte: Lance

3 comentários em “Após pior público em Brasileiro desde 2016, São Paulo pede Morumbi cheio

  1. Eu acredito seriamente que tem gente que tem preguiça de pensar dentro do clube.
    Estreia do time numa segunda-feira à noite, previsão de frio para época, e o ingresso mais barato é de R$ 50,00? É muita burrice.
    Eu faço um cálculo simples: dois ingressos, estacionamento/guardador de carro, refrigerante e lanche não vai sair por menos de R$ 180,00.
    Se pensassem um pouco veriam que o brasileiro médio gastou dinheiro no fim de semana com a família, logo, a maioria não vai ter para gastar no dia seguinte.
    Ah, mas se você é sócio torcedor paga menos? E quem não é?
    Muita gente (eu entre eles) opta por ter o pay-per-view ao invés do sócio torcedor. Se não houver um trabalho de inteligência dentro do clube ninguém tira o torcedor do pay-per-view do conforto da casa dele numa segunda-feira à noite.

  2. Eu gostaria de sugerir à Diretoria de Marketing, que estabeleça uma forma de classificar os sócios torcedores de acordo com sua situação financeira. Sei que é difícil e meio maluco pensar nisso, mas talvez possa ser utilizado como parâmetro, a declaração do imposto de renda do sócio torcedor. Dessa forma, em alguns jogos, os torcedores menos abonados poderiam adquirir ingressos a preços mais módicos. Um benefício que poderia ser estendido à família. Vivemos tempos difíceis na economia e uma medida mais socializante como essa, teria dois vieses, no curto prazo, elevaria as arrecadações – na maioria dos jogos o Morumbi fica parcialmente vazio – e no médio prazo proporcionaria um crescimento fidelizado dos jovens torcedores. É apenas uma sugestão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.