Veja como Igor Gomes se tornou o 12º jogador do São Paulo

Um dos principais jogadores do São Paulo antes da pausa provocada pela pandemia de coronavírus, Igor Gomes vive momento de retomada dentro do elenco do Tricolor. Mas nesta quarta-feira, às 19h15, contra o Red Bull Bragantino, no Morumbi, pela nona rodada do Brasileirão, ele deve seguir na reserva.

O meia foi um dos que perderam espaço na reformulação proposta pelo técnico Fernando Diniz após o começo irregular no Campeonato Brasileiro (antes, houve ainda a eliminação para o Mirassol, no Paulistão).

Depois do empate contra o Bahia, por 1 a 1, o treinador trocou cinco peças do time titular: Bruno Alves, Arboleda, Liziero, Juanfran e Igor Gomes.

A fase instável do jogador teve relação com alguns fatores. O primeiro deles foi uma mudança na função dentro de campo. Quando Diniz colocou Liziero no meio de campo e passou a atuar com Pablo como única referência no ataque, Igor Gomes precisou mudar seu jeito de jogar.

Se antes ele era o responsável pela armação das jogadas, nessa nova formação ele teria que atuar mais próximo da área, como um definidor das jogadas. A adaptação não foi rápida e o desempenho foi muito abaixo em relação ao apresentado no começo da temporada.

A nova função, inclusive, foi criticada por Wagner Ribeiro, um dos empresários de Igor Gomes. Em postagem nas redes sociais, ele disse que um dos quatro quesitos de “como fazer um time jogar mal, perder e empatar jogos fáceis” era colocando Igor Gomes para jogar “de ponta e de costas”.

Fernando Diniz rebateu às críticas após a vitória por 1 a 0 contra o Sport dizendo que já havia feito mais por Igor Gomes do que o empresário.

Mesmo sem apostar no meia como titular, o treinador voltou a dar chances ao meia gradualmente. Tanto que Igor Gomes entrou em todos os jogos desde então. Veja abaixo:

Sport 0 x 1 São Paulo – entrou aos 31 do segundo tempo (19 minutos de atuação)
São Paulo 1 x 0 Athletico-PR – entrou aos 39 do segundo tempo (11 minutos de atuação)
São Paulo 2 x 1 Corinthians – entrou aos 12 do segundo tempo (40 minutos de atuação)
Atlético-MG 3 x 0 São Paulo – entrou aos 7 do segundo tempo (44 minutos de atuação)
São Paulo 3 x 1 Fluminense – entrou no intervalo (49 minutos de atuação)

A paciência e a regularidade de Igor Gomes como um “12º jogador” vem surtindo efeito. Na partida do último domingo, contra o Fluminense, o meia foi elogiado por Fernando Diniz, que considera a atuação como um possível ponto de virada do jovem.

– O Igor (Gomes) é um jogador que trabalha muito, que eu sempre apostei, aposto muito. Não estou falando agora porque ele entrou e jogou bem, eu já tinha falado no jogo contra o Atlético-MG, que era uma questão de tempo para as coisas virarem para ele. Acho que começou a virar. É um trabalhador nato e tem tudo aquilo que penso do futebol e da vida. No momento difícil, ele nunca esmoreceu, nunca deixou de trabalhar e hoje talvez tenha começado de novo a ascensão do Igor – afirmou.

Além da fala de Diniz, pessoas próximas ao jogador relatam que ele entende o momento vivido e que precisa se reinventar para ganhar espaço novamente, seja como meia armador ou outra função.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.