São Paulo supera oscilações de 2019 e estreia em momento favorável

O São Paulo estreia na Libertadores em um momento completamente oposto àquele vivido às vésperas do confronto com o Talleres, em 2019. Superando as oscilações da última temporada, o time comandado pelo técnico Fernando Diniz vem apresentando um futebol muito mais consistente e, apesar do grande desperdício de gols, chega para o confronto com o Binacional, nesta quinta-feira, em Juliaca, com a confiança lá em cima.

A empolgação da torcida tem fundamento. O São Paulo é o time com mais posse de bola, mais finalizações, mais passes certos e mais chances criadas do Campeonato Paulista. Com a terceira melhor campanha geral da competição, atrás apenas de Santo André e Palmeiras, e líder isolado do seu grupo, o Tricolor agora terá que se provar a mais de 3.800m de altitude.

“Desde o início do ano, quando nos juntamos pela primeira vez em Cotia, conversamos bastante sobre isso, sobre essa estreia, como teríamos que nos preparar para chegar bem nesse momento. É o que vem acontecendo. Acho difícil falar que jogamos algum jogo mal, até mesmo contra o Santo André”, comentou Tchê Tchê, se referindo à única derrota do São Paulo na temporada.

“Mas, claro que quando as vitórias vêm é mais fácil ser avaliado, mais fácil corrigir os erros internamente. Estamos no caminho certo, competição totalmente diferente. Daqui para frente, serão jogos mais decisivos e difíceis. Só manter os pés no chão e trabalhar firme para alcançarmos um nível ainda maior”, completou o volante tricolor.

Tentando manter o padrão de jogo apresentado nas últimas rodadas do Paulista, o técnico Fernando Diniz não contará com força máxima para o duelo com o Binacional. Vitor Bueno e Juanfran foram cortados da partida por ainda sentirem algumas dores. Assim, o São Paulo deverá entrar em campo com: Tiago Volpi; Igor Vinícius, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony, Pablo e Pato.

“Minha primeira lembrança [da Libertadores] é o Morumbi lotado, festa da torcida, clima diferente. Em 2005, acompanhei o São Paulo pela TV sendo campeão. Hoje estar jogando a Libertadores pelo São Paulo é a realização de um sonho. A gente chega em um bom momento. Vamos fazer uma grande Libertadores”, concluiu Bruno Alves.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.