São Paulo chega à quinzena mais difícil do ano sob pressão e exigência

O São Paulo jogou ontem (8) com o time reserva e cheio de garotos, tudo bem, mas perder por 1 a 0 para o Botafogo-SP não aliviou em nada a cobrança no Morumbi. O Tricolor agora chega à quinzena mais importante (e difícil) do primeiro semestre e, após duas derrotas jogando mal, tem uma dura sequência de quatro jogos de provações.

As derrotas para Binacional (PER) e Botafogo-SP não poderiam ter sido mais diferentes. A estreia na Copa Libertadores teve um caminhão de gols perdidos pelos titulares, enquanto o jogo dos reservas não teve absolutamente nada digno de nota — a não ser, talvez, pelas improvisações de Fernando Diniz. Fato é que a exigência das próximas duas semanas é inédita no 2020 do São Paulo.

A sequência tem quatro jogos no Morumbi, todos eles perigosos: LDU (EQU), Santos, River Plate (ARG) e Red Bull Bragantino. Duas rodadas da Copa Libertadores, na qual o São Paulo largou atrás da concorrência, e dois jogos do Paulistão contra equipes de Série A. O primeiro jogo é nesta quarta-feira (11), e o último no dia 21.

“O São Paulo vive de decisões. Quando você está em um time desse tamanho, é sempre uma decisão. E nós encaramos o jogo contra a LDU assim.”

 

Contra a LDU, não pode perder gols Seria injustiça dizer que o São Paulo não evolui nas mãos de Diniz. O time cria espaço, entra na área, às vezes envolve o adversário… O problema tem sido a falta de capricho nas finalizações, que na semana passada ficou evidente contra o Binacional (PER). O Tricolor precisa ser mais efetivo na quarta-feira (11), contra a LDU, sob risco de tropeçar de novo e ficar em situação delicada na Libertadores.

“Sem dúvidas [é uma decisão]. A Libertadores não te permite vacilar, e esperamos o Morumbi lotado para ganhar e embolar o nosso grupo.” Tiago Volpi, sobre o jogo de quarta

Trio de lesionados pode voltar

Fernando Diniz pode contar com até três “reforços” para o duelo contra a LDU: Juanfran (dores na panturrilha), Vitor Bueno (entorse no tornozelo) e Hernanes (indisposição). O espanhol ainda tem dores e segue como dúvida, mas os meio-campistas têm mais chances de voltar. “O prognóstico é positivo. Não temos certeza absoluta, mas esperamos que eles [Vitor e Hernanes] estejam à disposição”, disse Diniz ontem. Léo e Helinho também estão em recuperação de lesões no tornozelo.

“Vamos fazer o que tiver que ser feito. Vamos pensar na LDU e avaliar o desgaste, mas não adianta projetar lá na frente. Temos que esperar a quarta-feira primeiro.”

Fernando Diniz, sobre a sequência de jogos.

Fonte: Uol

2 comentários em “São Paulo chega à quinzena mais difícil do ano sob pressão e exigência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.