Raí sobre permanência: “Voltamos a sonhar e temos uma identidade”

O atual diretor executivo de futebol do São Paulo, Raí, aceitou o convite de Julio Casares e permanecerá no cargo até fevereiro de 2021. O ex-jogador tem contrato até o final de dezembro deste ano, mas irá renovar para concluir o trabalho iniciado com Fernando Diniz e o elenco. A informação foi publicada inicialmente pelo ge.com e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Julio Casares e Raí se reuniram no início da semana para definirem o futuro do diretor de futebol são-paulino. Havia uma grande dúvida se o presidente eleito iria reformular o setor logo que assumisse a cadeira, entretanto, na prática, o futuro mandatário tricolor optou pela manutenção do que vem dando certo até agora.

Desde 2017 como diretor de futebol, Raí já viveu altos e baixos no cargo. Por causa das sucessivas eliminações do São Paulo para clubes de pequena e média expressões, em diferentes campeonatos, a torcida passou a pedir sua demissão nos inúmeros protestos que realizou em frente ao portão principal do estádio do Morumbi.

Desde setembro de 2019, contudo, Raí apostou na contratação de Fernando Diniz, uma escolha compartilhada com os líderes do elenco, e, mesmo com as eliminações seguindo fazendo parte da rotina do São Paulo em competições mata-mata, o treinador foi mantido. Convicto na continuidade do trabalho, o diretor de futebol tricolor agora começa a colher os frutos por não ceder à pressão pela demissão do atual comandante tricolor.

Com o término da temporada, Raí ainda tem a possibilidade de se tornar um embaixador do São Paulo. A tendência é que o ídolo são-paulino tire férias após três anos se dedicando integralmente ao ofício de diretor de futebol do clube, participando ativamente da rotina do elenco, inclusive viagens. Ao voltar, a possibilidade de uma nova função no Tricolor não está descartada.

 

Fonte: Gazeta  Esportiva

17 comentários em “Raí sobre permanência: “Voltamos a sonhar e temos uma identidade”

  1. O pior diretor de todos os tempos. Vai deixar um rombo nas contas sem precedentes.

    A coisa na atual gestão é tão ridícula que um jogador manda em quem fica como treinador e, vejam só, e quem fica como diretor.

    Raí foi péssimo como dirigente e também me decepcionei com a pessoa pequena que o Raí é.

  2. É isso aí Mestre, se fossemos depender desses Ceis de palpite, que acho que nem conseguem administrar uma ONG, a gente não estávamos tão contentes com esse time, e com esse elenco. Tenho fé que ainda vamos levantar um caneco, e com DINIZ no comando. Mas vou fazer questão de lembra-los disso. Vai faltar rabo pra colocar entre as pernas kkķkk.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.