O que Diniz pretende fazer para vencer mata-mata e dar “resposta” no SPFC

O São Paulo venceu o Guarani ontem (26) e fechou a primeira fase do Campeonato Paulista em primeiro de seu grupo. O clube, que teve dois times completamente diferentes neste retorno do futebol no estado, agora se prepara para enfrentar o Mirassol no mata-mata e tenta vencer o campeonato regional de novo – a última conquista foi em 2005.

Além da possibilidade de quebrar o jejum de títulos, os próximos jogos do Tricolor são importantes para a carreira do técnico Fernando Diniz. Conhecido pelo estilo de jogo ofensivo marcante, com posse de bola e intensidade, ele busca dar uma resposta ao estigma de que é bom, trabalha bem, mas não tem resultado, não levanta troféus.

E parte da estratégia para ter sucesso no mata-mata começou ontem mesmo, na vitória por 3 a 1, quando ele poupou seus principais jogadores na rodada final da primeira fase do Paulistão, já que tinha a classificação às quartas assegurada.

Diferentemente do que algumas pessoas chegaram a insinuar, a intenção de preservar o time titular não era para “entregar” para o Guarani e eliminar o Corinthians — a atuação dos reservas comprovou que o São Paulo ignorou a disputa que o rival estava envolvido.

Diniz também quis descansar a base de seu elenco para justamente corrigir problemas táticos apresentados na partida contra o Red Bull Bragantino.

Colocado como um dos favoritos antes da paralisação do campeonato por conta da pandemia do novo coronavírus, o Tricolor praticamente voltou à estaca zero – como todos os adversários, claro — e agora “corre contra o tempo” para encaixar em campo.

Prova disso é que, já que terá os titulares descansados, Diniz fará treinos táticos hoje e amanhã (28), independentemente se o confronto contra o Mirassol for quarta (29) ou quinta-feira (30). Uma reunião na FPF na manhã desta segunda definirá horário e data dos jogos.

Ele próprio admitiu, logo depois da vitória diante do Bugre, que é preciso melhorar a parte tática do time. “Como tivemos que dar uma carga física no elenco, além da condição técnica, agora que estamos começando a trabalhar a parte tática. Precisamos fazer ajustes na parte tática em todos os sentidos”, destacou o comandante à “TV Globo”.

No confronto de Série A contra o RB, duelo que pode se repetir no mata-mata, por exemplo, o São Paulo ficou mais com a bola, criou e fez seus gols, mas apresentou problemas no setor defensivo. Tanto é que foi vazado três vezes, perdeu e decepcionou parte da torcida que esperava com otimismo o retorno do time e do ‘Dinizismo’.

São essas questões de espaçamento em campo e falta de compactação das linhas que Fernando Diniz pretende ajustar nos próximos dias, além de entrosar o ataque agora com Vitor Bueno, Pablo e Pato, uma vez que Antony se despediu do Morumbi. Tudo isso em um período curto, já que a partida contra o Mirassol acontece nesta semana e uma eliminação colocaria o São Paulo em xeque.

 

Fonte: Uol

3 comentários em “O que Diniz pretende fazer para vencer mata-mata e dar “resposta” no SPFC

  1. Man.. Você já alguma vez na sua vida praticou esporte? Me refiro a esportes de verdade, e não futebol 1x na semana e depois vem o churrasco e a cerveja.. Por exemplo.. Foi pelo menos um mês na academia todo dia fazendo um treino de musculação e nunca reclamou de dores, de no início não conseguir enxugar as costas após o banho? Esses caras ficaram 4 meses sem fazer nada… Quando voltaram a treinar, por mais que sejam profissionais, o corpo não aguenta a carga… Eles não são máquinas. Se botar esses caras pra jogar todos os jogos vai ter lesão, é inevitável.
    As vezes penso que o ser humano precisa ter mais empatia.

    • Faço jiu jitsu e musculação 6 vezes na semana.
      Não ficaram sem fazer nada. O clube montou um protocolo para os atletas cumprirem durante a parada. Jogaram apenas um jogo e perderam. So vao adquirir intensidade se treinarem dessa maneira. Com jogo e treino fofo, não vai rolar.

  2. Descansar, descansar, descansar. É por isso que p time nunca tem pegada. Por isso o Jesus chega aqui, não poupa ninguem, joga todos campeonatos com os titulares e nada de braçada. Estava sempre extraindo o máximo dos atletas. Já os ineptos treinadores brasileiros ficam eternamente nessa burrice de poupar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.