Ingressos caros contrastam com realidade de Juliaca

O Binacional recebe o São Paulo nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), em Juliaca, no Peru, pela primeira rodada do Grupo D da Libertadores. Prestes a disputar sua primeira edição do torneio continental, a equipe peruana se apoia nos caros ingressos disponibilizados à torcida para encher o caixa.

Com capacidade para 12 mil pessoas, o estádio Guillermo Briceño passou por uma série de adaptações para atender as demandas da Conmebol, como, por exemplo, a mudança de refletores. Como chegou a desembolsar uma parte do investimento para essas reformas, o Binacional espera se capitalizar com o confronto com o São Paulo.

Os ingressos à venda para a partida desta quinta-feira variam entre 90 (R$ 119) e 290 soles peruanos (R$ 384). E mesmo com os preços relativamente altos para a realidade da modesta cidade peruana, a expectativa é de casa cheia para o duelo.

Fundado em 2010, o Binacional vive a expectativa de jogar a partida mais importante de sua história. O clube despontou no cenário nacional recentemente, disputando a Primeira Divisão do país desde 2018, após ser campeão da Copa Peru, uma espécie de Segunda Divisão. No ano passado, acabou faturando o Campeonato Peruano surpreendentemente.

Tida como a quinta cidade mais alta do mundo, a 3825 metros acima do nível do mar, Juliaca está longe de oferecer uma estrutura ideal para receber grandes clubes do continente. Para se ter uma noção, o São Paulo só chegará à cidade no dia do jogo, afim de reduzir os efeitos da altitude e de desfrutar de condições melhores em termos de hospedagem e alimentação. Por isso, em um primeiro momento a delegação tricolor irá se alojar em Santa Cruz de La Sierra.

Localizada na região sudeste do Peru, Juliaca está a apenas 40km do Lago Titicaca, uma das principais atrações turísticas no altiplano andino. Ainda assim, não costuma receber muitos turistas, uma vez que não possui muitos locais a serem visitados além da Igreja Matriz de Santa Catalina.

Com a maioria das ruas sem asfaltamento, Juliaca não fica devendo para cidades do interior do Brasil em termos de falta de estrutura. Grande parte das casas ainda não possuem reboco e, com os tijolos à vista, lembram as favelas brasileiras. O principal meio de transporte, além dos carros, são os chamados tuque-tuques, veículos de três rodas que funcionam como uma espécie de taxi.

Em meio a tantas diferenças e algumas semelhanças com o Brasil, Juliaca viverá uma noite especial nesta quinta-feira. Há grande expectativa por parte dos habitantes da cidade, autoridades e até mesmo jogadores do Binacional. Daniel Alves, Pato, Hernanes e companhia certamente chegarão à quinta cidade mais alta do mundo como estrelas. A ver se, dentro de campo, atuarão como tais.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.