Fernando Diniz analisa derrota do São Paulo: ‘A equipe foi muito lenta’

O técnico do São Paulo, Fernando Diniz, analisou a derrota do São Paulo para o Corinthians, que manteve o tabu do Tricolor nunca ter vencido o rival na Neo Química Arena. Para o comandante são-paulino, a equipe precisa ser mais rápida, já que foi lenta na transição no Majestoso.

– Fomos bem diferentes do que fizemos até aqui no ano. O time foi lento, principalmente no primeiro tempo, sem conseguir aproveitar os ataques. Nosso jogo é mais acelerado do que apresentamos. Temos que ser mais agressivos, como fomos durante a maior parte do campeonato – afirmou, em entrevista coletiva depois da derrota.

Diniz também deu a receita para o elenco não se abater com a derrota no clássico, já que o Tricolor precisa manter a distância na liderança, que hoje é de quatro pontos. O São Paulo tem 50 pontos, contra 46 do Galo. As duas equipe se enfrentam na próxima quarta-feira (16), às 21h30, no Morumbi.

– Temos de fazer basicamente o que vínhamos fazendo até então. Ser um time mais agressivo, que troca a bola mais rápido de um lado para o outro e se protege melhor nos contra-ataques. Tomamos um contra-ataque numa jogada mapeada. Fazia muito tempo que não cedíamos contra-ataque como cedemos hoje. Em relação a esse jogo temos muitas coisas a melhorar. Em relação a jogos passados temos alguns ajustes a fazer – afirmou.

6 comentários em “Fernando Diniz analisa derrota do São Paulo: ‘A equipe foi muito lenta’

  1. De fato, o time foi muito lento. Não me pareceu ser por condicionamento, sim por transição lenta no meio.

    Foram poucas as saídas de bola que funcionaram, o time enfrentou a defesa do adversário quase sempre bem posicionada.

    Faltou um meia de categoria prata fazer essa bola chegar na frente rapidamente e com qualidade. O Luciano ajuda voltando, o Brenner sofre ali e o responsável de fato, Dani, entregou mais bolas em condição de finalizar para os adversários do que para os colegas.

  2. Concordo muito bem colocado só de não ter levado uma goleada porq deu para ver q o time tava desgastado mesmo e não q estou a defesa tô Dinis não mais dá para se percebe q muito pouco e a ospisois no banco de reserva e por ele fazer oq está fazendo com esse time q se certa forma tem suas limitações que teve jogos q não pouparam jogador e também não vi q tomou tanto sufoco asim foi mais lance de saída e errada fora o o gol quais defesa difícil o voupi fez e por duas defesa do Casio não saiu empatato emtao vamos apoiar mais e para q tudo continua damdo certo

  3. O time estava muito mal e poderia ter tomado 3 no primeiro tempo. Com a saída do Luciano voltou a ser o time que caiu para o Mirassol e 3 primeiras rodadas terríveis do brasileiro.

  4. O Diniz pode ter muitos defeitos mas, pelo menos, tem uma grande qualidade: não fica procurando desculpas ou “dourando a pílula” procurando “tapar o sol com a peneira”.
    Desculpas esfarrapadas frequentam e frequentaram cabeças de muitos técnicos vencedores e iniciantes.
    Ex: Murici Ramalho e Rogério Ceni.
    Odiava entrevistas dos dois que, após derrotas com o time jogando pessimamente, vinham com as desculpinhas sobre o calendário; sobre a arbitragem; menos que seu time tinha jogado mal, mesmo que não tivessem culpa por isso, coisa que o RC em sua passagem e o Murici nas últimas, tinham.
    Agora vou dar uma desculpa para o time e o Diniz pelo péssimo jogo de ontem:
    O curintia estava sem jogar a 11 dias, só treinando para pegar o SP.
    Enquanto isso, o tricolor jogava uma decisão a cada três dias para poder chegar ao topo da tabela.
    Não deu para perceber a diferença de intensidade com que os times se enfrentaram ontem?
    Por que será que o Luciano se contundiu sòzinho?
    Mas o Diniz, mui dignamente, não se escondeu atrás dessa verdade para desviar responsabilidade.
    Ponto pra ele!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.