CRF x SPFC: Investimentos pesados, mas diferença grande no campo

Flamengo e São Paulo abriram os cofres para contratar e pagar salários elevados a badalados nomes do futebol brasileiro e mundial. No entanto, têm times e resultados diferentes nos últimos anos.

Adversários no jogo de amanhã (1), pela 19ª rodada do Brasileirão, os dois clubes foram ao mercado da bola e não poupam esforços financeiros para manter as folhas em dia. O Fla desembolsa cerca de R$ 25 milhões mensais para manter o elenco recheado de estrelas. O Tricolor gasta cerca de R$ 16 milhões — em alguns meses, o valor superou a casa dos R$ 17 milhões — para arcar com as remunerações no futebol.

Os cariocas já tinham um elenco com vários astros em 2019. Gabigol, Everton Ribeiro, Bruno Henrique, Diego Alves, Rafinha e Filipe Luís recebiam milionários salários no Ninho do Urubu e custaram R$ 21,3 milhões por mês (incluindo 13º salário). O valor foi ampliado em 2020, com as chegadas de Pedro, Michael, Pedro Rocha, Leo Pereira, Isla e companhia e bate a casa dos R$ 25 milhões.

Em que pese o gasto elevado, o Flamengo colhe resultados em campo. Comandado por Jorge Jesus em 2019, o time foi campeão da Libertadores e do Campeonato Brasileiro. Nesta temporada, a equipe já venceu a Supercopa do Brasil, a Recopa Sul-Americana e Estadual do Rio de Janeiro. Agora com Domènec Torrent à frente do plantel, o Rubro-Negro segue em condições de faturar títulos. A equipe segue viva em Libertadores e Copa do Brasil e ocupa a segunda posição do Brasileirão.

O São Paulo gastou bastante no último ano. Em um elenco recheado de medalhões, o clube pagava R$ 14 milhões por mês em remuneração para atletas. Vários jogadores deixaram o Morumbi entre 2019 e 2020, como Anderson Martins, Jucilei, Everton, Alexandre Pato e Raniel. Mesmo assim, o clube mantém nomes com salários elevados — são os casos de Tiago Volpi, Daniel Alves, Hernanes e Pablo. Isso fez com que a folha salarial chegue a R$ 16 milhões mensais. Em um período do ano, este valor superou os R$ 17 milhões pelo fato de a diretoria acertar as saídas de alguns atletas, como na rescisão contratual de Pato.

Embora os valores sejam elevados também no CT da Barra Funda, o Tricolor não conquistou títulos recentemente — a última celebração foi a Copa Sul-Americana 2012 — e fica longe de ficar com uma taça há um bom tempo. O time foi o sexto colocado do Brasileirão em 2019, acabou eliminado para o Bahia nas oitavas de final da Copa do Brasil e caiu na fase preliminar da Libertadores para o Talleres.

Na atual temporada, a situação não foi alterada. Os paulistas seguem vivendo uma temporada complicada. Eliminado nas quartas de final do Paulistão para o modesto Mirassol e na fase de grupos da Libertadores, o São Paulo também não está tão perto de um título no Brasileiro — a equipe é a quinta colocada.

Na tarde de amanhã (1), no Maracanã, as equipes de gastos milionários medem forças pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020.

 

Fonte: Uol

5 comentários em “CRF x SPFC: Investimentos pesados, mas diferença grande no campo

  1. E tem conselheiro do clube querendo pegar dinheiro do futebol profissional para pagar as despesas do clube social ………….melhorar a sauna, botcha ……..fim de feira !!

  2. Só tem um problema no são Paulo ,treinador não e compatível, diretoria e Cia TB não presta, temos alguns bons jogadores mas não se compara ao CRF, não acredito que consigamos um resultado positivo, time que perde para times catados, não tem credibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.