Com filho pé-quente, Souza quer São Paulo atacando Cruzeiro no Morumbi

O São Paulo tem craques como Ganso, Kaká e Alexandre Pato no time. Mas, para o decisivo jogo contra o Cruzeiro, líder do Brasileirão, domingo, no Morumbi, o Tricolor possui um outro trunfo: Nicolas Araújo de Souza. Você não deve saber quem é, e também não se trata de um reforço. Mas é alguém que vem dando muita sorte ao time: o filho do volante Souza, de apenas dois meses e meio.

Nicolas é pé-quente. Mesmo tão novo, já esteve no estádio em três partidas, contra Vitória, Santos e Sport. Em todas o São Paulo venceu. Retrospecto excelente, que fez o camisa 5 até brincar e falar que iria começar a levar o “bebê da vitória” para as partidas fora de casa. Claro que ele ainda não fará isso. Mas no domingo o amuleto estará no Morumbi, para levar sorte ao time e tentar manter os 100% de aproveitamento.

– Ele já foi três vezes, venceu as três. Está invicto, vamos levar no domingo pra ver se traz sorte para nós (risos). O Nicolas vai estar lá, com a roupinha do São Paulo, tentando manter os 100%. Não pode ser nem empate e nem derrota. Espero que ele continue assim. O trabalho bem feito que traz boas vitórias, mas ele está indo e estamos ganhando. Tomara que continue dando sorte para nós no domingo – diz Souza, que tem tudo para assinar um contrato de mais três anos com o São Paulo.

Mosaico Souza, papai (Foto: Editoria de Arte)Souza curte o filho Nicolas (Fotos de Fabricio Crepaldi e Fernando Vidotto)

Roupa do São Paulo, aliás, é o que não falta para o bebê. Ele recebeu a reportagem do GloboEsporte.com em sua casa devidamente vestido como um tricolor. É só uma das várias que tem. Participou de toda a entrevista no colo do pai, sem chorar. Os olhos claros em vários momentos ficaram fixos na câmera – já se acostumando com a fama? – e prestando atenção em tudo, mesmo ainda sem entender. Ele só não é assim tão “ligado” no Morumbi.

– A Dani (esposa de Souza) disse que ele dorme o tempo todo no jogo, só acorda quando desce para o vestiário. Lá ele desperta, mas no jogo fica na dele e não faz nada. Espero que domingo fique acordado (risos) – brincou o jogador.

Souza é pai pela primeira vez. Ajuda com os afazeres domésticos sempre que possível – diz que trocou a fralda “umas cinco vezes” até agora. Mas consegue ficar sozinho com Nicolas quando Danielle está ocupada. Durante a entrevista, de fato mostrou muito carinho e afinidade com a criança.

– Nada melhor do que chegar em casa e ver meu filho. Até depois de um resultado infeliz você chegar e ver o sorriso dele é muito legal. Eu sempre ouvia meus amigos falando e estou vivendo isso hoje. Ele me ajuda muito em campo, também é uma boca a mais para comer em casa (risos), uma vida a mais que temos de cuidar, então tem de dar o melhor para alcançar os objetivos pessoais e coletivos – explicou.

Por outro lado, tem alguém que está em débito com Nicolas, que tanta sorte dá ao São Paulo: o padrinho Alan Kardec.

– De vez em quando ele vem aí, deu uma pulseirinha fraca quando o Nicolas nasceu, mas estou cobrando, está faltando presente para o Nicolas (risos). Mas é uma honra porque é um amigo que eu tenho desde os meus 11 anos, estar jogando ao lado dele e desfrutar dessa amizade tão próxima é muito prazeroso – brincou.

Em ótima fase dentro e fora de campo, Souza, autor de dois gols no jogo de quarta, contra o Botafogo, falou mais sobre a vida de papai e também sobre a decisão de domingo contra o Cruzeiro. Ele pede cautela com o adversário, sobretudo com Everton Ribeiro, mas quer o São Paulo atacando, com o Morumbi lotado.

Souza do São Paulo com Filho (Foto: Fabricio Crepaldi)Souza concede entrevista em seu apartamento em São Paulo (Foto: Fernando Vidotto)

Confira a entrevista com o volante:

Como é ter um filho recém-nascido tendo de ficar tanto tempo fora de casa?

É ruim, porque não participamos totalmente do crescimento e da fase legal do bebê. Mas é o trabalho, foi o que escolhi para viver, que me tirou de um bairro humilde e me colocou onde estou. Não tenho que reclamar de nada, tenho de agradecer a cada momento. Quando estiver com ele eu aproveito, e quando estiver longe é focar no trabalho, sempre lembrando dele. Minha esposa sempre manda fotos e vídeos. Acompanho, mesmo com a distância da profissão, mas participo muito do dia a dia dele.

Mudou muito sua vida após a chegada do Nicolas?

Mudou, em primeiro lugar o sono (risos). Tenho dormido menos, algumas vezes ele vai no quarto para mamar, eu acordo porque ele vem chorando, mas logo eu volto a dormir. Tenho pena da minha esposa, que fica dando mamar, aquelas coisas. Mas mudou o sono, a rotina. Evitamos muito sair, cinema acabou (risos). Quando sai volta rápido, ele não pode ficar muito tempo na rua. Vale a pena esse preço, temos de curtir muito porque passa rápido.

Você troca as fraldas dele? Já consegue ficar sozinho com o filho?

Não muito, quando dá eu faço. Minha prima e minha esposa sempre estão aí. Eu já fiz isso de trocar fralda, umas cinco vezes (risos). Mas eu fico com ele, de boa, só quando ele chorava eu ficava desesperado, mas logo passava (risos).

Souza São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Souza comemora gol com Kardec, padrinho de seu filho, Nicolas (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Você imagina o Nicolas sendo jogador de futebol?

Não quero. Se for para escolher, não quero que ele seja, porque o jogador amadurece muito rápido, vive várias coisas antes do tempo e tem de sofrer muito. Quem não sofre no futebol não alcança seu objetivo. São raros os exemplos que não vêm de família humilde. Quem nasce em “berço de ouro”, é difícil continuar depois de sofrer. Acho que eu não vou querer e nem ele, mas se ele quiser vou apoiar.

De que forma o São Paulo tem de entrar contra o Cruzeiro?

Tem de ter cautela, mas temos de entender que estamos jogando em casa. Não podemos ficar atrás esperando o time deles atacar, porque eles vêm forte. Temos de colocar nosso ritmo e neutralizar as jogadas mais fortes deles, como a bola aérea. E também temos de marcar o Everton Ribeiro, que faz a diferença. Temos de estar de olho nele porque pode a qualquer momento desequilibrar. Mas eles estão preocupados também porque sabem da qualidade da nossa equipe. Não teria momento melhor para enfrentar o líder, porque nosso momento é muito bom. Será um grande espetáculo.

Que influência esse jogo vai ter para o campeonato?

Se perdermos, eles abrem muita margem de erro. E quando tem tranquilidade para jogar em cima dessa margem de erros você joga mais solto, mais tranquilo e os resultados aparecem naturalmente. Fora a qualidade deles. Vamos tentar vencer, sabendo que não podemos perder. O empate pode não ser tão interessante, mas é muito melhor do que a derrota. Vamos com cautela, mas tentando vencer. A torcida vai comparecer em peso, será uma novidade pegar o Morumbi tão lotado assim. Vai ser muito legal ter o estádio lotado e esperamos retribuir o carinho.

O quanto o Morumbi lotado pode ajudar?

Ajuda pelo momento que estamos vivendo. Se fosse uma fase ruim, poderia ser pior o estádio cheio vaiando. Mas estamos em um bom momento, eles apoiando, sabendo que podemos virar um jogo, como contra o Botafogo. A torcida vai nos apoiar e nos ajudar bastante.

Sua permanência no São Paulo está quase certa. Então o Nicolas vai continuar sendo torcedor por muito tempo?

Vai continuar, essa roupinha vai continuar nele por muitos anos. Vou até pedir pro Kardec comprar umas maiores porque ele está crescendo rápido (risos).

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.