Bolívar domina Audax Italiano e segue adiante na Sul-Americana

Jogando de maneira bem mais dominante e impositiva, o Bolívar fez valer o fator casa no estádio Hernando Siles e ganhou por 3 a 0 do Audax Italiano no embate de volta pela segunda fase da Copa Sul-Americana. Classificada as oitavas, o adversário da Academia vem do duelo entre São Paulo e Lanús onde, depois do 3 a 2 na Argentina, terá o seu desfecho na próxima quarta-feira (4) no Morumbi.

Primeiro tempo

O começo de jogo teve uma característica bastante clara onde os anfitriões eram quem giravam a posse de bola no plano ofensivo e, mesmo contando com as variáveis pertencentes a altitude de La Paz, tinham dificuldades extremas de finalizar contra o gol defendido por José Devecchi. Por outro lado, o Audax tampouco tinha uma ideia de marcação com linhas altas que estavam sendo superadas, tendo uma mistura de cautela por questões físicas bem como a preservação da vantagem construída atuando no San Carlos de Apoquindo. Tanto é que seu primeiro chute, que passou do lado esquerdo da meta de Guillermo Viscarra, veio apenas aos 17 minutos.

Assim, o marcador acabou sendo aberto por quem tinha, até então, as ações mais notadas do plano ofensivo com a boa trama formada pelo lado direito. Depois de rápida movimentação onde Álvaro Rey deu bom passe no meio para Víctor Ábrego, o camisa 7 não teve dúvidas em puxar para a perna direita e encher o pé, 1 a 0 Bolívar.

Mesmo com o resultado já sendo suficiente para avançar, a Academia se aproveitou do melhor momento na partida para seguir pressionando em busca da ampliação do marcador. As chances até foram criadas, mas o goleiro Joaquín Muñoz (entrou na vaga de Devecchi ainda aos 12 minutos) e até mesmo a trave acabaram evitando com que a vantagem boliviana fosse mais elástica.

Segundo tempo

O panorama do confronto não teve grandes modificações e os números deixavam a situação bastante explícita com os números de finalizações se acumulando do lado boliviano em nível muito maior do que as chegadas pontuais da equipe de La Florida.

Com isso, o gol do Bolívar que praticamente sacramentaria a classificação diante do panorama apresentado veio com 24 minutos em jogada dos pés de duas peças importantes e mais experientes do elenco de Marcos Flores: Juan Carlos Arce e Marcos Riquelme.

Enquanto o ex-avante de Corinthians e Sport partiu pra cima da marcação no lado direito e levantou a cabeça para fazer o passe, o centroavante que é primo de Juan Román Riquelme só teve o trabalho de empurrar pras redes de Múñoz.

Para não deixar margem de sua qualificação, Roberto Fernandez se aproveitou da pressão exercida no ataque por parte de Anderson que roubou a bola e deixou para Arce dar mais um passe de gol e Fernandez tocar com muito estilo, por cobertura, fechando o marcador no Hernando Siles.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.