Artilheiro precoce por que Brenner ainda não brilhou no São Paulo?

Brenner em campo contra o Corinthians: gol do São Paulo. A história se repetiu pela terceira vez no Majestoso de domingo, vencido por 2 a 1 pelo Tricolor com gol do atacante aos 46 minutos do segundo tempo.

Mas por que o atleta de 20 anos ainda não correspondeu no profissional à expectativa criada em seu entorno desde a base?

No sub-17, Brenner foi comparado a Gabriel Jesus, ex-Palmeiras, pelos números. Em uma temporada, fez 34 gols em 14 jogos. Era visto como um fenômeno.

No São Paulo, a sensação é de que ter pulado uma categoria pode ter atrasado o amadurecimento de Brenner. Ele foi do sub-17 direto ao profissional, sem passar pelo sub-20.

A avaliação é de que são raros os casos de atletas que fazem esse mesmo caminho com sucesso, ao pular uma etapa considerada importante na formação do jogador.

Em 2018, ao ser substituído por Diego Aguirre em um jogo contra o Paraná, no Morumbi, Brenner chorou no banco de reservas. Estava decepcionado consigo mesmo (veja na foto acima).

No São Paulo, o episódio é visto como um dos sinais de situações com as quais ele lidaria melhor se tivesse passado por adversidades parecidas no sub-20. Na categoria, os jogadores podem errar mais sem a mesma cobrança do profissional.

– Foi um momento de aprendizado. Eu me cobro bastante e acho que eu poderia dar o melhor. Eu estava há um tempo sem jogar e não correspondi à altura do que eu posso. Na hora ali, foi um momento infantil mesmo. Mas ao mesmo tempo serviu como muito aprendizado para mim e também para saber lidar com as adversidades – disse Brenner, em entrevista na época ao ge.

Promovido ao profissional pelo então técnico Rogério Ceni, em 2017, Brenner teve mais chances de atuar sob o comando de Dorival Júnior, em 2018, quando virou inclusive titular.

Naquela época, aliás, Fernando Diniz frequentava o CT da Barra Funda, onde acompanhava os treinamentos comandados por Dorival

.

Os técnicos se aproximaram após a final do Paulistão de 2016, entre Santos e Audax. Desde então, Diniz via qualidade no futebol de Brenner.

O desempenho dele e de outros garotos da base do São Paulo nos treinamentos chamava a sua atenção. Para Diniz, aliás, o Tricolor tem os melhores jogadores de base do Brasil.

Na visão de Fernando Diniz, Brenner tem dom para fazer gols, facilidade para finalizar com as duas pernas e boa leitura de jogo. Trata-se, na sua avaliação, de um jogador especial. O desafio é justamente percorrer o caminho entre ser um atleta talentoso e confirmar essa qualidade dentro de campo.

 

Veja abaixo os números de jogos e gols de Brenner pelo São Paulo por temporada:

2017: 4 jogos e um gol
2018: 19 jogos e três gols
2019: 7 jogos e um gol
2020: 6 jogos e dois gols
Depois da saída de Dorival Junior, Brenner perdeu espaço. Com Diego Aguirre, ele foi colocado para jogar na base e se incomodou. Na época, ao explicar a decisão, o técnico uruguaio citou justamente o amadurecimento:

– Queremos cuidar, proteger e ajudá-lo. Entendemos que se o jogador não compete não terá o ritmo que queremos. É simplesmente isso. Tem de entender que queremos os melhores para os meninos, especialmente. Tenho certeza que daqui um ou dois anos será um centroavante espetacular. Mas tem de continuar nesse processo de amadurecimento – falou Aguirre, em entrevista à rádio “Transamérica”.

Ainda em 2018, ele participou de um período de treinamentos com a seleção brasileira, onde conviveu com Neymar, Gabriel Jesus e companhia

O planejamento do São Paulo para 2019 era usar Brenner na Copa São Paulo de Futebol Júnior, processo pelo qual Antony também passou. O hoje jogador do Ajax topou a ideia, e o desempenho na Copinha mudou seu patamar. Brenner não quis participar da competição de base. Os dois nasceram no ano 2000.

Gabriel Novaes (de 1999), centroavante daquele time, foi o artilheiro da Copinha e acabou emprestado ao Barcelona B. Hoje ele está no Juventude. No São Paulo, Brenner era visto como o centroavante natural daquela equipe, por ser considerado mais técnico do que Novaes.

Depois do empréstimo apagado pelo Fluminense, onde foi treinado pelo próprio Diniz e tinha concorrência de João Pedro, Luciano e outros, Brenner agora tenta vida nova no São Paulo.

Cercado por garotos da sua geração revelados em Cotia e com um técnico que gosta do seu futebol, Brenner agora busca afirmação. A impressão no São Paulo é de que o entrosamento com os companheiros e esse ambiente atual é mais favorável ao jogador.

Antes de entrar em campo no Majestoso, ele ouviu de Fernando Diniz a seguinte orientação (o vídeo deste momento foi registrado pela “SPFCtv” – veja abaixo):

– Entra nessa porra e decide a porra do jogo. Você é bom. Não para de correr um segundo.

O ano de nascimento dos garotos de Cotia no elenco profissional:

Patryck – 2003 (foi relacionado no clássico)
Brenner – 2000
Helinho – 2000
Rodrigo Nestor – 2000
Gabriel Sara – 1999
Luan – 1999
Igor Gomes – 1999
Walce – 1999
Diego Costa – 1999
Toró – 1999
Thiago Couto (goleiro) – 1999
Paulinho Bóia – 1998
Júnior (goleiro) – 1998
Liziero – 1998
Lucas Perri (goleiro) – 1997
Shaylon (parte da formação na Chapecoense) – 1997

Um comentário em “Artilheiro precoce por que Brenner ainda não brilhou no São Paulo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.