Após eliminação na Libertadores, Raí banca Diniz no São Paulo

Fernando Diniz continuará trabalhando como técnico do São Paulo. O diretor executivo Raí disse após a derrota por 2 a 1 para o River Plate, na noite da última quarta-feira, que ele seguirá trabalhando com o elenco. O revés carimbou a eliminação do Tricolor na fase de grupos da Libertadores, algo que não acontecia desde 1987.

– Sim, com a comissão técnica, com o Diniz (segue). A gente sabe que tem muito trabalho, muita seriedade, muito conteúdo, mas a gente tem que melhorar. Tivemos duas competições nesta temporada, completamente atípica com a pandemia, a gente está passando da metade da temporada. Tivemos duas competições (Paulista e Libertadores) e estamos fora – disse o diretor em entrevista ao site ge.globo, na Argentina.

O São Paulo faz parte do grupo D da competição e ocupa a terceira colocação, agora já eliminado junto do quarto colocado Binacional. Em primeiro lugar, a LDU, com 12 pontos, e, em segundo, o River Plate, com dez. O Tricolor fez uma campanha, até agora, com uma rodada faltando para terminar a fase de grupos, com três derrotas, um empate e apenas uma vitória.

– Não foi só uma derrota, foi uma desclassificação que dói bastante na gente. É amarga. Tem que saber que, quando não se consegue um objetivo, é porque tem erros, a gente tem que rever. Mas também tem muito trabalho, muita coisa importante que foi feita até agora e que a gente acredita que pode evoluir. Mas é um momento de tristeza, reflexão, reavaliação, mas seguimos com o trabalho. Sabemos que tem muito trabalho até aqui. Tem coisas boas, mas que não foram suficientes e a gente tem que melhorar – completou Raí.

Fernando Diniz chegou ao São Paulo há pouco mais de um ano, em 26 de setembro de 2019. Ele conseguiu a sexta colocação do Campeonato Brasileiro, que lhe garantiu uma vaga para disputar a fase de grupos da Libertadores. Neste ano, apesar da temporada atípica por coronavírus, o time foi eliminado do Campeonato Paulista pelo Mirassol em pleno Morumbi e, agora, caiu nesta fase no torneio continental. Raí, no entanto, manteve as esperanças nas competições que ainda restam para fechar essa temporada.

– Temos a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro, então temos que acreditar nisso, e o São Paulo tem que vencer e pensar em melhorar para ter mais condições, mais capacidade, mais chances de conquistar os títulos. Então temos duas chances nessa temporada que é a Copa do Brasil e o Brasileiro – finalizou.

Eliminado da Libertadores, o São Paulo agora volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. A equipe comandada por Fernando Diniz, terceira colocada, visita o Coritiba no domingo, às 16h, pela 13ª rodada.

7 comentários em “Após eliminação na Libertadores, Raí banca Diniz no São Paulo

  1. Está com medinho do Daniel Alves, seu frouxo?
    O que eu não entendo eh o banana do Lecú, deve estar cagando e andando esse rato velho, não honra nem as calças que veste, se não já teria mandando todos pra rua!

  2. Esse Raí perdeu todo respeito que eu tinha do jogador Raí….

    Não tem como dividir as coisas, ele está a anos prejudicando o clube, aumentou a dívida e não tem jogador!!!

    O único argumento é que não teria tempo para um outro treinador devido as eleições….

    Raí seu FDP, se vc ama o SPFC como vc diz, e quer que a próxima diretoria resolva esse problema… Convença o Leco a antecipar as eleições e suma do SPFC, nunca mais apareça… Se vc está aí para gerir o futebol e não está fazendo nada por conta do término do mandato, então peça a conta o SPFC não precisa de alguém só pra falar que o Diniz continua, para isso o porteiro pode informar!!!

  3. nao sei o que o Rai quer provar com a permanencia do Diniz, provar que o problema nao é treinador , nao adianta trocar? ate poderia concordar, mas como escreveu amigo abaixo, Pior cego é aquele que nao quer ver, se ainda tivesse feito um bom trabalho, tivesse esquema de jogo, o time jogasse de verdade., perdeu pq o outro time é melhor e etc, mas nao, nao vemos isso.

  4. É o típico discurso de um “perdedor”. Somente os homens com horizontes pequenos é que se satisfazem com derrotas… Usam o otimismo como bengala, uma desculpa que não tem como ser aceita. Ou o cara é ingênuo demais – não acredito que seja – ou lhe falta dignidade. Como recebe polpudos salários, todo sabem, uma demissão por incapacidade administrativa não faz parte do seu discurso. Raí você decepcionou toda a nação tricolor, que um dia o elegeu como ídolo. Pena que seu fim de carreira no tricolor fique tão manchado. Quanto ao alquimista e pseudo-treinador de futebol eu só lamento que um dia ele tenha aportado no CT na Barra Funda, trazendo a bordo sua incapacidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.