Alguém me disse

As negociações praticamente se encerraram e a Puma deverá assinar um contrato de cinco anos com o São Paulo. Entrará a partir de janeiro. O problema é a multa contratual com a Penalty, que tem compromisso até final de 2015. Só que existe uma cláusula onde consta que qualquer um dos lados poderia rever o acordo no final do ano sem ônus, o que, ao que parece, a Penalty não estaria propensa a aceitar.]

Na proposta da Puma, que daria ao São Paulo R$ 15 milhões anuais, estaria a obrigatoriedade da aprovação, pelo Conselho Deliberativo, do terceiro uniforme.

 

Paulo Pontes

20 comentários em “Alguém me disse

  1. Paulo, bom dia.

    Acompanho o blog e vejo em você muita credibilidade nas informações, por isso gostaria de tirar algumas duvidas até para um entendimento como um todo e acredito que você por ter acesso conseguiria me responder.

    1 – O valor que é falado sobre a Puma trazendo este valor, acredito eu não seria um valor final mas sim de $$ que virá para o SPFC, onde uns falam em 19 milhões vc tem a informação de 15 e isto é o que muita gente confundi, valor em dinheiro e valor em dinheiro+material. É possivel ter uma ideia deste valor final?

    2 – Realmente existiram propostas oficiais de concorrentes (Adidas, Under Armour ou outra)

    Abs.

    • Vamos lá: R$ 15 milhões é o valor em dinheiro vivo. O material está estimado em R$ 4 milhões, o que daria, então, R$ 19 milhões. Existiram, sim, propostas da Adidas (muito pequena) e da Under Armour. Eu não afirmei que o contrato com a Puma já está assinado, mas 95% certo. Ocorre que o presidente ainda espera uma formalização de proposta da Under, que, a princípio, é superior a da Puma. Mas também não será uma diferença tão grande assim, algo em torno de, no máximo, R$ 2 milhões em dinheiro.

  2. Se Adalberto Batista e Juvenal Juvencio continuassem no comando do clube, em pouco tempo estaríamos com mais dívidas que flamengo, botafogo e Vasco juntos.

  3. Realmente faltam atores políticos no staff dirigente do clube, infelizmente Aidar está mais para Vicente Mateus do que Marcelo Portugal. O Departamento de Marketing está patinando pois não adianta ser somente técnico, tem que ser político e buscar parcerias com as mega empresas estatais. Incrível como os clubes cariocas dão um baile na questão de patrocínio nos clubes paulistas.

  4. Paulo, cansei de escrever aqui….quero ver a Penalty pagar.
    Escrevi aqui e escrevi para o Casares, pimpão no Twiter que agora sumiu.
    Covenhamos, foi péssimo para o SPFC e ótimo para a Penalty. Só não foi melhor pq o SPFC não ganhou nada neste tempo.
    A Rebook inovou, colocou lojas do SPFC no shopping, produtos casuais e uma linha de qualidade muito superior.

    O Santos está fechando por R$ 19 milhões com a Under Armour. E nós vamos fechar por R$ 15m por 5 anos. 20 milhões a menos do que ganha o Flamengo por ano, ao final de 5 anos serão R$ 100 milhões a menos.

    Acho um negócio perigoso, porque no futuro o clube pode se arrepender.

    • Alexandre, acredite: a situação do clube é de penúria. Antes a Puma pagando 15 do que a Penalty, que nem sei direito quanto paga e não coloca produtos à venda para a torcida. Foi o pior negócio das últimas décadas.

  5. Acho que esse contrato de 5 anos com a Puma é prejudicial ao São Paulo, caso esse valor seja fixo e congelado durante os 5 anos.
    Percebo que falta habilidade em negociações para essa diretoria, não se consegue um patrocínio pontual, as dívidas aumentam mensalmente.

    A Realidade é uma só, o São Paulo não é time de massa, por mais que passe imagem positiva aos patrocinadores e tenha uma grande torcida, jamais conseguirá emplacar patrocínios do mesmo porte de Corinthians e Flamengo.

    Outro dia li que o São Paulo deve em torno de 130 Milhões só em empréstimos bancários, sendo que em 2013, 60 milhões da venda do Lucas foram utilizados para saldar empréstimos.

    O São Paulo estar nesse estado crítico é inexplicável por parte dos dirigentes, uma vez que todas as administrações do JJ, os elencos eram todos de médio porte, sem grandes contratações, quase todos jogadores eram contratados em final de contrato.

    Se analisarmos friamente, Cotia não gera lucro ao clube, JJ dizia que em 2013/2014, o time principal teria pelo menos 9 jogadores titulares formados em Cotia, uma vergonha.

    O Corinthians com zilhões de processos e escândalos, inclusive sendo processado criminalmente por sonegação fiscal, conseguiu um estádio de 1 bilhão, consegue 32 milhões ano de patrocínio master de uma Empresa Pública e 30 milhões ano de uma multinacional (nike), depois consegue pegar 40 milhões em um banco, com aval da globo para pagar os impostos sonegados.

    Tenho a impressão que falta habilidade política aos dirigentes do São Paulo para se adequarem as regras do jogo e diminuir um pouco a empáfia.

    O velho e bom ditado, “cachorro que não chora não mama”.

    • Regis, posto aqui a anos….todas as contratações de chegam 11 jogadores saem 15…..chegam 7 saem 10….chegam 8 saem 15.
      Tudo isto tem um custo de entrada e de saída, e os de saída, multas só de FGTS são 40%, mais salários de tempos futuros de contrato por rescisão e etc….
      Um dia esta conta chegaria, e chegou.
      Os times eram meia boca, mas todos com salários altos e várias rescisões a pagar.
      A conta chegou, e é só o começo.
      Isto sem contar os acordos que terão que ser feitos de outros jogadores que estão ainda rolando na justiça.

      Infelizmente isto é o preço de não termos tido revelado jogadores para serem vendidos ao exterior. Todos com baixos valores, exceto o Lucas.

      • Por ter respondido na minha postagem, me vejo no direito de replicar.

        Sua explicação é muito simplista, Todos os jogadores que chegam sem custos, saíram ao final do contrato sem custos (Dagoberto, Mineiro, Josué, André Dias, Fabão, Danilo, Miranda, Borges, Hugo, Junior, Richarlyson, entre tantos outros), custaram zero para serem contratados, saíram em final de contrato, e os salários não eram tão elevados.
        Pela arrecadação do clube com inúmeros patrocínios, cotas de TV, entre outras coisas, não era para estar assim.

    • João, não estamos muito em condição de impor negócios. É ruim, sim, mas seria pior continuar com a Penalty. A Puma só vai pagar um pouquinho mais, porque o péssimo negócio foi feito lá atrás.

  6. JJ nunca deveria assumir a presidência do clube, já fazia asneiras desde os a nos 80 (quando dispensou ídolos como Waldir,Serginho e Zé Sérgio para trazer Abelha e Marcão e outros menos votados).

  7. Paulo, parece que a mudança de patrocinador de uniformes se faz necessária para aliviar o caixa do clube. Sem essa mudança, as coisas ficarão mais feias do que já estão.
    Se você resgatar o assunto, verá que eu comentei aqui com você, na época, pelo fato da família estar envolvida nesse ramo, de que a fabricante da Penalty dificilmente teria condições de bancar o que diziam que ela pagaria (R$ 30 e poucos milhões, como um dos maiores patrocínios de material esportivo do Brasil). Depois, no primeiro balanço já falaram que era de R$ 18 milhões e hoje dizem nem ser de R$ 13 milhões. E para se ter uma ideia da verdade, vamos fechar um novo por R$ 15 milhões, enquanto o Flamengo só de luvas leva R$ 30 milhões da Adidas.
    Para piorar o leque de assunto negativos, hoje conversando com algumas pessoas ligadas ao clube fiquei sabendo que correm boatos de que está para sair uma matéria na imprensa, provavelmente ventilada por conselheiros, sobre uma suposta (má) gestão financeira de JJ a frente do São Paulo. Você está sabendo disso?
    Dizem que a inviabilidade financeira atual do São Paulo (sim, as contas não fechariam nem com a vinda de um patrocinador master), estaria atrelada às dividas feitas durante os 8 anos de JJ a frente do clube.
    Dizem que o clube gastou bem mais do que podia com a projeção de que Cotia pagaria essa conta no futuro. O futuro chegou e o prejuízo parece ser muito maior do que a capacidade de Cotia em gerar receitas.
    Agora, por que com JJ a frente do clube nunca tivemos notícia de atrasos de pagamentos, mesmo quando ficamos um bom tempo sem patrocinador master? E com o Aidar saem todo dia notícias ruins, até de problemas no gramado?

    • Regis, pegando o final do seu comentário, fico pensando nos prós e contras dessa blindagem que o São Paulo sempre teve em relação ao vazamento de atrasos de pagamento na imprensa.
      Será que vale a pena o torcedor se orgulhar achando que o tricolor sempre foi um clube correto e bem administrado? Até que ponto isso é verdade?

      Até outros clubes citavam o São Paulo como exemplo, mas por essa bola levantada dos 8 anos do JJ e nada ter vazado na imprensa, não sei bem se ainda acredito que sempre fomos organizados como parece. Não sei se me orgulho dessa postura do São Paulo de sempre se vender como um clube modelo enquanto por baixo dos panos tem tantas questões a serem respondidas.

    • Regis, no tempo do Juvenal tudo funcionava no mais rígido regime de coronelismo. Poucas coisas vazavam. E quando vazavam…era processo. E eu estou sendo processado. Mas a dívida foi feita na sua gestão. E agora estamos pagando por isso. Ele fez contratações caras e erradas, salários exorbitantes e gastou que podia e não podia para garantir a mudança do estatuto, sua reeleição e a eleição de seu sucessor. Apostava muito em Cotia, mas as dívidas foram maiores que um Lucas. Agora apostavam em Rodrigo Caio e Ademilson. O primeiro se contundiu seriamente e o segundo…bem, sabemos quem ele é e o que joga. Então, Regis, a situação é muito crítica e para resolver precisamos de um bom patrocínio master e dois Lucas. Convenhamos…difícil.

      • Raphael e Paulo, entendo que uma parte da nossa suposta “soberania” (palavra que eu detesto) se dava pelo fato de termos um processo mais regular para troca de presidente, que não ficava mais do que quatro anos no poder (dois mandatos). Enquanto nossos rivais na cidade estavam com seus presidentes se perpetuando no poder.
        A perpetuação do poder é muito ruim. Começa a faltar oxigenação na direção e a objetivo da instituição passa a ser o objetivo da pessoa que está no poder (que é mais poder).
        E o que aconteceu? Os rivais conseguiram derrubar seus ‘ditadores’ e mudar seus estatutos para que isso não ocorresse mais, enquanto nós fomos na direção contrária, deixando o JJ por oito anos na presidência.
        Nesses oito anos, a falta de troca de poder nos afetou com uma série de desgastes como o rompimento com a FPF e a CBF, a briga com Globo, o Morumbi fora da Copa, atrito com empresários e fugas da base, entre outros, que nos custaram, e custam até hoje, muito caro.
        Só o rompimento com a CBF, para mim, explica o fato de até hoje um clube com o poder de uma torcida como o São Paulo ser sistematicamente boicotado pelos fornecedores de material esportivo de primeira linha, como Nike (leia-se CBF) ou Adidas (leia-se Fifa). Vejam que foi só a Adidas comprar a Reebok que perdemos esse fornecedor, quando em outras situações semelhantes de aquisição de uma empresa pela outra, os clubes passaram a ser patrocinados pela empresa remanescente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.