Em 15 minutos, São Paulo mostra que “pode”, se quiser.

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, bastaram 15 minutos para o São Paulo aplicar uma goleada na Chapecoense na noite desta segunda-feira, no Morumbi. Para quem não assistiu ao jogo e só ficou sabendo do resultado, vai imaginar que foi uma partida dos sonhos. Digamos que em partes sim.

Vi muitas críticas ao técnico Cuca pela apatia do time no primeiro tempo. E mais: que fez substituições para corrigir os erros que cometeu na escalação. Mas pergunto: deixasse, de início, Pato no banco para entrar com Everton ou Toró, não seria chamado de burro?

Cuca entrou com o que, entendo, o São Paulo tem de melhor. Exceção a Pablo, que está no departamento médico, o time é este que ele colocou em campo. A única surpresa foi a entrada de Igor Vinicius na lateral no lugar de Hudson. Mas houve explicação de Cuca após o jogo: “Hudson pediu para não ser fixado na lateral, pois é volante e é ali que quer jogar”. Mas acho que com isso perdeu a posição de titular, pois é apenas marcador e Luan vai muito bem e é o dono do posto de primeiro volante.

Pato e Antony passaram 45 minutos fazendo a diagonal errada, pois já a faziam na intermediária. A Chapecoense colocava todos os seus jogadores à frente da área e congestionava tudo por ali. Enquanto as laterais ficavam abandonadas, o jogo era truncado pelo meio. A Chapecoense teve mais domínio de bola que o São Paulo e chegou a ameaçar. Thiago Volpi foi exigido numa grande defesa.

Cuca percebeu a lentidão e os erros. Tirou Pato e Luan, recuou Tchê Tchê para primeiro volante, deu mais liberdade para Hernanes colocando Everton ao seu lado e Toró aberto na esquerda.

Foi um espetáculo. Em 15 minutos já estava 3 a 0. As substituições perfeitas: Everton faz a jogada para o primeiro gol de Antony; Toró marca um golaço; Raniel marca pressão, a defesa falha e ele marca o terceiro. Para coroar, no fim, Cuca coloca Vitor Bueno que marca o quarto gol. Ou seja: Cuca venceu a partida.

Mas será que é difícil jogar em alto nível a partida toda? Contra o Palmeiras fizemos 15 minutos de sonhos, marcando um gol, perdendo outros. Depois paramos. Contra a Chape fizemos 15 minutos de sonhos, depois de uma apatia coletiva. Depois, com consciência, administramos o resultado.

Se o time pode apresentar esse futebol que apresentou em pouco espaço de tempo, é porque tem o que evoluir. E isso me dá esperança que podemos, sim, chegar longe. Afinal, estamos apenas ultrapassando a metade do primeiro turno. Tem muita água para rolar embaixo desta ponte.

E meu destaque final para a estreia das transmissões dos jogos do São Paulo na Rádio Tricolornaweb. Os ouvintes que nos acompanharam entenderam que não queríamos competir com as narrações tradicionais. A ideia era nos posicionar ao lado dos ouvintes, que estavam assistindo o jogo no Premiere para bater papo, comentar o jogo. E o retorno da audiência foi gigante. Só posso agradecer e falar que é apenas o começo. Vem mais por aí.

Vamos São Paulo!

10 comentários em “Em 15 minutos, São Paulo mostra que “pode”, se quiser.

  1. Acompanho no Twitter varios jornalistas e é impressionante como ninguém gosta do SP… depois de uma goleada, é difícil ver noticias positivas. As manchetes mais comuns: “Hudson se recusa a jogar de lateral”; “Pato e Hernanes jogam mal”; “Cuca cansa de Pato”… tão de sacanagem!

  2. ainda falta muita coisa para o EX SOBERANO vira um time de futebol .

    se tiver alguém interessado em comprar o garoto toro aproveite e vendar o mais rápido possível ,porque senão no futuro vai ficar difícil de vender ele

    #EUQUEROOSOBERANODEVOLTA

  3. Ney Franco foi ousado; a chape atacava com quase o time inteiro e chegou a oferecer perigo. No segundo tempo, com as mudanças, encaixamos um contra-ataque perfeito, logo no começo, e o jogo mudou totalmente. Com a porteira aberta, os outros gols foram questão de tempo.

    Essa goleada veio em ótima hora. O ponto positivo foi, como Cuca bem frisou, a confiança adquirida pelos jogadores que marcaram. Afinal, jogadores de ataque vivem de gols. Destaque para o belo gol do Toró, que demonstra ter alguma coisa na cachola. O gol do Raniel também foi um bom sinal – Trellez e Gonzalo não fariam… Éverton Chinelinho até que enfim ajudou. Precisa ser testado no lugar do Reinaldo urgentemente.

  4. Tivemos 10 minutos de bom futebol no primeiro tempo, dos 23 aos 33 minutos, quando Pato jogou um pouco mais avançado e próximo de Raniel, e criamos 3 oportunidades de gol.
    Depois com as mudanças corretíssimas tivemos 15 minutos ótimos no início do segundo tempo. Depois de abrir 3 x 0 o time “descansou”. O quarto gol, já no finzinho, foi devido à fragilidade do adversário.
    Vamos comemorar mas com moderação, e torcer para o time começar mais ofensivo nos próximos jogos.

  5. So desejo que nosso trenero tenha encontrado o caminho das pedras, porque na minha opiniao ele continua dificultando a vida de alguns jogadores, exigindo algo a mais e tirando suas reais caracteristicas. Vencer dentro de casa e obrigatorio, nao importa quem, faz parte da cartilha.
    Diretoria di mierda, veja o poder da sua torcida, uma segundona contra um time da Z4 e aquela torcidona, procurem montar time de curling , tambem.
    Nos respeite lecu & cia.

  6. E a dor de corno do Hernanes continua.

    O Cuca é fraco mas está trabalhando bastante corrigindo as bobagens do Raí e Pássaro.

    Não me empolgo mesmo com goleada a Chape é muito ruim

  7. No Palmeiras Cuca usou Moisés e Tchê Tchê como dupla de volantes, ou seja jogou sem um 1o volante marcador e foi campeão.
    Ontem no segundo tempo foi isso que ele fez. Com muito trabalho pode ser uma opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.